Antes tarde do que nunca… falando do Globo de Ouro

Postado em 10 de janeiro de 2018 por webmaster

O Globo de Ouro abre a temporada de premiações em Hollywood e transforma a vida de quem mora em Bervely Hills. O evento, que acontece anualmente no hotel The Beverly Hilton, este ano consegui causar ainda mais, pois apertaram a segurança e fecharam várias ruas próximas na vizinhança.

 

 

Seguindo a tradição, eu e as amigas nos reunimos pra assistir a premiação e pirarmos juntas, na festa regada a prosseco e muita animação. E da série, quem nunca, fã de carteirinha que sou, tirei foto dos meus momentos favoritos na televisão, acreditando piamente que estava pessoalmente na cerimônia.

 


 

Sou dessas também que grava o comercial de “Cinquenta Tons de Liberdade”, que passou em cada intervalo do Golden Globe, pra compartilhar e comentar com os amigos fãs da trilogia depois.

 


 

E dando sequência a minha ilusão de estar sentada ao lado do elenco de “Lady Bird”, pirei na hora que anunciaram tanto que Saoirse Ronan ganhou melhor atriz, quando o momento que anunciaram que o filme levou a estatueta na categoria melhor comédia. Sou devota a roteirista e diretora, Greta Gerwig, que tive o prazer de conhecer e entrevistar e é, além de criativa, talentosa e inteligente, uma das almas mais bacanas que conheci nos meus anos trabalhando na indústria do entretenimento em LA. Greta é gente como a gente e gente que faz, merece todo este reconhecimento pelo seu trabalho.

Agora as lágrimas rolaram mesmo quando ouvimos o belo discurso de Oprah Winfrey, a homenageada da noite que deu um show a parte inspirando meninas, que, como sua mãe, são exploradas, assediadas, mas a partir de agora vão poder contar com o apoio moral e financeiro do movimento Time’s Up, que propõe mudanças profundas para as mulheres de todas as indústrias, em todas as partes do mundo.

Vale ver e rever, a diva Oprah falar:

No quesito televisão, o Golden Globe foi um repeteco do Emmy Awards e como não fui muito fa das decisões tomadas pela Television Academy (que vota no Emmy), também não compartilhei com algumas das escolhas da Hollywood Foreign Press Association, formada por 80 membros da imprensa internacional que escolhem os ganhadores do Golden Globe. Mas, o Globes serve como vitrine para apresentar ao público alguns dos seriados que ainda não ganharam tanta projeção, como foi o caso do “The Marvelous Mrs Maisel”, dos mesmos criadores de “Gilmore Girls”, que levou o prêmio de melhor série e atriz de comédia.

Dakota e Luca,seu amigo e diretor de Call Me By Your Name

No geral, a premiação foi bacana, e ainda nos presenteou com Dakota Johnson (lindíssima), que apresentou o filme “Call Me By Your Name”, do diretor e amigo Luca Guadagnino e ainda nos brindou com o reencontro de Shai (indicada como melhor atriz coadjuvante em “Big Little Lies”) e Ansel Elgort (indicado como melhor ator em filme de comédia por “Baby Driver”), que matou de alegria os fãs de “Divergente” e “A Culpa é das Estrelas”.

Agora de fato o Golden Globe foi para o movimento Time’s Up, pra todas as celebridades que vestiram preto em solidariedade às vítimas de assédio e estupro, aquelas que, seguiram a dica da minha maravilhosa Michelle Williams (também indicada na categoria melhor atriz em drama, por “All the Money In The World”) e levaram como acompanhante à premiação líderes de movimentos e organizações que fazem a diferença na vida de tantas pessoas pelo mundo afora.

Shai e Calina Lawrence, que luta pelos diretos das mulheres nativas nos EUA

Michelle Williams e Tarana Burke, que fundou o movimento #Metoo

Susan Sarandon e Rosa Clemente, que luta pela independência de Porto Rico e por presos políticos

Como disse minha amada Susa Sarandon (indicada como melhor atriz na minissérie Feud: “Bette and Joan”), este foi realmente o Golden Globes Awards mais significativo de todos os tempos!

Tags:, , , , , , , ,




DEIXE UM COMENTÁRIO