Tribeca Film Festival traz histórias com mulheres fortes em obras independentes

Por: Claudia Ciuffo

Uma das maiores vantagens de cobrir um festival de cinema é que temos a chance de assistir aos filmes, que nem mesmo têm trailer ou material de divulgação, em primeira mão. Muitos deles, quando lançados no circuito, acabam ganhando destaque na temporada de premiações e alguns são até indicados ao Oscar.

O Tribeca Film Festival, que aconteceu em Nova York em abril, este ano prestigiou diversos filmes focados em fortes personagens mulheres, protagonizados por atrizes brilhantes, acompanhadas de um elenco igualmente sensacional.

O roteiro de “All About Nina” e “Diane” é focado na trajetória de Nina e Diana, respectivamente, que são o fio condutor de duas intensas e realistas estórias. Em “Maine” e a “In a Relationship”, é interessante ver a perspectiva feminina dentro dos seus relacionamentos amorosos, e como as consequências do fim, o começo e recomeço de uma relação amorosa, trazem para suas vidas e como impactam as suas escolhas.

Todos esses filmes foram aclamados pelos críticos e jornalistas, que como nós, tiveram a chance de vê-los no Tribeca. Todos foram feitos com pouco dinheiro, mas com muita criatividade e, mais ainda, muita verdade, uma característica marcante do cinema independente.

Todos contaram com uma produção caprichada, roteiros emocionantes e performances marcantes, que os tornam ainda mais especiais. Filmes que tocam a gente porque nos identificamos com suas personagens, independente da nossa própria história. Mesmo sem ser comediante, como Nina, que sofria abusos do seu ex-namorado e mudou para LA pra recomeçar sua vida, sua trajetória tragicômica é inspiradora. Isso sem contar que, temos um pouco da jovem Bluebird , que precisou tirar umas férias de seu casamento na Espanha e foi sozinha percorrer a trilha no estado de Maine, nos EUA, em busca de reencontrar a si mesma. Temos um pouco também de Hallie que, namorando há anos, quer um compromisso mais sério, enquanto seu amor questiona a necessidade do casal dar o próximo passo na relação. E, sim, temos um pouco de Diane, que para salvar o filho viciado em drogas, no auge dos seus 70 e poucos anos, tem que revisitar e enfrentar seus próprios fantasmas da juventude.

Por tocarem a nossa alma de tantas formas diferentes e profundas, essas são as nossas “Estrelas do Indie”. Anote e confira!

All About Nina – Direção: Eva Vives

Nina Geld (Winstead) é uma comediante erótica, estimulante e provocante, cuja carreira está decolando, mas cuja vida pessoal é um desastre quase completo. Para escapar de um ex difícil e se preparar para um teste de elenco que promete mudar a sua vida, , Nina foge para Los Angeles, onde ela conhece Rafe (Common), que desafia quase todos os preconceitos que ela tem – incluindo aqueles em torno de seu próprio passado profundamente conturbado.

Nina (Mary Elizabeth Winstead) não é a típica comediante de stand-up. Em seus sets Nina conversa abertamente sobre sexo, e cinisma, sarcástica e, ate mesmo vulgar, mas o ato dela não é um simples ato. Tendo finalmente abandonado seu amante abusivo (Chace Crawford), Nina corre para Los Angeles com a esperança de finalmente se tornar uma grande estrela. As coisas começam a melhorar em sua carreira, assim como em sua vida amorosa – graças a um novo amor, Rafe (Common) – mas essa heroína que bebe muito, não tem certeza se consegue lidar com a estabilidade.

A atriz Mary Elizabeth Winstead esta excelente na pele de Nina e o elenco de apoio do filme também e nota 10! Através de personagens complicados, o roteiro aborda questões oportunas como trauma, abuso e sexismo no mundo da comédia stand-up, All About Nina oferece uma visão critica, realista e interessante sobre o que significa ser uma mulher talentosa e criativa hoje.

 

 

Maine – Direção: Matthew Brown

Talvez não exista um lugar melhor para descobrir o verdadeiro eu do que na natureza, desprovido de telefones celulares, streaming de vídeo e todos os outros vícios tecnológicos. Para Bluebird (Laia Costa), caminhadas na Trilha dos Apalaches sem o marido lhe oferece a chance de fazer exatamente isso. No começo, ela acha que otimo ter um companheiro de caminhada mais jovem que ela, e se junta a Lake (Thomas Mann), que conhece na trilha. Mas à medida que se conhecem, a química entre eles e a atração mútua culminam em um beijo. E é aí que tudo muda. O que começou como um laço inocente se transforma em um romance inesperado que força Bluebird e Lake a manterem na linha tênue entre sua indisponibilidade emocional e seu desejo inegável.

Maine usa esse cenário romântico para olhar além do recém-descoberto amor. Através das excepcionais performances de Costa e Mann, o roteirista e diretor Matthew Brown captura um momento potencialmente crucial na vida de dois personagens. Brown deixa a serenidade natural do cenário e as emoções cruas dos personagens guiarem a história diretamente para o coração do espectador. Maine é tão imersivo quanto genuíno.

Diane – Direção: Kent Jones
Diane é uma septuagenária viúva e altruísta cuja vida é ditada pelas necessidades dos outros. Ela preenche seus dias servindo comida para os desabrigados, visitando amigos doentes nos últimos anos de suas vidas, e,tentando desesperadamente ajudar seu filho viciado em drogas, apesar de seus repetidos esforços para afastá-la. Mas, à medida que esses pedaços de sua existência começam a murchar e desaparecer, ela se vê forçada a olhar para sua própria identidade – e revive memórias que ela queria mais esquecer do que lembrar.

A atriz Stalwart Mary Kay Place está brilhante como Diane, criando um retrato vívido que ancora o filme com graça e gravidade.

In A Relationship – Direção: Sam Boyd

Owen (Michael Angarano) e Hallie (Emma Roberts) estão juntos há anos, mas quando Owen hesita na proposta de Hallie de morar juntos, eles tomam a decisão precipitada de terminar o namoro. Para seu desânimo, eles acham especialmente difícil separar-se, considerando-se o quão entrelaçadas suas vidas se tornaram. Enquanto isso, Matt (Patrick Gibson), o melhor amigo de Owen, se vê completamente apaixonado pela prima de Hallie, Willa (Dree Hemingway), e eles embarcam em um inesperado, mas promissor, romance. “Em um relacionamento’ é uma crônica engraçada, com a qual todos nos nos identificamos em algum momento, e nos faz pensar naquela pergunta que nao quer calar: precisamos de relacionamentos para sermos felizes?

Clipe Painel:

 

 

Mais sobre o Tribeca Film Festival:

http://www.hollywoodeaqui.com/circulando/festival-tribeca-prestigiando-o-cinema-independente-em-ny/

Recomendado para você

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *