Um olhar mais generoso para as diferenças é o que desejamos em fevereiro. Feliz mês!

“Admire a diferença e reconheça a sua semelhança.”

Essa frase que a atriz Marjorie Estiano tatuou em árabe, e compartilhou em uma entrevista com a Marília Gabriela, caiu como uma luva pra mim.

Sempre tive (e tenho até hoje) dificuldade em lidar com certos comportamentos e atitudes que não vejo lógica. Se eu for considerar a astrologia, posso dizer que por ser do signo de virgem, eu tenho uma tendência a buscar um sentido prático em tudo, tantos nos acontecimentos do dia-a-dia, nas minhas decisões e no comportamento e discurso daqueles que me cercam.

Vou ilustrar meu ponto de vista, com alguns exemplos, gente que me conta que chora no trabalho, eu penso na hora (e muitas vezes, falo pra pessoa) “meu Deus, mas é só um trabalho, se você não é ator e não é parte da sua função, chorar só porque levou um fora do chefe?” Meu cérebro não processa. Outra coisa que não consigo entender é a dependência excessiva, para fazer qualquer coisa, algumas pessoas só sentem prazer se estão acompanhadas. Eu respeito, mas não entendo. Também tenho problemas ao ouvir comentários das pessoas sobre assuntos que eu sei que elas nunca experienciaram na prática. Me enlouquece alguém da classe média alta brasileira falar com propriedade da vida na comunidade, sem nunca ter frequentado ou convivido com pessoas que de fato moram lá. Ouvir discursos sobre classe social de gente que só capta informações na mídia e se baseia no que assistiu nos filmes ou viu nas festas que rolaram na “favela” para o povo do “asfalto”, não me desce. E minha lista é interminável…

Mas, inspirada por Marjorie, que também tem ascendente em virgem, e no auge dos meus 47 anos, estou decidida a tentar de verdade admirar as diferenças, julgar menos as pessoas, em silêncio ou em voz alta, mesmo quando naturalmente elas me tirem do sério. Estou determinada e encontrar algum prazer nas possíveis semelhanças que eventualmente eu posso ter até com alguém, por exemplo, que votou no Bolsonaro. O mundo está precisando de mais compaixão, união, e eu preciso trabalhar a minha capacidade real de contribuir para isso.

Esse é meu desejo para o mês de fevereiro e para o resto da minha jornada nesse planeta tão especial.

E vocês? Andam repensando alguns dos seus conceitos pré-estabelecidos também? Boa sorte para realizá-los. E se quiserem, compartilhem conosco aqui, vamos nos ajudar a atingir nossos objetivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *