Promo “50 Tons de Cinza” – Sou fã e defendo!

O sucesso dos livros da série “Cinquenta Tons de Cinza”, se repetiu na adaptação para o cinema e o filme bateu recordes de bilheteria pelo mundo afora.

 

 

imagesApesar do boom, os fãs da história de amor de Christian Grey e Anastasia Steele sofrem muita retaliação, por se tratar de uma temática controversa, muitas pessoas confundem “BDSM” (“Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão”), uma prática milenar e um estilo de vida, com violência doméstica.

O que como disse Dakota Johnson, intérprete de Ana, numa entrevista, é um comentário desinformado, pois quem conhece um pouco mais sobre “BDSM” sabe que a prática está totalmente dissociada de qualquer tipo de violência.

Mas os fãs da série tiveram que aprender a defender com unhas e dentes tanto os livros de E. L. James como o filme dirigido por Sam Taylor-Johnson, e protagonizado por Dakota e pelo gato Jamie Dornan, que por sua vez interpreta um psicopata na série do Netflix “The Fall”; este sim amedronta muito mais que o bilionário Mr. Grey.

O Hollywood é Aqui celebra os fãs guerreiros que não têm vergonha de assumir seu amor por “Cinquenta Tons de Cinza” e faz uma promoção que vale:

Blu-ray + DVD + DIGITAL HD + UltraViolet (que será lançado dia 8 de maio)

Fifty Shades of Grey

Para participar, conte pra gente nos comentários deste post a critica mais severa que você sofreu ao dizer que é fã dos livros e do filme, e como você defendeu seu ponto de vista. A equipe do HEA vai escolher o melhor o comentário, que vai receber de presente o combo de “50 Shades of Grey”.

Abra seu coração! Defenda essa bela história de amor e participe!

la-et-mn-fifty-shades-of-grey-review-20150213

 

Regulamento:

1) Vamos considerar uma resposta por pessoa;
2) O brinde será enviado via Correios para o endereço indicado pelo leitor. Não nos responsabilizamos por possíveis atrasos ou extravio na entrega;
3) O resultado será divulgado no dia 06/05;
4) A data da divulgação poderá ser alterada sem aviso prévio.

 
collection-fiftyshades-gallery_0

Recomendado para você

Compartilhe

135 comentários sobre “Promo “50 Tons de Cinza” – Sou fã e defendo!

  1. O fato de um homem ler Cinquenta tons, fazer uma resenha positiva e ver o filme (e o livro) com um olhar diferente da maioria causa um certo espanto (não sei porquê). Certa vez alguém me disse: tem certeza que você é mesmo homem? Por gostar disso? Se for, acho que você bate na sua mulher.

    Isso não é uma coisa legal de se ouvir, a vontade era de dizer poucas e boas. Apenas olhei pra pessoa, pensando na melhor resposta e soltei: tem certeza que você vive nesse século? porquê com essa mente fechada não me espanto de ainda não ter conseguido namorada com essa idade.

    Ele riu, meio sem jeito, e eu ri de volta. Depois mandei ele ler o livro antes de criticar o que não conhece, porquê a maioria das pessoas que criticam é porquê realmente não sabem o que, de fato, conta a história.

  2. Estava comentando sobre os livros com uma amiga,falando que adorei e estava ansiosa pelo o filme.Ai um amigo dela chegou no meio da conversa e criticou o livro dizendo que era safado,e ainda ficou rindo de mim.Fiquei irritada com aquilo,e falei pra ele que ele não sabia de nada,e que não é isso que ele pensar,é sobre uma historia de amor,como um homem mudar por amor.

  3. O pior critica que eu recebi foi que disseram que rico batendo em mulher eu achava bonito e sexy,mas se fosse pobre eu ia dizer que era crime.Eu apenas respondi dizendo que, o livro relata um estilo de vida sexual que algumas pessoas gostam de viver,e que ele precisava ler o livro antes de comparar um gosto sexual com agressão física sem motivo.

  4. A crítica que recebi a respeito de Cinquenta Tons não foi diferente das outras que as fãs da trilogia receberam: “Nossa, você é fã de uma obra que incentiva a violência doméstica”. Confesso que era insuportável ouvir e isso e sempre ter que explicar o meu ponto de vista de uma forma que fizesse a outra pessoa mudar de idéia também. Expliquei que o que mais me encantou nos livros não foi a questão do sexo diferente, ou do poder que o Christian tinha, mas especialmente pela forma como ele tratava a Ana, como ele via a Ana. Nitidamente ela não é uma mulher com atributos físicos dos melhores, ou melhor, ela não é “gostosa” mas o Christian a transformou nos olhos dele, para ele ela é perfeita, a mulher que desestabilizou o seu mundo e virou sua cabeça. E também a mensagem que deixa, “uma mulher pode sim mudar um homem e exorcizar seus medos”. A Ana fez isso.
    Era incrível explicar isso as pessoas, mas a minha conclusão final é, pessoas tem opiniões diferentes. E se elas não te esforçam para ao menos observar caminhos diferentes, quem somos nós para fazer com que mudem de ideia?

  5. Acho que a mais ofensiva foi,você é sozinha e solteirona assim porquê lê essa porcaria.Pelos meus livros(que eu releio desde que comprei ha 3 anos) e pelo filme eu ficaria sozinha o resto da vida porque sinceramente não existe um homem que se compare a Mr Grey não e.

  6. No colégio, algumas pessoas começaram a ler “50 Shades of Grey” e uma professora ao avistar o livro na mão de alguns alunos começou a criticar, dizendo que era livro pra virgem (que não fez ainda e tinha curiosidade de saber como era) e que era coisa de quem não tem o que fazer. Aquilo me incomodou porque eu já estava a dias querendo ler o livro, pra conhecer a história e saber o que tem de tão “assustador” nele, já que para muitos esse livro foi algo absurdo. Então expressei minha opinião: Não é porque você não gosta de uma coisa, que ela não presta. Não devemos criticar sem conhecer, é claro que muitas pessoas tem curiosidade de saber como é.. Mas 50 tons não é o PRIMEIRO nem o ÚLTIMO livro que explora a temática do sexo. Há quem diga que o livro é “machista e pornográfico” e nem se deu ao trabalho de ler e entender que o livro vai além do sexo, ele explora o improvável e belo amor de Anastasia e Christian Grey. Por fim terminei falando que o importante é que as pessoas estão LENDO, isso mesmo, enquanto muitos passam o dia em frente ao computador ou televisão existem aqueles que estão lendo, talvez não seja a leitura que muitos gostariam, como Machado de Assis, Shakespeare e José de Alencar, mas o importante é que enquanto uns criticam outros leem e adquirem conhecimento porque ler só faz bem!

  7. Bom, até agora ouvi muitas criticas em relação a Fifty Shades of Grey, como o incentivo a violência doméstica, a baixa qualidade literária da obra e até mesmo o sexo em si, visto como impróprio pra uma época como a nossa, afinal estamos no século XXI, ano de 2015 (ironia). Eu sempre procurei defender a trilogia, primeiramente por amá-la e segundo para rebater tais comentários sem fundamentos do senso comum. Não, FSOG não incentiva à violencia doméstica, e esse pensamento veio de alguém que com toda a certeza do mundo não leu os livros, afinal a “violência” presente no livro foge ao conceito em si da mesma, e todos os atos cometidos são consensuais. A partir daí criticar é muito fácil, afinal o assunto realmente abordado na obra não é entendido; como o estilo de sexo retratado que é incompreendido por muitas pessoas, que acham vulgar (sexo não pode ser vulgar) ou inapropriado, e sequer procuraram se aprofundar mais na maneira como o sexo funciona nos livros (repetindo: todos os atos cometidos são consensuais, e como é dito no livro repetidas vezes: o objetivo é satisfazer 🙂 Quanto a obra literária ser considerada ruim por muitos, acho que algumas pessoas se esqueceram que os tempos mudaram, que hoje em dia com todo o avanço tecnológico que estamos vivendo a nossa língua vem sofrendo alterações, estamos em um contexto social e histórico que a literatura em si mudou, falo isso como furura Pedagoga, as pessoas criticam Fifty Shades Of Grey com uma hipocrisia tão grande capaz de esconder o sexo presente nos livros de grandes autores brasileiros, como Jorge Amado por exemplo. Sexo sempre existiu e sempre vai existir, afinal é a forma de reprodução humana e animal, e se ninguém se lembra o Kama Sutra é mais antigo do que imaginamos. Passamos por uma ditadura militar, que vendou a população completamente com a censura, tendo assim nossa cultura recuada, e mais tarde as manifestações artísticas nos deram espaço pra chegarmos onde estamos hoje, esse espaço que nos permite ter a arte nas mãos em um só click, mas infelizmente parece que algumas pessoas ainda estão vendadas. A trilogia aborda uma psicologia tão interessante que passou despercebida por muitos, mas não por mim, você entra na mente de alguém que tem seus traumas e passa a entender o comportamento daquela pessoa, após ler os livros eu tive uma mudança de visão de mundo incrível, tive materias de Psicologia na faculdade e confesso que fiz uma análise completa do Mr. Grey. É direito de cada um gostar ou não de algo, eu por exemplo não gosto de muita coisa, mas isso não me dá o direito de criticar algo que eu não sei, não li; portanto galera vamos ler os livros e debater sobre o mesmo com argumentos de gente grande, chegar ao ato de criticidade vai muito além de criticar, e o que é pior, criticar sem nem conhecer o que está sendo criticado.

  8. A maior crítica que recebi por gostar e sair desembestada para assistir 50 tons dois dias depois da estreia foi do meu filho. Menino único em uma casa de dois tripulantes, ele não entendeu como alguém, uma mãe dedicada e zelosa, podia deixar o filho amado na casa da vizinha para ir assistir um filme que ele não poderia ir junto. Em um shopping? Sábado a tarde? Em que mundo se faz algo parecido? Não no dele! Meu argumento foi o mais sincero possível: Filho, você não pode ir porque o filme tem muito beijo! Ele me olhou, pensou pensou pensou e contra-argumentou: Mãe, na hora do beijo eu fecho os olhos! Eu, re-contra-argumentei: Talvez seja uma hora e meia só de beijos (eu tinha essa esperança, não vou mentir) não me parece certo levá-lo para passar uma hora e meia na total escuridão. Enfim, comprei um jogo de playstation novo, arrumei a mochila com biscoitos delicioso, o deixei com a vizinha e fui. Tá! Eu prometi levar um MacLanche feliz, mas esqueci, mas ninguém poderia me culpar, estava embriagada por Grey e Ana. E sim, é das melhores história de amor e entrega que eu já vi e assistir na vida. <3

  9. A crítica mais severa, é a de sempre. As pessoas falarem que o filme é sexo explícito, não tem romance nenhum, e falam que o filme é escroto. Só quem é fã da trilogia, quem leu todos os livros, consegue entender e saber a verdadeira essência desse livro, dessa história, não é um romance comum como todos os outros no começo, mas o amor deles é muito mais forte que a necessidade dele de ser sádico. A história não é bem como as pessoas falam, no caso pessoas desinformadas. Christian Grey não ficou desse jeito porque ele quis e sim porque aconteceu coisas na vida dele que fizeram ele ser assim. O amor deles é muito maior de qualquer outra coisa. Esta é a minha defesa em relação a cinquenta tons de cinza, que sou muito fã!!!

  10. Além de fã de Cinquenta Tons de Cinza, eu também sou fã da Saga Crepúsculo. Todos ou a maioria das pessoas sabem que Cinquenta Tons de Cinza antes de virar livro era uma fanfic da Saga Crepúsculo e foi por esse motivo que eu conheci a trilogia antes de virar livro.
    As “dificuldades” de ser uma fã de 50 Tons ja começou com o lançamento do primeiro livro por ser classificado como livro erótico e eu não ser legalmente uma adulta eu tinha que levar minha mãe ou minha avó junto comigo para comprar os livros e as pessoas ja olhavam com espanto como se aquilo fosse um crime, mas eu nunca me importei. Um tempo depois do lançamento do primeiro livro ‘Cinqueta Tons de Cinza’ a trilogia virou um sucesso e em qualquer lugar que eu ia alguém estava lendo ou comentando sobre o livro. Até um pouco antes do lançamento do filme, praticamente 90% das críticas que eu recebia sobre Cinquenta Tons eram críticas boas mas após o lançamento começaram a aparecer os famosos “haters” e foi então que ser uma fã acabou se tornando algo mais difícil. Não é fácil ouvir alguém falando coisas ruins sobre algo que você ama, porém se ao menos as críticas negativas dessa pessoa tiverem fundamentos você tenta aceitar. Mas, todas (realmente todas) as pessoas que me falaram coisas ruins por ser fã de 50 Tons até hoje são pessoas que nem sequer leram o livro e baseiam seus comentários negativos apenas no filme e quem lê um livro sabe que o filme é basicamente apenas um resumo de toda a história que é contada no livro. Para um fã, que ja sabe todas as falas do livro o filme é perfeito pois mostra as principais cenas.
    Enfim, todas as pessoas que me criticaram foram pessoas que não leram os livros e vão na onda dos “haters” (porque parece que está “na moda” ser hater agora) e me dizem coisas como “sua mãe sabe que tem sexo no livro?” (como se sexo fosse algo proibido), “o filme influência a violência contra a mulher”, “ele só pode bater nela porque é um cara rico, se fosse pobre seria preso” (que é o comentário mais ridículo na minha opinião), “você não tem vergonha de ler uma coisa dessas?”, entre outros comentários desnecessários. A minha resposta sempre é “Você leu os livros?” e se a pessoa diz que não (sempre dizem que não) eu apenas ignoro porque esse tipo de gente não merece a minha atenção. Mas, ja cheguei a discutir com amigas por começarem a falar coisas totalmente sem fundamento sobre a história e sobre os atores (e advinha, elas também nunca leram nenhum dos livros).
    Pra mim não existiu uma pior crítica pois todas as críticas que recebi foram por pessoas que não conhecem realmente a história (e isso é algo que me irrita muito, criticar sem conhecer a história) e que foram feitas apenas para tentar me irritar porque sabem que sou uma fã ou para tentar me envergonhar por ser fã de uma história que aborda o tema “BMDS” (e falharam pois nunca senti vergonha de dizer que sou fã de Cinquenta Tons de Cinza). Mas sim, ja gastei muito tempo explicando para várias pessoas que “a história não é só sexo, você deveria ler o livro”, pra mim Cinquenta Tons é um lindo romance que aborda um tema muito julgado na sociedade que é o BMDS e que isso é algo bom e serviu pra quebrar vários tabus. Outra coisa que sempre digo é que eu acho muita hipocrisia as pessoas julgarem tanto a história por conter sexo sendo que os sites pornô estão sempre na lista de sites mais acessados do mundo.
    Eu tento não me irritar com pessoas ignorantes, mas sempre que é preciso eu defendo sim Cinquenta Tons de Cinza primeiramente porque eu sou fã e também porque é um romance lindo que não merece ser julgado como “livro que só tem sexo”.

  11. A pior critica que ja recebe foi dizendo que eu estava incentivando a violência contra a mulher que o livro humilhava a mulher.
    Eu defendo com unhas e dentes a trilogia pq a maiora está equivocado em relação da história que o livro conta, quem é fã mesmo sabe a verdadeira história que esta sendo contada, não se tratar nada sobre violência doméstica ou difamar a mulher, a relação entre os personagens são consensual onde a Ana aceitam espontaneamente, ela não é obrigada a fazer nada justamente o filme mostra exatamente o que muita gente idealizou de maneira errada quando leu o livro e ainda mais o a história é apaixonante e linda

  12. Recebi a pior crítica ao postar em uma rede social uma frase do livro que eu considero linda e citá-lo como referência. Daí, surgiu várias pessoas, tanto homens quanto mulheres, dizendo que a obra era uma porcaria, que incentivava a violência, que manchava os grandes clássicos e a literatura em geral, que não era o tipo de leitura adequado para uma moça de família, dentre outros comentários ridículos… Minha resposta foi a seguinte: primeiro, quem comprou os livros fui eu. Segundo, ninguém tem o direito de limitar os livros que eu leio. E, terceiro, é uma história de amor diferente que enfatiza não a violência mas um estilo de vida real e até onde se pode ir para continuar com quem se ama… Em nenhum momento, a protagonista estava sendo forçada a fazer algo que não queria, e quando ela viu que não era a praia dela, caiu fora. É um livro sobre escolhas, traumas e estilo de vida, sobre limites e adaptação, e o sexo é uma parte importante sim, mas o que predomina é o amor… Uma linda história de amor, que com ou sem esses comentários preconceituosos fez tanto sucesso que foi adaptado para o cinema. E, fez sucesso porque somos nós fãs que fazemos dar certo, que contribuímos para isso, e permanecemos fiéis mesmo com todas as críticas.

  13. Quando eu li os livros há alguns meses atrás, a minha própria iniciativa de leitura foi uma forma de responder aos comentários adversos contra a trilogia. Eu sempre ouvia diversas opiniões sobre o livro, e decidi que havia chegado a hora de eu formar a minha própria opinião sobre. A maioria das opiniões que ouvi eram completamente negativas, cheguei a ouvir que a série era um “pornô para donas de casa” ou “se é pra ler um livro assim eu prefiro ver um pornô”, esse tipo de coisa me fez demorar a iniciar a leitura, mas eventualmente eu senti um desejo de tirar as ninjas próprias conclusões sobre. Quando li o primeiro livro, minha percepção sobre a história mudou completamente, ou seja, percebi que de fato havia uma história de amor maravilhosa por trás daquilo que as pessoas julgavam como apenas um livro com sexo descritivo e apelativo. Iniciei o segundo livro e quando estava na metade o filme foi lançado, fui na estréia ver o filme com algumas amigas, muitas delas ainda com vergonha por estar vendo esse tipo de filme, no começo até eu me senti um pouco constrangida, talvez mais por elas do que por mim, me lembro que quando sai do cinema, encontramos uma colega no caminho do shopping e ela bem sarcasticamente nos perguntou “foram ver 50 tons?”, naquela oportunidade, por respeito às amigas que estavam junto acabei desconversando mas num momento posterior à esse confrontei essa colega dizendo que tinha ido sim ver o filme depois daquele dia, ela me disse várias coisas, que não concordava com o filme pois uma manifestação na Inglaterra declarava que a história fazia apologia à violência doméstica, me lembro de confronta-lá várias vezes sobre essa opinião com várias citações do livro, para provar por a mais b que todas as praticas do livro eram consensuais e nada tinham a ver com violência grosseira praticada por milhares de homens todos os dias, lembro que ela ainda ficou com o pé atrás mas aceitou minha opinião e passou a ver a história com outros olhos o que já foi um ganho.
    Ainda falando sobre o filme na faculdade, me deparei com outra colega julgando a história sem ter lido o livro nem visto o filme, apenas com base em opiniões externas que ela havia ouvido, ela dizia que “esse filme é um lixo, é tudo sobre sexo, é uma vergonha as pessoas lotarem os cinemas pra ver isso, o pior era ver várias senhorinhas lendo isso no metrô” etc, quando ela disse isso eu não aguentei e tive que confrontar, de maneira completamente amigável eu expliquei toda a história pra ela, expliquei por que as coisas aconteciam da forma que aconteciam, e fiquei feliz pois consegui fazê-la perceber que há uma história de amor maravilhosa por trás de todas as relações sexuais, e ela até me disse que iria ver o filme!
    Acho que todas essas experiências que citei serviram não só pra educar essas pessoas à deixarem de lado o preconceito contra algo que elas nem conhecem, como também me ajudou a falar com mais liberdade sobre o assunto, me assumir como uma fã. Hoje sou completamente mente aberta com isso, falo sobre isso com várias colegas e também nas redes sociais, então aquilo que eu li apenas por uma curiosidade de formar uma opinião acabou me tornando uma indiscutível e fervorosa fã, hoje bato no peito e digo: SOU FÃ DE CINQUENTA TONS DE CINZA SIM!
    Essa é a minha história, espero que gostem!
    Laters, baby.

  14. “Livros com esse tema são escritos apenas para poder vender,sexo e porrada, é disso que as pessoas gostam.” Primeiramente meça suas palavras ao dizer que é apenas sobre sexo sem nem mesmo ter lido. A história de Ana e Christian é muito mais do que apenas sexo. Se você tivesse lido teria percebido isso. Christian é um homem com um passado muito difícil e lida com ele até os dias de hoje. A história é sobre medos, traumas, aceitação e amor. Eles se amam e se você nao sabe, na vida real pessoas que se amam fazer sexo. O trilogia nos mostra um tipo diferente de sexo, que muitos não conheciam mas certamente BDSM nao é o tema do livro.E se estão tendo vendas é uma coisa ótima porque trás também um público novo para a leitura o que hoje em dia é bem difícil. Talvez essas pessoas passem o resto da vida lendo livros eróticos ou talvez elas também passem a se interessar por outros tipos de livros, mas apenas a mecânica da leitura já não se torna ótima? Se a sociedade não enxerga isso é uma pena. Não fale do que não conhece, não julgue antes de conhecer, até porquê nao seria nada agradável de fizessem isso com você.

  15. Meu professor de física me criticou por eu ser um garoto que leu os livros da trilogia e ainda gostou, quis duvidar da minha opção sexual e etc. Na minha defesa eu disse que um livro não definiria quem eu era, mas ajudaria a construir meu caráter, coisa que ele não tinha, que por ser professor não importava qual fosse a matéria tinha que incentivar os alunos a lerem coisas que eles gostassem e se interessassem e que ele como professor tinha que dar o exemplo pros outros alunos de aceitarem qualquer um independente do sexo, raça, opção sexual ou condições financeiras, sai da sala sob aplausos dos meus colegas de classe.

  16. A maior critica que recebi foi feita por mim mesma, antes de ler os livros sempre achei que era uma obra apenas baseada no porno,me enganei muito, a historia tem suas partes quentes sim,porem é uma historia de amor, assim como qualquer outra historia que contenha dois jovens descobrindo-se, apenas é uma forma diferente de descobrir e encontrar esse amor. Essa talvez tenha sido uma das maiores lições que o livro te ensina, não tenha preconceito com o que vc não conhece, na verdade, não tenha preconceito…

  17. O pior que alguém me disse foi que o filme promove o abuso sexual, o fato do Christian bater nela e ela aceitar é como se isso mostrasse que é certo desvalorizar uma mulher. Eu apenas disse: Ana tem o direito de escolher aguentar ou não a dor, ela tem o poder de fazer o Christian parar, e as mulheres que realmente sofreram abuso? Essas mulheres não tiveram nem a chance de poder se defender, então te aconselho pesquisar sobre o que é abuso sexual antes de dizer que no filme tem isso

  18. Bom, creio que a maioria das pessoas que leram os livros de fifty shades, receberam alguma crítica, ou alguma represaria, comigo não foi diferente. Quando enfim comecei a ler a trilogia, me apaixonei logo de cara,como já é óbvio rs, meus pais viram eu lendo, mas como não sabiam o conteúdo, não questionaram nada. Quando foi divulgado o lançamento do filme do primeiro livro o ” fifty shades of grey”, claramente meu pai ficou sabendo, pesquisou sobre, e já vieram as primeiras críticas. Dizendo que era um filme: porno, explícito, inapropriado para uma mulher assistir, um verdadeiro absurdo e blá blá blá. Juntamente com as demais críticas das pessoas que souberam que eu havia lido os livros e já havia comprado o ingresso para a estréia. Expliquei como a maioria faz, o real conteúdo do filme vulgo livros: que sim há sexo, a uma forma ” diferente” de abordar o mesmo, mas que também a um amor de verdade, que aos poucos vai crescendo, se desenvolvendo, e que NÃO, a ” mocinha como eles dizem” não é abusada, não é violada, não sofre abuso, e TUDO que ele faz com ela e de consentimento dela, e que como os que leram os livros sabem, a submissão dela com ele e na verdade ela que administra tudo, fica no comando, e não ele. Mesmo todos que me criticaram, e criticam até hoje, sempre defendo a história, e o real significado da história apaixonante de Ana e Christian. E com toda certeza, com o lançamento dos demais filmes da trilogia ao longo dos anos, haverá mais críticas, mas como hoje, defenderei até o fim, como fã da história, e fã do verdadeiro significado dessa trilogia apaixonante, que só quem leu, sabe.

  19. O preconceito ao livro é uma critica já pré concebida em qualquer conversa. Os homens acham que é só putaria e sexo. Para muitas mulheres a falta de qualidade do texto, a submissão e a violência. Este último foi a pior que tive que ouvir como argumento, a pessoa é uma feminista que luta pela causa, disse que a mulher que aceita e acha bonito a personagem da Ana apanhar concorda com a violência á mulher. Que o livro, assim como o filme, incentiva os homens a tratar a mulher como um objeto sexual em que tudo é aceito, a submissão faz da mulher uma escrava e isto se refletia no comportamento controlador do Grey.
    Realmente defender a causa é mais complicada, mas já havia visto tantas teses psicológica sobre o comportamento dos personagens que reforço sempre o meu argumento. Esta é uma literatura fictícia, um romance como as princesas e os monstros. Não é um livro baseado em fatos reais com nomes trocados. Que ali é uma relação de casal, sendo que não havia mais parceiros na relação, como Bruna Surfistinha. Que os livros e filmes baseados em fatos reais, como também Tropa de Elite, eram mais elogiados e que muitas vezes se torce pelo mocinho desses filmes reais, sabendo que muitos são politicamente incorreto.

    É um romance que entrou nas cenas picantes do quarto de um casal, quem faz sexo sabe o que rola, não dá pra chocar. E é um história, um romance, menos teorias cabeças, deixa a gente sair da realidade e sonhar um pouco…isto é o que faz os livros. Estes são os meus argumentos, claro que ela não aceitou. Mas para quem sai pelada na rua em protesto, deve aceitar os pelados dos livros. Bem, o debate terminou por aí…cada um respeitando a sua opinião

  20. Bom ,antes que fale sobre minha inusitado e nada agradável abordagem pelo fato de ter me tornada fã da triologia , queria deixa um agradecimento ao site pela questão que através dessa promoção , creio que está sendo muito interessante pelo fato que irá “abrir os olhos” das pessoas que não tem capacidade mental , porque essas pessoas tem sim ” mente fraca ” vou até sitar um trecho do último livro cinquenta tos de liberdade onde Kate amiga de Ana , fala : que ela não tem celebro .. ( risos) E é a pura verdade pessoas sem celebro que não entende a verdadeira história que a história traz . e diz que ela é inadequada e diz ainda que ela induz a violência doméstica.
    Enfim , após assistir o primeiro livro e ter me apaixonado , comecei a ler a sequência , e a uns dias atrás lendo os penúltimos capítulos do último livro cinquenta tons de liberdade , uma tia minha me ofendeu dizendo que pelo fato deu ter 15 anos , o o ” livro ” é impróprio pra mim , pelo fato de no livro ao decorrer da história às situações de sexo entre o casal são bem detalhadas e no caso eu acho que ela ao lê o livro ( porque a própria admitiu que só leu o primeiro livro e não gostou ..),mais tenho certeza que ela não gostou pelo fato de não ter lido a seguencia , ao falar isso em segundos eu a rebati , e falei : Que ela deveria primeiro tenotar entender a história porquê do modo em que ela falou não entendeu nada .. nada mesmo falando até que o filme é um insulto os bons modos . ( é até engraçado falar isso ) E que o livro sim tem cenas detalhadas sobre sexo , mais nada como uma pessoa de boa cabeça , com capacidade e uma pessoa de bom humor , porque meu deus aonde que a triologia desrespeita os bons modos só se for pra ela que eu creio que vive no século passado , e ainda disse que eu seria mais educada que ela é emprestaria os livros para que ela tente renovar suas idéias e que faça uma reflexão sobre a história e e ela continuou a falar mal , e eu educadamente a disse que na minha opinião e na de muitas pessoas essa história foi a de um amor maravilhoso de se lê e ver , porque nós deixa ofegante querendo mais saber mais e pra mim foi muito boa a idéia da autora aborta o tema porque muita gente fala mal só pelo caso que eles usam o modo militar ” BDSM ” mais elaé tão difícil é mal informada e sabe muito bem que esse modo de atividade é nada haver com maldade , e que eu adoraria que abrisse mais os olhos e a mente para entender que a história se trata de um homem que sofreu muito e que num acaso do passado ele se viu com esse vício para fugir da dor e ao encontrar seu amor verdadeiro se ver na necessidade de mudar para não perder – lá . No qual não queria sofrer mais . a história mostra um amor ofegante , delicioso de se ler , e que tem seus altos de baixo e a necessidade do casal para achar um equilíbrio . Enfim é isso ..
    PS : vocês podem até desconsidera meu comentário pq além de falar um acaso que me aconteceu me desabafei porque não suporto quem fala mal de uma coisa que gosto . Obrigado e boa noite e boa sorte para mim adoraria de verdade ganhar , ter mais coisas no meu kit cinquenta tons . E pra quem ainda não leu , lei tenho certeza que se você for do mundo atual onde esse tipo de história serve para abrir os olhos de um ótimo modo você vai amar .

  21. Sempre que eu falo sobre o quanto eu amo 50 tons de cinza, sou tachada como “mulher que gosta de apanhar” ou ouço as pessoas dizerem “Queria ver se o Sr. Grey fosse pobre”. Minha defesa se baseia simplesmente no prazer para defender está linda história de amor. O prazer é tão pessoal,é escolha, é livre arbítrio. Ana não conhecia está forma de prazer ela escolheu experimentar, em nenhum momento passou de prazer para agressão. Bom em relação ao fato de Christian ser rico, estamos falando do amor deles, pode ser que outras mulheres se interessem por homens pelo dinheiro ( existem pessoas de todos os tipos “escolhas”)mas nesta história fica muito claro que, lógico que a riqueza impressiona, Ana não se apaixona por ele por isto é sim pelo homem misterioso e fascinante que é Christian Grey.
    Sempre acreditei nesta história como um romance moderno e defendo a força de Ana e obstinação de Christian.

  22. Quando manifestei o meu amor pela trilogia Fifty Shades, fui bastante criticada, a mais agressiva foi: “Como você, uma garota que diz gostar tantos de livros, ler essa porcaria e ainda virar fã? Só tem sexo, e um cara rico batendo em uma mulher sem ter nenhuma consequência por causa do dinheiro, é desse lixo que você gosta?” Confesso que minha vontade foi de bater na criatura que teve a ousadia de falar isso, mas defendi da seguinte maneira: “Não fico apenas dizendo que gosto de ler, eu amo ler, e o que leio ou deixo de ler não é da conta de ninguém. Antes de criticar qualquer livro da trilogia, leia, pois pelas suas palavras leigas e infundadas, é visto que você não leu nem a primeira página. Fifty Shades trata-se de um romance, que como todo bom casal tem sexo, consensual e de uma forma diferente do que a sociedade falsa moralista, acha correto. O livro aborda o BDSM e não a violência doméstica, então inteire-se do assunto primeiro antes de falar qualquer besteira. Tudo o que ocorre entre o casal é consensual e não um abuso. Leia, interprete e pare de ser um falso moralista.” Essa foi minha defesa. Creio que toda pessoa tem liberdade de ler o que bem quiser, sem ter que estar recebendo críticas. Temos que respeitar qualquer tipo de leitura, as pessoas tem gostos e opiniões diferentes, e se você não gosta, se cale e respeite o seu próximo.

  23. A crítica mais severa que eu já recebi foi primeiramente os olhares tortos das pessoas e segundo todo aquele blá blá blá. Muitas pessoas falavam que era uma história horrivelmente marxista e que eu só gostava por causa das “putaria”, portanto não pude ficar calada (logo eu que sou uma tiete kkkk). A minha melhor defesa foi ficar na minha, porque ninguém tem nada a ver com a minha vida e as pessoas são extremamente ignorantes e a segunda foi que eu sempre argumentava que era uma história “normal”, onde conta bem explicitamente a vida sexual de um casal nada cotidiano, com gostos bem singulares.

  24. A maior crítica que recebi foi porque eu iria ao cinema para assistir a um filme pornô e ainda por cima com violência a mulher. eu respondi que não é um filme pornô e sim um filme muito lindo com uma história maravilhosa e que as pessoas podem até considerar um filme pornô, mas o que conta é a verdadeira história de amor que tem por trás de todo o sexo que há no filme.E a grande mudança que ela conseguiu podendo chegar no lado escuro da vida dele. Esse filme na minha opinião é apaixonante DEMAIS e para qualquer pessoa que faça alguma crítica na minha frete eu defendo o filme piamente!!! Sempre tenho um bom argumento para defender o filme. Muitas pessoas que criticam o filme não assistiram o filme e nem leram o livro!
    17 de Abril de 2015.

  25. Explicar o porquê de tanto fascínio e admiração pela história de amor (pasmem! Mas, sim, amor! Indiscutivelmente o amor!) entre Anastasia Steele e Christian Grey, escrita pela E. L. James, é tão difícil quanto competir com todos esses comentários. Mas, assim como o amor da Ana está para o Christian, o meu amor pela trilogia está para a competição. As críticas, bem, elas existem desde que eu comprei o livro no começo de tudo. Li o livro da Erika aos meus 17 anos (hoje tenho 19) pela primeira vez, na escola. Eu parecia estar com algum tipo de problema porque todos me olhavam como se eu fosse de outro mundo. Mas ignorei, já que a história estava fazendo todo o sentido pra mim. Mais estranho ainda foi quando, durante uma aula, eu confessei que planejava prestar vestibular para Psicologia. Muitos quase me mataram com os olhos sem acreditar como uma menina que lia Cinquenta Tons de Cinza, um livro onde a “violência doméstica” reina, poderia, um dia, vir a se tornar psicóloga. Não. Era um absurdo. Eu tentava convencer a todos com todos os argumentos que uma garota de 17 anos pode de que aquela história se tratava de amor. O mais legítimo deles. Mas que só o sentiria quem realmente o enxergasse. Um colega arriscou uma frase do tipo “mas eu li o livro, vi tudo, e não consegui enxergar nada disso”. Até que eu interrompi. “Nem todos que vêem enxergam de fato. Enxergar vai muito além disso”. Então, desde aquele breve debate a partir do meu comentário tão corriqueiro que passou a ser uma afronta, eu percebi que, simplesmente, nem todos conseguem enxergar e sentir a verdadeira essência do amor. Aquele que nos invade sem pedir qualquer permissão e, da mesma maneira, comanda a nossa vida. Nos faz perder e ganhar os sentidos, sem controle. Assim como o Christian perde e ganha. E a Ana, também. Portanto, considero “felizes” aqueles que, assim como eu, conseguem enxergar. É amor, gente. E amor não se discute (nem ao menos se critica)! Hoje, no meu inocente segundo semestre de Psicologia, eu posso crer nisso. Beijinho no ombro pro meu antigo colega que duvidou! Laters, baby!

  26. Comecei a ler “Cinquenta tons de cinza” 1 anos antes do filme e foi mais curiosidade do qualquer outra coisa. Curiosidade de saber o porque as pessoas criticavam a trilogia e diziam que era um pornô e que eles incentivavam a violência doméstica. Não sou do tipo de pessoa que critica uma coisa sem saber do que se trata. Então resolvi ler e tirar minhas próprias conclusões e eu simplesmente me apeguei de um modo que não quero que tenha fim. Estou simplesmente apaixonada pela história e de como Christian estava perdido até encontrar a Ana que o liberta da escuridão. É SIM uma verdadeira e intensa história de amor. Bom, a crítica que recebi foi dos meus próprios amigos e alguns parentes. Como eu poderia ler um livro que só tinha sexo explícito, um homem sádico que só sentia prazer quando machucava as mulheres e como eu, uma jovem que estava quase completando 18 poderia ler um livro que não me influenciaria em nada, pelo contrário só despertaria comentários maldosos de pessoas desconhecidas e sabe-se lá o que poderiam fazer comigo. Passava inúmeras coisas pela minha cabeça, então resolvi usar a minha “boca inteligente” como diria o Grey e dizer tudo que estava entalado pela minha garganta. Primeiro, se as pessoas deixassem esse preconceito bobo de lado eu creio que seria um mundo bem melhor do que vivemos hoje em dia. É claro que cada tem a sua opinião, mas que só receberia críticas sobre a trilogia de pessoas que realmente tinham lido e não pessoas que simplesmente possuem o dom de criticar exatamente tudo.

  27. Bem,falei que era fã de fifty shades of grey , e me critiram ,pois falaram que o filme é uma pornográfica e que estimula a violência sexual e doméstica,e que humilha a imagem de mulher,oque eu respondi foi simplesmente que a pessoa teria que ler os livros pra entender o filme e que a todo o momento o christian pergunta a Anastácia se ela realmente que fazer aquilo ,e da total liberdade dela ir embora caso quisesse,e que o filme tem sexo sim ,se não queria ver porque foi assistir? , e falei que isso é uma história de amor, que conta como o amor pode mudar uma pessoa apesar do quão “fodido” ela seja!:) e que ele sempre prevalece apesar dos desencontros!

  28. A critica foi: Se você gosta de pornográfia entra num site próprio porque esse filme só tem isso, sem falar que é legal quando a mulher é forte e independente nos filmes e “essa dai” é totalmente controlada pelo cara… “Não assisti e também não pretendo!!
    Minha resposta: Em primeiro lugar você nem assistiu e ta julgando, o filme não é pornográfico, tem uma historia por trás disso que eu já percebi que você não sabe, e a mulher não é totalmente controlada pelo homem, pelo contrario, ela foi a única que conseguiu mudar a opinião dele um pouco… E ela não aceita ser a submissa dele… Você devia assistir antes de falar o que não sabe porque quem te contou pelo jeito também não assistiu!

  29. Bom desde que o livro foi lançado eu comprei logo, achei interessante.ai anos depois o filme foi lançado e todo mundo ao meu redor comentava. que esse filme não ele não devia ser lançado que era uma difarmação que ele devia ser proibido e ele era muito pornografico e tinha violencia domestica.ai um dia minha tia viu o trailer desse filme e ela sabia que eu tinha o livro mais, ela nunca imaginou que fosse tão erotico esse livro ai ela veio aqui em casa pra conversar com minha e tal,ai ela tocou no assunto do filme que ela tinha assistindo o trailer dizendo que esse filme era pornografia ,que ninguem poderia assistir ela dizendo que era uma violencia domestica e que devia ser proibido de passar esse filme no cinema. ai eu responde para ela:”tia pra sua informção o filme não fala de pornografia e nem de violencia domestica fala, sobre duas pessoas que se amam muito e eles se amam muito. então eu não acho certo a senhora vir aqui e fala que o filme é aquilo e aquilo.e se a senhora LÊ-SE o livro saberia disso então não julgue uma coisa que não é entendeu!”. ai depois dissa resposta eu passei uma semana sem internet. então é isso espero que gostem da minha história.ai depois que a minha tia foi embora minha me perguntou:”precisava fla com a sua tia daquele jeito só por causa de um livro/filme. ai eu rsponde:”isso so foi uma resposta,a senhora nem imaginar o que eu faria se ouvisse alguem fala mal de CINQUENTA TONS DE CINZA”.

  30. Fui assistir o filme sem animo, mas… tudo mudou, sai do cinema e comprei os tres livros, devorei cada um em menos de 2 dias e voltei ao cinema mais 3 vezes, chorei, varias pessoas disseram que era doida, tinha problema na cabeça, que era carencia, e o pior foi meu marido dizer que iria jogar meus livros se nao voltasse pro mundo real, rs, mas na verdade, jamais serei a mesma, esse filme trouxe um amor lindo, diferente e sem contos de fadas, o amor que sempre quis. Eu quero mooooooito o filme, sera o meu trofeu da melhor loucura da minha vida!

  31. “Você é fã desse livro? Tem que levar uma tunda (apanhar), aprende a se valorizar, vai ler um livro que some algo para a sua vida!”
    – Primeiro que se você leu o FSOG e acha que ele fala sobre a humilhação da mulher, desculpe, mas tem alguém que faltou as aulas de interpretação! O livro fala sobre um homem perdido que ao se ver desafiado, descobre o poder do amor. Um tema bem “comum”, mas a Erika abordou de uma forma polêmica, através do universo BDSM, e isso causou estranhamento.
    Segundo, ninguém é obrigado a ler ou a assistir o filme. Na teoria, todos temos a liberdade de escolha, se você não gosta, não assista!
    E por fim, deixe-me aqui, sonhando com homens que consigam ser lindos, apaixonados e bons de cama, a realidade não costuma ser assim, e eu busco nos livros que leio um universo paralelo, onde tudo é perfeito! A vida é curta demais para se perder tempo com discussões sobre preferências, afinal, como diria o grande filósofo contemporâneo, Christian Grey: “Meus gostos são muito… singulares, você não entenderia.” Kkk

  32. Estava em busca de algo pra ler me apeguei a triologia que todos estavam comentando, fui ler aos livros e me apaixonei pela história logo de cara, quando comentei sobre o acontecimento com meus primos e tios, a primeira coisa foi *a menina se apaixonou por safadeza*na hora tive que ler capítulos do livro para todos dizendo em auto e bom som que cinqüenta tons de cinza não é um livro de safadeza porpornográfico e sim uma história de amor relutante e amorosa, tendo Seus pros e contras,mas de um amor completamente puro e doce do casal Anastácia e Christian. Meus tios ficaram de boca calada e acabaram tendo que concordar que sim, é um livro de romance

  33. Eu sou um leitora voraz. Tenho 43 anos e já li inúmeros livros ao longo da vida. Tenho Cinquenta Tons o livro físico e no Kobo. Já li os três inúmeras vezes, fui ao cinema ver o filme 9 vezes. E digo isso em todas as redes sociais. Ouvi de uma amiga muito querida que nunca pensou que eu fosse “dessas” e que eu devia ler um livro bom. Eu respondi na hora no Facebook dizendo que ela não devia me conhecer é muito menos a minha biblioteca, que conta com todos os livros de Gabriel Garcia Márquez no original, assim como Simone de Beauvoir, as irmãs Brönte, todos lidos e relidos. Mas que minha paixão eram os livros de Cinquenta Tons e que eu não suportava preconceitos de intelectuais que se acham superiores aos demais. Que sexo consensual com jogos BDSM são naturais e não incitam violência até pq como o nome já diz é consensual e dá prazer aos dois. Violencia doméstica não tem conotação sexual nenhuma e é uma questão de gênero, sem relação com BDSM. Ela me pediu desculpas e disse que realmente era preconceito.
    Adorei relatar isso pra vcs, tb fiz um post no meu blog sobre isso, e espero ganhar, claro! Bjs

  34. Sou muitooooooo fã da trilogia 50 tons de cinza e já estou acostumada a sofrer com as críticas das pessoas que não entendem e não leram os livros.
    Em um dos primeiros dias de aula da faculdade,a professora perguntou pra algumas pessoas qual o último livro que elas leram e todas falaram livros ditos “comuns”.Quando chegou na minha vez e eu disse que tinha lido 50 tons de cinza e a sala toda caiu na gargalhada,inclusive a professora.Fiquei com tanta raiva daquilo e tenho certeza de que na sala também tinha um monte de gente que leu e estava com vergonha de falar .Aí começaram aqueles comentários de que não era livro,que era pra virgens,que quem lia não era de Deus,que era uma safadeza,que incentivava a violência a mulher,etc..
    Depois que eles pararam,eu falei que as pessoas que criticam sempre levam em conta as cenas adultas,mas que por trás disso tem uma grande história de amor e só quem leu sabe verdadeiramente o que é o livro e que me apaixonei sim pel trilogia e fui duas vezes ao cinema assistir o filme.Ainda sim eles continuaram rindo do que eu tinha falado.
    Depois de uns dias,ainda continuei ouvindo piadinhas e críticas por ter lido o livro,até deixei de falar com algumas pessoas por causa disso.

  35. O comentário que eu recebi que me deixou super irritada, foi que me disseram que as mulheres costumam ler esse tipo de livro, porque gostam de apanhar de homens, nesse momento meu sangue ferveu e logo soltei a minha resposta “O livro relata em primeiro lugar uma relação onde há consentimentos de ambas as partes e se faz tanto sucesso com as mulheres é porque o Christian é o HOMEM que toda mulher sonha em ter e não alguém como você que com certeza com sua mente tão pequena não sabe tratar uma mulher, segundo para fechar não se brinca com violência contra as mulheres, isso é caso muito sério e delicado e não faria tanto sucesso se fosse sobre esse assunto.”

  36. Sou fã da trilogia do livro e assisti duas vezes o filme,apaixonei-me pela linda história de amor que envolve um homem e uma mulher e sexo,renuncia de estilos de vida onde o amor falou mais alto,e a critica da mídia e da sociedade hipócrita que é uma violência contra a mulher seja ela domestica ou não.Onde sabemos q não é verdade eu como mulher eu não me senti assim e sim a falta de amor q reina no dia de hoje,onde as pessoas não são capazes de renunciar os seus objetivos e estilos de vida seja ela qual for para viver um grande amor.

  37. O Comentario que me deixou bem nervosa foi que , eu estava falando com uma amiga minha sobre o livro/filme e ai passou um homem bem ao meu lado falando que eu era Safada e tals e dizendo que eu devia apanhar pra saber como é bom . Sinnceramente , eu quis matar o homem , e eu respondi : ” Meu filho , voce simceramente acha que esse filme relata sobre o abuso e agressão ? porque no meu ponto de vista , essa é uma linda historia de amor , onde um homem com seu jeito controlador , baixa a sua guarda pelo simples fato de achar a mulher da sua vida . Ele se apaixona , ele muda seu jeito , sai da zona de conforto , pela mulher da sua vida . Ele sim é homem de verdade , porque homem que muda realmente pela sua mulher , encontrou sua alma gemea . Agora , voce deve ser um pessimo marido . Pergunta pra sua mulher oque ela acha do livro . Aposto que um homem que na realidade nem existe é bem melhor que voce . Primeiro , analisa as coisas , depois julga ! E só pra voce lembrar : esse filme nao é sobre violencia contra a mulher . Todas nós sabemos nos valorizar .

  38. A maior crítica que eu recebi foi do meu professor dizendo que fsog é uma péssima história que só pessoas idiotas liam, disse que era apenas sexo, criticou as mulheres que liam e ainda chamou a Anastasia de prostituta e isso foi o cúmulo pois ele não tinha lido e falou todo isso na base de críticas idiotas que viu na internet disse para ele que a Ana estava apaixonada pelo christian, que só aceitou todo o contrato por causa dele não pelo seu dinheiro, a própria se sentia como uma prostituta no começo e odeiava isso é tudo isso era uma história de amor não sexo por isso que muitas mulheres liam pois queriam uma linda história como a de christian e Ana no fim eu Ô mandei ler o livro antes de falar de algo que não sabe

  39. Quando eu li pela primeira vez a trilogia, eu simplesmente não conseguia ler outra coisa… Durante dias eu relia a trilogia. Uma vez enquanto eu lia na faculdade, uma colefa chegou e perguntou o que eu lia. Eu respondi que era 50 tons. Então ela fez uma super cara feia ( ela conseguiu ficar ainda mais feia do que ja era –‘ ) e disse:” é sobre aquele porno que todo mundo esta falando? Aah, Juliana melhore suas escolhas. ” Noooooosssa, eu fiquei muito PU** !!! Então eu levantei, fui ate ela e disse: ” Em primeiro lugar eu escolho o que quizer para ler. Segundo, me responda uma coisa: todo casal que se gosta não faz sexo? De acordo com a autora as pessoas fazem sim. É um livro sobre uma pessoa que tem gostos diferentes na hora do sexo e tem outra pessoa que entra nesse mundo por vontade propria, sem ninguem força-la a nada! E é sobre o amor de duas pessoas diferentes, que no final de todas as dificuldades elas casam, tem lindos filhos e fodem pra caralho.. Não espera: elas fodem no livro todo! E em terceiro, você devia ler, quem sabe você abre mais sua mente.” 🙂

  40. Bom, acho que meu caso foi um pouco diferente dos demais. Assim que vi o trailer do filme vi que Jamie Dornan participava e tinha adorado sua atuação em The Fall (série que adoro), então resolvi ler os 3 livros para saber do que se tratava, até porque o filme ainda ia demorar para chegar aos cinemas. Me apaixonei tanto que li pelo menos 3 vezes cada um deles. Fiquei tão encantada com a história que comecei a procurar qqr coisa que tinha a ver com o assunto. Foi então que comentei com uma pessoa que havia lido em algum lugar que a trilogia de 50 tons tinha vendido mais que que todos os livros de Harry Potter e imediatamente ouvi uma bufada de recriminação acompanhada de “nossa quanta mulher carente nesse mundo né?”. Confesso que tive que respirar fundo e contar até 10 para responder. Mas logo respondi, vc gosta de filmes/livros de romance? Ela me respondeu sim é claro! Bom a história de 50 tons é um romance, claro tem sexo como uma boa parte dos livros/filmes adultos mas o âmago da história é sobre o amor entre duas pessoas e o desafios que elas enfrentam para estarem juntas, só isso. O sexo na história é só para ilustrar a intensidade da relação deles e como tudo é maximizado qdo eles estão juntos. Por isso fiquei tão envolvida na história, pois nunca tinha lido algo tão diferente e envolvente na minha vida. 50 tons realmente me marcou pois comecei a enxergar completamente diferente meus próprios relacionamentos e como conduzia todos eles. Enfim acho que meu argumento a afetou de forma tão convincente que além do silêncio imediato, ela logo tratou de ler os 3 livros e ainda me convidou para assistir o filme. Que ironia né? Bjs!

  41. A crítica que recebi foi da minha professora de história, ela achava que por eu gostar do livro e do filme eu ia praticar as coisas, e ainda falava que se eu lesse algum deles eu ia ficar com 50 tons de vermelho na pele de tanto que ela ia me bater. Ela acha muito vulgar a história, falava que o Christian era machista e a Anastasia puta. Mas eu sempre falava que só queria descobrir o porquê do título ser 50 tons de cinza, Mais Escuro e De Liberdade e ela insistia em falar que ia me bater se eu lesse. Então resolvi ignorar as coisas que ela me falava, e pedi pra minha mãe comprar os livros, porque como eu era menor de idade eu não podia compra-los.

  42. Além dos comentários infames que todo fã assumido de Cinquenta Tons já ouviu (“isso é pornografia, incentiva a violência doméstica, vai contra a religião X e Y” e outros mimimis), uma das mais inesquecíveis críticas que já recebi por ser fã de Cinquenta Tons foi do meu namorado.
    Sem ter lido a trilogia ou assistido ao filme – ou seja, apenas com a opinião de terceiros, ele soltou um “Isso é um livro de pornografia pra adolescentes virgens ou tiazonas mal-comidas”. Perdoem a expressão, mas foram essas as palavras que ele usou.
    Respondi que, da mesma forma como eu nunca julguei os gostos dele pra música ou literatura, seria idiotice ele tentar julgar algo que não sabe direito o que é. Ele, assim como muitos ‘haters’ da trilogia, usam como base o fato de que é um livro erótico com aspecto BDSM. Não se interessam em conhecer antes de criticar – e não é só com Cinquenta Tons que isso acontece, né?
    Os que conhecem e não gostam, MAS respeitam, ganham meu respeito também – agora, para os zé-ninguéns que pensam ter o rei na barriga, só digo que ninguém vai mudar de opinião só porque VOCÊ não gostou. Não é assim que a banda toca.
    Antes de falar mal da gente, pense como você se sentiria caso alguém te julgasse por gostar disso e daquilo. Acho que, enquanto isso não acontecer, ninguém vai ter respeito por ninguém – e isso não vale só pra gostos.
    (Aliás, sobre o namorado: Virou ex. Sem brincadeira.)

  43. O conteúdo da obra causa uma discussão muito complexa sobre os temas ali tratados, e comigo não foi diferente. Não foi um comentário. Sequer dois. Mas sim, vários. O fato de você ler um livro ou uma trilogia que aborda um assunto sexual hoje em dia, é como se você fosse taxado e denominado uma pessoa inferior relacionado àquela que lê livros de saga como Harry Potter, o que é um grande equivoco. Isso não quer dizer absolutamente nada. O fato de você se entusiasmar com uma história como a de Christian e Ana é absolutamente normal. O fato de você ler uma cena de sexo é normal porque simplesmente as pessoas fazem isso, e cada uma tem um modo particular de aproveitar. Recebi comentários negativos colocando o personagem Christian como um maldito filho da mãe por ele ser adepto de um estilo particular, como se ninguém tivesse os seus, no aspecto sexual e geral. E a minha justificativa para esses comentários, é que foi o modo como ele aprendeu a se aliviar por uma infância trágica. Alguns bebem, outros fumam, têm aqueles que dançam, correm, fazem esportes e arte. Ele conseguiu se aliviar pela metade em sexo. Se você instrui uma pessoa a se aliviar praticando esporte, ela o fará. Se você for instruído por sexo, como o Christian, você também o fará. Também recebi comentários e críticas relacionadas à Ana. ‘Como uma mulher se submete à apanhar?’. E eu rebato. Como descobrir se vale a pena, se não tentar? Não se trata de bater, de dor, de machucar, de sofrer… se trata de conhecer um outro lado e, cabe a determinada pessoa descobrir se a agrada ou não. Fui muito criticada pelo fato da personagem se entregar tanto sendo que não tinha experiência, sendo chamada dos termos mais chulos, quando duas palavras a definem: coragem e determinação. É impossível correr quando você está tão presa e ligada emocionalmente com alguém, a Ana é determinada e está lá para descobrir até onde pode ir. E ela consegue. É nítido nos livros o quanto o Christian se molda a Ana e o quanto ela se doa e abre mão de ser por ele. Não se trata de sexo. Se trata de amor. Como o amor pode sobreviver à personalidades, classes, vidas, estilos e criações tão distintas. Se trata de sobreviver e viver um amor, superando a cada dia as diferenças para que juntos alcancem algo chamado felicidade.

  44. Qdo disse que estava lendo os livro todo mundo criticou que não eram livros de Deus que quem lê geralmente não gosta de sexo…depois me disseram que quem gostasse dessa saga era pervertido. …mas agora todas as minhas amigas querem ler e estão tao aficionadas qto eu..mmas não me importo…se estou amando não ligo com os outros.

  45. Bom, pelo que li nos comentários, as criticas que todos receberam foi mais o de que FSOG era pornografia, incentivava a violência doméstica e etc. Mas a minha foi a mais RIDÍCULA, e veio justamente da minha tia. Ela chamou o Christian de ninfomaníaco! Então, eu olhei para ela e disse: Com certeza você não deve saber de NADA sobre o livro, e com certeza não sabe sobre o que é ser um ninfomaníaco. Acho que você deveria procurar saber o que é, porque o filme não tem nada sobre ninfomania.

  46. Me perguntaram se eu nao tinha vergonha de gostar do livro. O que eu respondi? Respondi que vergonha eu deveria ter se tivesse roubado milhoes como os politicos brasileiros, se tivesse matado ou abusado como muitos criminosos que ficam soltos com essa justica vagabunda que nos temos, mas que gostar de im livro que conta uma historia de amor e que tem muuuuito sexo nao me deixava envergonhada, mas sim animadinha. Claro que a pessoa nao falou mais comigo sobre o assunto 50 tons, e assim nao tive que brigar mais.

  47. Então, quando falo que sou fã da trilogia “Cinquenta Tons de Cinza” as pessoas logo me olham com diferença, por não estarem acostumadas a verem um homem com uma camiseta com a escrita “DOMINANT” com uma foto do Jamie segurando sua gravata (sim, mandei fazer duas camisetas, esta e uma estampando o cartaz).
    Tenho os livros, acompanhei as gravações pelos sites. E fui ver o resultado no cinema (10 vezes) e, não me arrependi.
    Porém, em uma destas vezes, umas mulheres falavam perto de mim “Nossa, que homem grosso!”, ou então “Que garota mais estúpida, deixa ele fazer isto com ela”. Aí eu ficava quieto, mas teve um dia que uma mulher falou bem do meu lado: “NOSSA, QUE TAMANHO DE CALCINHA!”. Aí eu não aguentei. Assim que ela saiu, ela ficou na porta do banheiro esperando uma amiga, cheguei nela e falei: “OLHA, QUERIDA. SEI QUE VOCÊ FOI ASSISTIR O FILME E TUDO, MAS VOCÊ GOSTOU?”, aí ela falou: “AH, MAIS OU MENOS. ESPERAVA MAIS.” Aí eu respondi: “TÁ, VOCÊ LEU O LIVRO? VOCÊ LEU TODA A TRILOGIA OU SÓ O PRIMEIRO?”. Aí ela falou. “AH, TÔ LENDO AGORA, MAS VIM VER O FILME”. Aí fui eu: “TÁ, SÓ TE FALO UMA COISA: ANTES DE COMEÇAR A DAR A SUA OPINIÃO POR AÍ, ESCUTE OS FÃS, PESSOAS QUE LERAM E ENTENDERAM A HISTÓRIA, LERAM E RELERAM TODA A TRILOGIA. VOCÊ NÃO GOSTOU DO CHRISTIAN, POR ELE SER DAQUELE JEITO? ENTÃO, QUERIDA, SÓ TE FALO: ELE É UM SER HUMANO MACHUCADO POR DENTRO, ELE NÃO CONHECE O AMOR, SÓ A DOR. E A ANA É INOCENTE NA VIDA, E ELE FOI O PRIMEIRO EM TUDO PRA ELA, E ELE TAMBÉM. POR ISSO A HISTÓRIA NÃO SE TRATA APENAS DE SEXO, E SIM DE UM MODERNO CONTO DE FADAS. ENTÃO, TERMINA DE LER O LIVRO E, AÍ SIM, VENHA VER DE NOVO O FILME. QUEM SABE ENTENDEU, NÉ?”.
    Aí virei e vi que ela ficou falando com a amiga que saiu do banheiro, aí voltei e falei: “AH, E SÓ MAIS UMA COISA: O FILME É AMERICANO, E LÁ AS ROUPAS ÍNTIMAS SÃO ASSIM. E SE ELA NÃO DEPILAVA É PORQUE ELA NÃO VIA NECESSIDADE, POR SER VIRGEM. LÁ NÃO É BRASIL, ONDE A CALCINHA É FIO DENTAL E FICA TUDO A MOSTRA. TÁ?”. Aí sai.

  48. Minha prima ficou literalmente me xingando por eu gostar dos livros e ter gostando do filme.
    Então eu só perguntei se ela já tinha lido todos os livros e ela disse que não.
    Então emprestei meus livros pra ela,ela leu todos e depois veio me falar que realmente a historia não era sobre abuso como ela pensava antes.

  49. A pior crítica que eu já recebi foi das pessoas que eu mais amo na vida, meus pais, quando eu falei que iria assistir ao filme (2 meses antes da estréia), eles ficaram revoltados, principalmente por causa da minha idade (15 anos), falaram que isso não é uma coisa para pessoas decentes ver e proibiram minha ida ao cinema para ver. Meu pai parou de falar comigo e exigiu ver todos os livros que eu já tinha lido e os que tivessem o mesmo conteúdo e gênero de fifty shades ele jogaria tudo no lixo, e minha mãe falava toda hora que na minha idade ela não lia “pornografia pesada” e sim ainda brincava de boneca.
    Depois de alguns dias, eu fui tentar falar com eles de novo e expliquei a minha posição, falei principalmente que idade não define o que eu posso ou não ler, falei que eu tenho muito mais livros do mesmo gênero e que não me envergonho de ser uma leitora de livros eróticos e até cheguei a explicar a trilogia para eles, e o mais importante, fifty shades não é uma “pornografia pesada” e sim um romance erótico bsdm, o livro não se resume a apenas sexo em todas as páginas.
    Resultado: Minha mãe se interessou pelo livro, hoje ela já esta acabando 50 tons mais escuros e louca pelo terceiro, no dia que o filme lançou, ela estava tão empolgada quanto eu para assistir, já que tinha se apaixonado pelo christian e precisava vê-lo logo e me disse que nunca mais vai querer ler outra coisa na vida além de romances eróticos.
    Meu pai depois que deu uma olhada em como a minha mãe aceitou bem, resolveu seguir a linha e não discutir comigo pelo meu gênero literário e até quis assistir junto com nós duas o filme (mas não foi, devido as gritarias que ele teria que aguentar quando o filme passasse, principalmente da minha parte e da minha mãe).

  50. Olha, eu realmente nao recebi critica de ninguem,mas ouvi dizer de pessoas que falavam que apoiar o filme é apoiar violencia domestica.Coisa que nao tem nada a ver já que tudo acontece com o consentimento da Ana.Acho que antes de criticar as pessoas deveriam pesquisar para nao falarem besteiras

  51. Algumas amigas minhas, chegaram a falar que a trilogia contém porno e não uma história de amor, e eu claro como sou muito fã de Cinquenta Tons, pedi para que elas lerem, antes de criticar sem saber como é toda a história! Fifty Shades não contém só sexo, tem muito amor sim, mais do que as pessoas pensam, acho que elas devem ler antes de criticar! Ia ser ótimo se as pessoas não falassem ao contrário por aí sobre a Trilogia, cada um tem sua opinião ok, mas se soubessem antes de sair falando mal, e meio que “sujar” os livros, deveriam aprender a saber a diferencia entre história de amor e abusos/pornografia.. Etc.. 🙂

  52. O fato é que hoje em dia existe muito preconceito em torno da verdadeira história e Anastasia e Christian. Lembro-me muito bem que a pior crítica que eu recebi foi a da minha professora que ainda não tinha lido os livros ou nem se quer sabia de a possibilidade do livro virar um filme. Ainda me lembro exatamente de suas palavras: A autora desse livro inspira a agressão física e psicológica de uma mulher e afirma que nós mulheres temos que ser submissas aos nossos homens para não podermos ser castigadas ou maltratadas sem falar que parece que somos recompensadas como cachorros ao recebermos presentes depois de satisfazer essa perversão dos homens.
    Ela apontou para mim e mais uma colega minha amiga que estávamos lendo o livro e falou essa frase que simplesmente mostrou sua clara ignorância em relação ao tema mostrado na história: Vocês ou outras mulheres que estão lendo esse livro, serão as futuras Anastasias Steeles que irão ser agredidas pelos maridos e irão achar graça pois é exatamente como mostra a tão famosa Trilogia Grey.
    Fiquei sem reação com suas palavras, mas logo reagi respondendo da melhor forma possível: Professora a história mostra que o amor pode superar até mesmo os nossos mais traumas mais profundos em relação a nós mesmos. Mostra também que independente de tudo temos que ser corajosas o suficiente para podermos lidarmos com os homens aos nossos arredores, pois antes mesmo de existir Christian Trevelyan Grey, tínhamos as agressões físicas e sexuais em todo o mundo e tenho certeza que isso que você acabou de falar foi por falta de informação e bom senso.
    O ano passou e nunca mais vi ela, até que em pleno dia 23 de fevereiro de 2015 eu lhe vi sentada do meu lado na grande estreia do maior fenômeno mundial. O meu adorado filme Fifty Shades Of Grey.

  53. Como eu tenho 15 anos,ou seja,uma idade não muito recomendável para ler,recebi diversas críticas,na verdade comecei a ler o livro por causa de uma e acabei me apaixonando.
    Quando comecei a ler fingi que estava odiando só pro meu amigo não me zuar,mas era díficil aguentar ele falar que era história sem noção,que “quem lia tinha falta de rola na vida”,e ai meus outros amigos começaram a falar mal e eu não aguentei e assumi que eu tava gostando do livro e que eu era fã.Isso se espalhou pra minha sala inteira e até os meus professores falavam mal,dizendo que isso não é coisa que se veja,é pornografia pura e explícita,que vai contra os ensinamentos de Deus…tive até que aguentar uma amiga fã de Crepúsculo dizendo que 50 Tons era uma vergonha,que acabaram com a reputação do Crepúsculo,etc.
    Eu defendo e sempre vou defender as coisas que eu gosto,não importa o que falam,se me julgam ou me xingam,porque eu sei que não é a pura verdade e com Fifth Shades não vai ser diferente.

  54. Bem já ouvi tomara q seu marido de encha de porrada e tive que falar ou vc não leu o livro ou não conhece violência doméstica e mostrei como o Dom respeita a vontade da sub coisa q muitos homens ditos normais não fazem e por fim ela falou mas o jovem não vai entender mas isso cabe aos pais policiar, ela no fim ficou sem argumento.

  55. O que mais escuto quando falo que sou fa de 50 tons de cinza é que gosto de sexo violento e critica mais severa foi a que tenho pessimo gosto e que apoio a violencia contra a mulher. Eu não considero esses comentarios porque sao totalmente errados e nada a ver com a historia. Pra mim 50 tons cinza é muito mais que BDSM é sofre uma mulher insegura e um homem com problemas emocionais que conseguem superar seus problemas juntos e aprendem muito sobre o outro e evoluem ao longo da historia. Devido ao amor que eles sentem e isso faz com que seja uma historia de amor verdadeira porque ha uma enorme mudança nos personagens eles se ajudam e conseguem ter uma vida mais saudável. Isso ajuda o leitor a entender que você não precisa ser perfeito pra ser amado só precisa permitir que o amor entre na sua vida e ter paciência e tentar entender o companheiro e ajuda-lo a superar seus problemas com paciência e compreensão.

  56. Olha, desde que comecei a amar e comentar a trilogia em si, fui muito criticada. Apontaram o dedo me chamando de “mal comida” que eu era aquelas solteironas que vão assistir esses filmes a procura de curar minha carência,já disseram que o filme é um lixo que se fossem pra assistir pornô iriam no redtube que encontrariam coisa melhor. Irritava? Sim, muito. Mais aprendi a debater isso de uma forma bem conveniente, o filme é uma história de amor que eles transam de varias formas diferentes que ela tenta se adequar aquele “mundo novo do Sr. Grey, mesmo assim ainda continuam tentando me atingir com as ofensas. Porem já digo minha paixão por cinquenta tons de cinza é inabalável e nada que disserem irá mudar. Todos que criticam as pessoas que gostam da trilogia e até o filme, bem no fundo gostaram e tem medo de assumir pois todo homem tem medo de perder sua mulher pra um Christian Grey kkk. Bom é isso, ainda sou criticada e julgada pelo meu gosto, porem sempre rebato dessa forma tendo a cada vez tendo melhores argumentos. Pois amo Demaaaaaaaaais cinquenta tons ❤

  57. Sou fã de 50 tons de cinza e tenho 15 anos. Li o primeiro livro aos 11 anos, e na época já sofria críticas por ser considerado um “livro adulto”. Sofri e sofro críticas até hoje por ser fã da trilogia e menor de idade, seja por amigos da mesma idade ou até mesmo por fãs (e não fãs, principalmente) da própria trilogia que são maiores de idade. Isso é só uma pequena parte porque além de ser um “livro adulto” e eu ser menor de idade e fã, a maioria das pessoas (que não leu os livros, por sinal) julga-o como machista e abusivo, o que não faz o maior sentido. A trilogia é uma história de amor, onde Anastasia entrega-se por completo à seu parceiro Christian, e a partir daí resolvem explorar os seus limites. Digo isso porque a maioria das pessoas veem a Ana como submissa, mas quem leu os livros e entendeu sabe muito bem que na verdade o submisso é o Christian, a Ana sempre controlou a situação de forma indireta fazendo com que Christian tomasse este posto. Eles se completam, fazem um do outro uma pessoa melhor. Ao contrário do que dizem, Cinquenta Tons não é machista e muito menos abusivo, tudo que acontece na relação da Ana e do Christian foi porque ela quis, ele jamais obrigou ela ou quis magoa-la e feri-la. Antes de se tornar um livro a história era uma fanfic, que geralmente são lidas por adolescentes e que contém muitas cenas de sexo, na verdade, só acho que Cinquenta Tons de Cinza é considerado “pesado” pelo sadomasoquismo, afinal, o que mais tem em fanfics são cenas de sexo se quer saber (e bem quentes). Logo, não tem sentido julgarem uma pessoa por ela ser menor de idade e ler um “livro adulto” de vez em quando. Sou fã de Cinquenta Tons de Cinza com orgulho, assisti o filme com minha mãe no cinema sem problemas. Não tenho vergonha disso e muito menos me importo com o que dizem sobre. O que importa é meu amor pela trilogia!

  58. Bom minhas amigas sempre falam do meu gosto literário ser “Pervertido” vamos dizer eu acabou respondendo que não vejo dessa maneira porque o que me encantou foi a história.
    Nunca tinha visto nem uma história como essa duas pessoas tão diferentes com um desejo que junta elas acho que todo mundo deveria parar e ir ler esse livro mudaria de opinião tenho certeza pessoas julgam porque só sabe fala que e o livro e só sexo odeio esse pensamento que as pessoas tem sobre o livro.
    Gostei dessa promoção pras pessoas vir dizer as criticas que sofrem sobre o livro. Quero logo Fevereiro 2017 “Cinquentatonsmaisescuros

  59. Estava eu e minha amiga conversando e contei que estava lendo 50 tons de cinza e que era muito massa a história do Cristhian e da Ana ai ela disse que esse livro só tinha pornográfia que não prestava pq só tinha sexo, e eu claro fã da história defendi com unhas e dente, por que a história em si tirando o sexo e linda e só mais uma historia de amor com seus altos e baixos e amo 50 tons e não estou nem ai para a opinião dos outros que me veem lendo o livro.

  60. Adorei ao filme e fui correndo comprar o livros e literalmente estou viciada.O problema é sofrer com comentários de minha irmã que ficou sabendo do livro por algumas amigas que o consideraram um retrocesso a luta feminista.Param mim meramente uma linda estória de amor, como uma Cinderela moderna, nada mais que fantasia romântica e moderna. Os atores interpretaram muito bem os personagens, estou louca para os próximos,pena que agora somente em 2017;

  61. Li e reli a trilogia, e honestamente fiquei completamente fascinada, é impossível não ler essa história e não se apaixonar, logo após ler os 3 livros, sai indicando para várias amigas, e é claro que sofri muito recriminação por conta dos comentários negativos que a própria imprensa divulga sobre os livros. As pessoas devem compreender que não se deve julgar um livro por sua capa, pelo contrário, para entendermos melhor a emoção contada, é necessário entrar na “pele” da personagem, eu muitas vezes me vi na Anastasia e dessa forma pude compreender melhor suas angústias, medos, felicidades, prazer e amor.Quando uma pessoa chegou em mim e disse que o livro era uma “putaria masoquista” que influenciava as pessoas, rebati dizendo:  As pessoas deveriam ter uma noção da diferença antes de criticarem. É um filme, é um livro. É a mesma coisa se eu assisto/leio Harry Potter nem por isso vou sair fazendo feitiços.  E a mesma coisa é a inocente história de chapéuzinho vermelho, eu sair pra levar doces pra alguém não significa que um lobo vai aparecer e me comer. Da mesma forma que se eu assistir/ler 50 tons, não virarei masoquista e nem vou sair por ai procurando por um homem que seja.Existe uma coisa que se chama realizade e outra que se chama ficção. E sinceramente acho que algumas pessoas que saem por ai criticando um simples filme, deveriam pegar um dicionário e ler a diferença dessas palavras antes de sair por ai falando besteiras.Além de que não adianta começar a ler o primeiro livro nem terminar e já sair julgando a história. Depois de me apaixonar pelos livros, veio o filme Fifty Shades of Grey, e francamente eu sai do cinema me sentindo realizada. E tenho certeza que assim como eu, milhares de pessoas amaram o filme. E podem dizer o que quiserem, jamais mudarão minha opinião, e continuarei defendendo a história como se fosse minha.Tenho certeza que os próximos filmes inspirados nos livros serão ainda melhores. Não me arrependo do dia que tomei coragem de ler os livros, porque acima de chicotes, algemas e açoites eu aprendi uma coisa muito mais importante, que o amor é a força mais potente para transformar o mundo, e Christian Grey é a prova disso!

  62. Bom, algumas vezes pessoas me olharam torto, sabe aquele olhar tipo: que garota vulgar, lendo livro “pornografico”. O fato é que onde moro, a maioria das pessoas são evangelicas (nada contra), mas houve uma vez em que eu voltando do trabalho, com meu livro na mão passei em frente a uma igreja proxima a minha casa. Uma pessoa na porta da igreja, falou em alto e bom tom, OLHA A MUANA COM O LIVRO DE PORNOGRAFIA E AGRESSÃO AS MULHERES. Fiquei chocada, primeiro, se sabia sobre o que se tratava o livro, já tinha lido e sabe que o verdadeiro conceito do livro não é esse e segundo se meter na vida alheia e expor as pessoas assim.
    Em fim, todos da igreja me olharam e eu acabei discutindo com a pessoa que falou. Disse que a história do livro é uma história de amor e compreensão, que BDSM é um estilo de vida no qual as duas partes consentem e não tem nada relacionado a violencia domestica. Bom, depois de meia hora de discursão, fui pra minha casa. E quando chego do trabalho no dia seguinte, alguns membros da tal igreja tinham ido na minha casa, conversaram com a minha mãe sobre a minha postura em defender uma “arma do demonio, para destruir as familias”. Eu tenho 24 anos e minha mãe é super mente aberta, ela simplesmente mandou as pessoas cuidarem de suas vidas e procurarem alguma coisa para fazer.
    Minha mãe então quis conhecer a história do livro, leu e amou. Hoje somos duas apaixonadas por Christian Grey (eu realmente louca, fã, viciada em FSOG, que pagou o mico de ficar abraçada na maquina de ingressos de cinema qd fui a primeira a comprar a estreia na minha cidade), e acabamos sendo as mal vistas do bairro em que moramos.
    Somos felizes e é isso o que realmente importa.

  63. Sou feminista e fã de 50 tons de cinza. Óbvio que uma coisa não anula a outra, mas algumas pessoas acreditam que sim.
    Uma noite qualquer estava eu no meu twitter (que inclusive tem como icon a Dakota Johnson) quando uma amiga tuitou a seguinte frase “E aquelas mulheres que se dizem feministas mas gostam de 50 tons de cinza? Miga pare”, na mesma hora fiquei chateadíssima e mandei “amiga, me mencione logo, uma coisa não anula a outra não”. Ela começou a dizer que o livro fazia apologia a violência domestica,que era só isso que podiamos encontrar nele, que meu feminismo é falho e que eu precisava ler mais artigos!
    Ler mais artigos??? !!!
    Respondi à ela que já tenho minha própria opinião e que não preciso ler mais artigos pra tentar formar uma não e o livro mostrava uma relação BDSM que não é nada mais que uma forma de se relacionar CONSENSUAL. Ela continuou batendo na mesma tecla e dizendo que o Christian é nojento e podre, disse à ela que tudo bem, é um direito dela não gostar do personagem, mas ela tinha que entender que não considerava uma atitude muito feminista da parte dela ofender mulheres que não se relacionam/ sentem prazer da mesma forma que ela, o corpo é de cada uma e cada uma decide o que fazer com ele. Mesmo eu transferindo a discussão para o BDSM ela queria continuar no livro, então ela disse, “ah, mas o livro tem uma relação abusiva porque a Ana muda totalmente por causa dele” eu perguntei “amiga, você leu o livro?” como eu já esperava ela me disse que não, que não aguentaria ler algo tão abusivo. Perguntei então como ela sabia disso se nunca havia lido, disse também que não, a Ana não mudou por ele, tanto que o relacionamento “acaba” e que a relação que é mostrada no livro é totalmente consensual porque o Christian só tocava na Anastasia quando a mesma concordava. Daí ela virou pra mim e disse que era hardfem e que não admitia isso, e terminou com “eu não to falando do livro, to falando de BDSM!!!” Foi aí que eu percebi que ela não tinha mais argumentos e que não valia a pena discutir com alguém que se confundia no seu próprio discurso. Disse à ela que ela deveria começar a ter sororidade com as amigas e entender as vontades e desejos alheios e que depois que ela lesse o livro a gente podia falar mais sobre isso. Ela disse “vou perguntar minhas amigas do grupo pra não acabar falando merda”.
    Ou seja, ela só estava reproduzindo um discurso que se tornou comum por pessoas que queriam boicotar o lançamento do filme. Nesse momento eu me senti vitoriosa mesmo sem a conversa ter terminado com ela concordando. Essa foi a vez que esse tipo de discussão BASTANTE RECORRENTE na minha vida mais me marcou, e eu sei que não vai parar de existir tão cedo, mas também sei que se já defendi por inúmeras vezes vou continuar defendendo ainda mais.

  64. Sempre fui uma pessoa mais reservada, em comparação as minhas amigas que falam sobre qualquer tipo de coisa. Quando comentei que estava lendo a trilogia foi um choque para elas..
    “Vocêe?? Lendo 50 Tons de Cinza??”
    “Sim, eu estou lendo e qual o problema?”
    Depois para ver o filme a mesma coisa.. Como muitos aqui estão dizendo que sofreram algum tipo de crítica ou discriminação pelo tema de violência contra a mulher, o meu caso foi o contrário, a crítica foi pelo meu interesse em ler ou assistir esse tipo de filme. O que na verdade para os autores e roteiristas é muito bom, fazer com que diferentes tipos de públicos se interessem pela mensagem que eles gostariam de passar. Então foi assim que eu me defendi, alegando que não posso formar uma opinião sem me informar sobre o assunto e que não estava lendo e assistindo pela apologia ao sexo e sim pela real história entre os personagens. O problema das críticas é que a maioria são feias por gente desinformada, portanto aos que criticam, informem-se mais, saibam do que estão falando para darem o seu parecer. Já aguardo ansiosamente 2017 para a estréia de 50 Tons mais Escuros.

  65. Bom, vou relatar a minha experiência estando não do lado da que sofreu preconceito,inicialmente, mas da que praticava e incentivava o preconceito aos fãs da história de “50 Tons de Cinza”, até que tudo mudou…

    Ouvi falar do primeiro livro em 2014, através de uma amiga que estava lendo o livro e que relatava um enorme entusiasmo pelo mesmo e também uma fascinação enorme. Dizia que ía dormir, apenas para que ninguém a incomodasse em sua leitura e aí passava a noite inteira lendo o livro, dormia de manhã, almoçava depois e voltava a ler o livro. Era um verdadeiro VÍCIO. Me contava por cima como era a história, mas sem dar detalhes. Dias depois, ouvia outras pessoas dizendo que não leriam, pois a história era muito pornográfica e violenta, que o livro deveria ser proibido ou até mesmo censurado. Mas, tinha outras colegas que tinham a mesma fascinação. Quando eu entrava em alguma livraria, lá estava toda a trilogia em destaque e pensava: “como pode uma história de livro ser tão amada e tão odiada ao mesmo tempo?”, até que um dia eu resolvi entrar na internet e procurar uma versão online de 50 tons para ler alguns trechos e ver o que tinha demais nessa história. Mas no geral, eu já sabia que era a história de um cara que tinha um estilo sadomasoquista e que se apaixonava por uma garota que nunca havia praticado isso e que também era de uma classe social bem abaixo da do cara. Sabia também que no desenrolar da história, o rapaz (no caso, Christian Grey) viraria uma espécie de “príncipe encatado” para Anastasia. Enfim, mesmo assim, quando li alguns trechos do livro na internet, fiquei chocada com os detalhes, na verdade, fiquei horrorizada. E então comecei a falar incessantemente na cabeça da minha amiga, mandava ela parar de ler, falava que ela só ia aprender merda com o livro, falei que a história era sem conteúdo, pornográfica e violenta (cheguei a falar, que se ela quisesse ver putaria, pra ir assistir vídeo na internet, q era menos violento kkkk). E assim eu fazia com todas as outras pessoas que eu sabia que liam o livro. Falei dezenas de vezes que jamais leria ou que veria o filme quando fosse lançado, afinal eu tinha que ser coerente com o q dizia aos outros. Mas a verdade é que este ano fiz tudo ao contrário. No começo do ano, perguntava todos os dias para minha amiga que dia iria estrear o filme e quando isso aconteceu, fiquei vendo as fotos da premiere e vi a repercussão que estava tendo. Nào resisti, e no domingo, 3 dias após a estréia, lá estava eu, na sala de cinema vendo o filme e para falar a verdade, eu me apaixonei pela história. Quando a sessão acabou, fui a uma livraria e comprei o box dos 3 livros. E a cada capítulo que eu lia, me apaixonava mais pela história. E aí, foi a minha vez de ouvir kkkkkkkk, porque minha amiga falou muito na minha cabeça, que paguei língua, etc. E aí sim, quando eu contava à algumas pessoas que havia visto o filme e que comprei os livros pra ler, comecei a ouvir tudo que um dia eu havia dito a minha amiga. Ouvi que incitava a violência contra a mulher, que era uma história machista, que eu como mulher deveria repudiar uma história como esta, que era pura pornografia, e também ouvi “conselhos” para não ler ou ver os outros filmes. Mas aqui estou, firme e forte, como uma recente fã e ansiosa pelos próximos filmes e apaixonada pela história.

  66. Bom,a critica que sempre recebi e ainda recebo é o fato de ser menor de idade e ter lido o livro em que “uma mulher deixa o cara rico fazer sexo bruto e no final ainda a espanca”. Todas as pessoas que fazem comentários maldosos, são sempre as de mente fechadas e que nunca leram o livro, só ouviram comentários maldosos e querem comentar também da mesma forma.Algo que sempre falo, não importa a idade com que eu li o livro e sim que tive maturidade o suficiente para entender que tudo que vocês afirmam ser não é verdade, tudo que acontece no livro tem o aval da personagem, ele faz tudo que a mesma permite. E pessoas também que afirmam que no livro tem de fato o bdsm e que isso é errado, doentio, primeiro que cada um faz o que bem quiser da sua vida, e no livro pra mim não acontece nada de anormal com que outros casais que queiram apimentar a relação não possam fazer. As criticas são algo que fazem parte da nossa vida, mas as pessoas antes de falar tem que saber no minimo o que se passa. A cada critica que recebo, tenho mais argumentos e me sinto segura e não me arrependo de ter lido.

  67. A crítica que eu ouvi foi me dizerem que esta linda história de superação e amor incentiva a violência contra a mulher e que tem depravação, o que é um absurdo. Eu respondi para a pessoa que a história de 50 tons de cinza tem que ser lida com o coração e mentes abertos, sem preconceitos (no sentido da palavra mesmo – pre/ conceitos), sem tirar conclusões precipitadas. Que é uma história forte e ao mesmo tempo super delicada, como a Anastasia e complicada e generosa como o Christian Grey é, mas que acima de tudo é encantadora e apaixonante. Que a Anastasia encontra o amor em um homem que tem um passado traumático e um estilo de vida alternativo (BDSM), que tem problemas emocionais e vai atém o fim para curá-lo através desse amor que supera tudo. É lindo demais e ao mesmo tempo quente, na medida certa, como um livro adulto deve ser. Que eu li mais de uma vez e não me arrependo e que se tornou um dos meus livros favoritos e mais significativo. E mais, se a Anastasia não quisesse, ela não etria permitido nada do que o Grey faz com ela, pelo contrário, ela permitiu porque o amor que ela sente por ele é forte demais e para ver até onde ele iria, para testar seus limites, mas tudo com consentimento, e no final ela se mostrou a verdadeira dominadora, no bom sentido. Essa é a moral da história. O Grey precisava de uma mulher forte e doce que o resgatasse de seu buraco emocional, da onde ele não tinha conseguido sair desde pequeno, apesar de toda riqueza material que ele já tinha.

  68. Me perguntaram se eu gostava de bdsm pelo fato de gostar dos livros, perguntaram se eu gostava desse tipo de sexo e que eu era nojenta por ler algo assim pois “o Grey bate nela, que tipo de relacionamento é esse? ele faz várias coisas nojentas com ela” Eu apenas perguntei a pessoa se ela tinha lido o livro ou lido a critica de uma pessoa (igual a ela que também não tinha lido o livro)? ela disse que não tinha lido o livro mas que todo mundo dizia isso. Eu disse a ela que ter opinião de algo que desconhece pode muitas vezes fazer com que tenhamos um argumento errado e que formar uma linha de julgamento por ter lido algo a respeito em algum lugar sem tirar suas próprias conclusões faz de você uma pessoa dependente das opiniões alheias para construir a “sua”.

  69. Tenho certeza que a crítica que recebi não é diferente das demais que já deixaram seus comentários. Recebi essa crítica pelo whatsApp, o menino tinha terminado de assistir ao filme (sem ler aos livros) e disse que não passava de pornografia barata, que o personagem era abusivo e machista, não existe pessoas serem traumatizadas e pra se sentirem melhor ter que espancar a parceira, era apenas uma desculpa para exaltar a violência doméstica, que sem dúvidas esse livro foi criado para donas de casas gordas, que não possuem maridos e vivem gastando o tempo cuidando de gatinhos. Pois bem, minha resposta foi a seguinte: ‘não costumo discutir essas questões com poser, afinal você sequer leu o livro né, mas devo te lembrar que o relacionamento entre a Ana e Christian foi algo consensual, e violência doméstica é um assunto mt sério e nenhuma mulher tem palavras de segurança para demonstrar ao agressor que está chegando ao seu limite e mt menos concorda em ser agredida. Desde quando sexo é pornografia barata? Pessoas quando vivem um amor pleno como os dos personagens fazem sexo e só por não ser do modo convencional é pornografia barata? Vai entender o que é PORNOGRAFIA e depois dê sua opinião, aaah, e já ia me esquecendo, você veio pagar de moralista, mas na verdade é um idiota, porque 50 tons dr cinza traz muito mais do que esse mundo de submissão, Christian é uma pessoa traumatizada, que ao conhecer o amor pleno e verdadeiro se ver liberto de toda a merda que aconteceu no passado, mesmo sendo clichê, a realidade é que o amor o transforma em uma pessoa melhor, uma pessoa sem traumas, capaz de formar uma família linda e ser feliz.

  70. A pior crítica foi de um casal de amigos que disseram que, como sou uma profissional da saúde (enfermeira) deveria repudiar ao invés de ser fã dessa serie de livros e do filme. Argumentaram que, por se tratar de um personagem de classe alta, é considerado Dominador, mas se fosse de classe baixa seria violência domestica. E que, baseado nesse posicionamento, eu deveria instruir as pessoas a não darem ainda mais chance para a fama da trilogia. Afirmei que se trata de uma historia de amor, acima de tudo, e que a maneira como o personagem mantem seus relacionamentos é uma opção consentida pelas parceiras. Mas ficaram relutantes!!!

  71. Quando disse que estava lendo o linvro varias pessoas me dizerm que isso era uma porcaria,que so falava de sexo e de violencia contra a mulher,eu mesma antes de ler acheia que poderia ser isso,ate que resolvi comprar o primeiro livro.Li o livro em 3 dias ,mal conseguia esperar para poder comprar o segundo, e o terceiro.Foi lendo que mudei minha visao e a visao dos outros sobre o livro,nao se trata de pornografia como todos falavam, e sim de uma linda historia de amor.Ate as minhas amigas que falavam mal do livro se viciaram ,fiz umas 4 pessoas que falavam mal do livro se apaixomar ,nao vivo mais sem meu Cristian Gray.Ja li os livros 2 vezes e ja olhei o filme 5 vezes…#amooooo

  72. Li o livro 50 tons em outubro de 2012, e foi o romance mais lindo que eu tinha lido até o momento. Até fevereiro de 2013, já tinha lido os três e a trilogia virou meu livro de cabeceira ” literalmente”. Comentava com as pessoas que estava lendo lendo um romance onde o protagonista era rico, lindo, gostoso e que era perdidamente apaixonado por uma moça que ele conheceu virgem. À partir daí começaram as críticas, dizendo ser um romance fantasioso demais, que não existia homem assim, como era possível no século XXI existir uma mulher virgem e etc……. No início, tentava expliçar do que se tratava o livro, mas a minha melhor defesa foi não comentar e nem rebater as críticas, pois iria perder meu tempo e o dos outros. O importante é que amei a trilogia, amei o filme é esperando ansiosamente, tanto pelo DVD, quanto pelos outros dois filmes. Ok? Abraços.

  73. O pior tipo de critica foi no meu trabalho, alguns leram o livro..e outros não..os q leram só se concentraram no sexo, na “violencia” , e os q não leram ouviram por ai q era uma história porno de mta violencia e nenhum amor. Como eu sou timida, não saio de casa e não sou mto de falar da minha vida, começaram a dizer q só pq estava lendo o livro q eu só pensava naquilo, q só pq sou virgem é pq li e gostei, q eu estava mudando, ficando safada. Teve um colega q disse : “Não sei como vc pode ter gostado dessa história, haa ja sei pq, por causa do sexo.” tbm disseram “eu vou ir no cinema só pra ver o porno”. Isso me irritava de um tanto q eu dava patada em todo mundo, eu disse:”se vcs só conseguem ver sexo numa historia de amor o problema é de vcs, mas se vcs não querem acreditar q eu amei essa historia por causa do amor e da mudança q cada um sofre, vcs não me conhecem msm.” Quase todo foram ver o filme, a maioria se decepcionou pela pouca cena de sexo, eu ja ri da cara deles e falei bem feito, e eu amei o filme, pq mais teve a historia de amor do q o sexo “selvagem” como eles dizem. Ainda sofro por isso, mas vale mto a pena, não mudei e nem mudarei meu amor por essa trilogia por causa do preconceito deles. Ja sofria isso com Twilight e valeu a pena, to preparada pra essa guerra kkkk.

  74. Me julgaram por eu ser uma “pessima mulher” e apoiar e gostar de uma historia completamente machista e abusiva.
    Minha defesa foi: Se voce pensa desse modo, eu sinto te dizer que que ta faltando conhecimento sobre a pratica do bdsm e principalmente atençao na historia do livro e a mensagem que ele realmente passa. As pessoas dao tanta enfase na parte sexual e acham um absurdo por nao saberem do que aquilo se trata. Há uma mulher ciente dessa pratica e aberta a explorar sua sexualidade com alguem que ela ama, alem de tudo, é uma historia de amor.

  75. Bom me interessei pela história quando já estavam anunciando o lançamento do filme nos cinemas, procurei logo pelos livros pra ver como era a história antes de assistir o filme, li todos em 10 dias, virou meu vício, fiquei louca pra ver o filme. Assistir o filme com meu marido , e minha primeira crítica veio dele,perguntou se queria ser espancada e tratada como uma cachorro, fiquei chocada. Porém lhe respondi que o que realmente uma mulher quer quando ler esse livro e ser fudida do mesmo jeito que Anastácia, com paixão,desejo é as loucuras de um sexo de verdade, não um sexozinho sem graça toda noite. Pronto quase perdi o marido, quase duas semanas me ignorando. Porém no final tomou meus livros, achei que ia choga-los fora mais já leu todos também, ri muito.

  76. A critica que recebi veio diretamente da minha propria mae dizendo que o filme so se tratava de coisas imorais, por querer apanhar. Mas falei pra ela que o que eu levava em conta era a historia de amor que acontecia entre os dois que chega a servir de inspiraçao pra muita gente. Nao e a toa que eu nao consigo mais parar de ler.

  77. Bom eu detesto qualquer tipo de preconceito e por ler essa trilogia eu sofri …
    Há quem diga que essa trilogia é erótica,que só tem safadeza enfim , estava eu no meu local de trabalho e na frente de todos os meus colegas de trabalho uma pessoa leiga e com uma visão destorcida da trilogia me constrangeu ..
    Por um segundo que eu saí de perto do livro, esta Pessoa passou e falou em alto e bom Tom : Quem é a safadinha que está lendo essa pouca vergonha …
    Bom, eu escutei e o repreendi na classe e como costumo ser curta e grossa ..
    As pessoas não entende que o livro vai muito além de um conto erótico .. É uma história de amor, um conto de fadas moderno.
    Entre outras pessoas que me olhava torto no ônibus de volta pra casa pois estava lendo …
    Eu já estou lendo pela 6 vez porém é como se fosse a primeira !!! Estou contando os dias para o segundo filme e como uma leitora gostaria que o filme fosse mais aproximado do livro .. Como eu disse vai muito além de um conto erótico ..
    Desde já agradeço

  78. A critica mais severa que eu recebi .
    Falaram que anastácia era uma sem vergonha e interesseira ,pois o Cristian e rico e so babe bater ,que as mulheres querem lei maria da penha e ficam se propondo a ver esse tipo de livro (filme),que se uma homem na vida real fizesse isso nao iria gostar.
    que era uma baixaria ,falta de respeito com a mulher .
    De tando algumas pessoas falarem ate minha irma teve preconceito achou que o filme era porno,mas eu mostrei a ela que nao era e ficou apaixonada pelo filme.
    A opinião e de cada um,mas temos que respeitar uns aos outros,e gostos.
    E que o filme e lindo e uma historia linda que eu amei de paixao.

  79. Crítica: “Vocês mulheres só gostaram desses livros e filme porque o cara é rico. Se fosse entregador de pizza ninguém iria querer”.

    Resposta: As relações humanas são baseadas no poder. Todas elas. Uma mulher pode se interessar por um professor, por exemplo, que é uma figura de poder, ou pelo entregador de pizza, onde ela se torna a figura de poder. Tudo depende de momento. É instintivo, é animal, a mulher escolhe o melhor provedor, o homem escolhe a melhor reprodutora. Fato. Christian Grey é poderoso, bonito, rico, bom de cama, carinhoso, problemático e suas várias facetas permitem que a mulher possa ser submissa e dominadora, à contento. Qual o problema se a mulherada gostou por isso, gente? Homem que assiste filme pornô não se interessa pela gostosa? Deixem que admiremos o poderoso. Na vida o poder sempre vai estar lá. Hipocrisia é dizer que não.

  80. Já escutei muitas críticas a respeito de Fifty Shades. Uma delas, foi em um momento em que eu estava comentando sobre o livro com umas colegas de trabalho. Todas elas falando muito mal do livro, coisas absurdas. Então eu disse que já tinha lido o livro, e que estava encantada com a história. Elas me criticaram muito, e me perguntaram se eu gostava de apanhar, pois, para elas, que gostassse da história, pe poruqe gostava de ser apanhada, chicoteada, entre outras coisas. Nesse momento, perguntei para elas se elas já tinham lido o livro, e elas me responderam que não. Então eu disse que elas não sabiam o que estavam falando, e que não tinha nada a ver, pois a história é muito diferente do que as pessoas pensam, e que só entende e sabe a moral da história, quem realmente leu. Quem realmente fez isso sabe que a moral da história é mostrar que o amor é capaz de tudo, quebrando regras e mostrando o real valor de si mesmo.

  81. Uma amiga criticou o livro disse que é pornô e que era uma violência contra a imagem da mulher, fiquei revoltada e disse a ela que isso é hipocrisia, pois qual o casal que não pratica sexo. Todo mundo sabe que os casais tem um relacionamento sexual e que o livro mostra que acontece no quarto de um casal, e que a pratica do bdsm não é um ato de violência uma vez que é algo consensual, ou seja, a Anastasia aceita que o Christian faça isso e que na hora que ela disse a palavra não ou vermelho ele vai para o que estiver fazendo com ela,totalmente diferente de uma mulher que sofre violência, pois se ela mandar o homem para de lhe espanca com certeza ele não vai parar.Essa é a grande diferença entre a violência contra a mulher e uma relação de bdsm. Além que é uma historia de amor e não uma história porno, é lógico que tem a parte do sexo, mas o que mais me chamou atenção foi o lindo amor entre os personagem e se ela não consegue ver isso na história é porque ela só pensa em pornografia. Com isso a minha amiga ficou calada e continue dizendo que cada um enxerga o que que ver, eu vi uma história de amor e superação linda.

  82. A critica mais ofensiva que já recebi por gostar(amar) a trilogia foi de que eu seria uma pessoa sem cultura pra leitura e uma virgem desesperada. A falta de respeito foi imensa, mas não me abalei por isso. Rebati perguntando primeiramente quantos livros a pessoa ler no mês pelo menos pra me criticar sobre eu ter ou não cultura para leituras, pois já sabia que tal pessoa não lia nem bula de remédio e queria me dá lição de moral. Quanto ao comentário eu relevei a ignorância e arrogância do ser! Depois a criatura me pergunta por que eu gostava ”daquilo”(perguntou de uma forma meio que repugnante)Eu respondi simplesmente: ”Por que eu posso :)”. A pessoa claro não entende e ainda teve a audácia de dizer que eu iria queimar no fogo do inferno por ler esse tipo de conteúdo que incentiva a violência e bla bla bla. Eu comecei a rir e respondi que se eu fosse para o inferno por isso , eu iria muito feliz e de consciência perfeitamente limpa, pois o maior motivo de eu AMAR a trilogia não é por conta do conteúdo sexual em si(que sim é bem emocionante, convenhamos) e sim pelo fato da história nos mostrar o que o AMOR é capaz de fazer com a pessoa, de como é capaz de tirar a pessoa da sua miséria e encontrar a felicidade no outro. Por me fazer acreditar que quando o sentimento é verdadeiro e recíproco nada nem ninguém destrói. <3 🙂

    P.S.:A pessoa depois disso leu os 3 livros. Pena que continua com o mesmo conceito. Mas acredito que no fundo gosta só tem medo de admitir por querer socialmente ''correto'' se me entendem. 😀

  83. A pior crítica que ouvi foi que era um absurdo eu concordar com um filme onde o relacionamento para dar certo tem que provocar dor e que nenhum relacionamento que provoca dor é saudável. O problema.a é que, no mundo de hoje, tudo é reduzido ao físico. Dor e violência tem de ser vistas na pele para servirem de alerta. As pessoas esquecem que a violencia emocional existe e pode ser muito mais devastadora. No caso de Grey vemos isso se refletie em todo o seu comportamento. Agora, se o limite entre dor e prazer será explorado pelo casal de forma consensual, nada mais saudável. O adoecimento dos relacionamentos está longe de perpassar por uma questão tao banal. E se essa crítica fosse verdade, só existiam mulheres virgens. Perder a virgindade dói pra burro!

  84. Vamos lá. Quando comecei a ler o livro até aí foi tudo tranquilo, mas quando foi divulgado a possibilidade do filme pirei totalmente. Só falava no Cinquenta Tons e ninguém entendia minha adoração. Ver seu livro tornar realidade e um sonho. Entrei em grupos, fiquei por dentro de tudo. Sabe o que é tudo sobre o filme. Finalmente falava – se na estreia do filme. Excitação pura. Chegava a pulsar nas veias. Resolvi que iria assistir o filme na pré estreia. Não aguentaria esperar um minuto para ver o filme. Eis que vou comentar com minha irmã. Aí vem a parte hilaria. Sou casada e fui com minha cunhada. Minha irmã contou para minha mãe, mas do jeito dela. Poxa ela nem leu o livro. Ao ligar para minha mãe eis o questionamento. Poxa Nathália, você uma mulher casada vai assistir filme porno 00 : 01. Não pensa no seu marido não. .. kkk. Ri d +. Tive que convencer mi há mãe que a história era romântica. Um casal que se apaixona. Que alguns tem defeitos como qualquer ser humano e nos também é que o filme retrata isto. Mostrando o amor construído e blá blá blá … Foi ótimo. No final ela entendeu a moral do filme e até se dispôs a ler os livros.

  85. Uma vez um amigo meu me disse que quem lia o livro e visse o filme era pessoa “idiota” que curte ver um homem bater e maltratar uma mulher. Eu não gostei da opinião dele… Claro ele tem o direito de se expressar, bom… Eu também. Então eu disse à ele que se ele pensa assim ele está completamente enganado. A prática BDSM é praticada tanto por mulheres ou por homem a muito tempo. E que Sr. Grey Nunca forçou a Srta. Steele a nada. Disse lhe também que caso ela não queira mais ou não aguente, tem sempre a palavra de segurança. Que tudo é planejando e que tudo está nos parâmetros. Então ele veio e disse à mim que eu só lia e via o filme pelo Sexo. (Suspiro) Coitadinho, se ele focasse mais no romance ele veria o porque do livro e do filme ter milhares de fãs. Disse à ele que a parte do Sexo é sim interessante, mas as parte do romance em que a Ana demonstra o que sente e que quer Flores e coração isso foi lindo e perfeito. Mais perfeito ainda é a parte em que o Christian fala que quer tentar o “Mais”.. O meu amigo, ele ainda não concorda com a minha opinião. Até posso entender, mas mesmo assim acho ridículo o pensamento dele e de tantas outras pessoas sobre a trilogia.

    #SóAcho.

  86. Não tive apenas uma crítica mais inúmeras por ser fã dos livros e do filme. Acredito que a pior foi dos colegas de trabalho, alegando que o livro era apenas sobre sexo, uma garota que gostava de apanhar e de um cara que trocava o sexo por presentes para ela. Quando escutei isso “pirei” falei que as pessoas deviam pelo menos ler o livro ou ver do que se trata, antes de julgar o conteúdo. Que antes de qualquer crítica deveriam saber que a história é um romance, entre um homem que passou por problemas maternais em sua infância e graças a ajuda da Ana conseguiu superar seus traumas.
    Falei que antes de julgar deveriam assistir o filme e ler os três livros para falarem sobre esse assunto comigo.
    Após isso uma das meninas que sempre me criticava por ser fã venho até mim e contou que havia assistido o filme e tinha adorado e que queria muito ler os livros… Pra mim foi uma conquista ela ter mudado de ideia e torço pra que muitas outras pessoas que tenham este ponto de vista reavaliem ou parem de encher quem realmente entende a história e acompanha.

  87. Quando aconteceu o lançamento do primeiro livro (em 2011) lembro que eu estava na transição entre o colégio e a faculdade, lembro que foi uma super febre e ao contrário de todas as minhas amigas, eu decidi não me render a leitura do livro – não fazia ideia do que estava perdendo -, antes mesmo de ler qualquer parte ou sinopse do livro o rotulei como um conto erótico extremamente ridículo, como muitos que podemos ver pela internet, que tentava reafirmar a ideia do machismo e da superioridade masculina em pleno século XXI, simplesmente, repudiei o livro e sua história sem nem se quer ter procurado saber a fundo sobre o que se tratava, principalmente, quando escutei a palavra-chave: Sadomasoquismo, aquilo me fez ter raiva das pessoas que eu encontrava lendo o livro no metrô. De 2011 pra cá, as continuações do livro foram lançadas e cada vez mais eu perguntava: “POR QUÊ? O QUE ESSAS MULHERES TEM NA CABEÇA PRA LER ISSO? FALTA DE AMOR PRÓPRIO?”, cheguei até a ter pensamentos idiotas, do tipo: “AH, UM HOMEM LENDO CINQUENTA TONS DE CINZA, TUDO BEM. PORQUE HOMEM CURTE ISSO, CURTE ESSE AR DE SER SUPERIOR A MULHER OU ENTÃO ELE SÓ ESTÁ MESMO ATRÁS DE UMA BOA PUTARIA PRA LER”. Enquanto conversava com meu chefe e minha equipe de trabalho no escritório, surgiu o assunto: CINQUENTA TONS DE CINZA FOI ADAPTADO PARA O CINEMA E TEM LANÇAMENTO EM FEVEREIRO DESSE ANO. Lembro que foi um super “auê” de comentários, todo mundo animado e curioso pra assistir o filme, eu sem saber se comentava o meu grande repudio em relação ao filme diante de inúmeros fãs do meu convívio diário, sem piedade alguma coloquei todo o meu ponto de vista para os meus colegas e fui alertada pelo meu chefe de que eu estava cometendo uma injustiça, já que eu mal tinha pesquisado a sinopse do livro. O assunto se encerrou e eu segui decidida a não ler o livro, enquanto todos me incentivavam a ler e descobrir a profunda e apaixonante história por trás de todo o meu preconceito, que foi aprimorado por comentários de conhecidos que também não aprovavam o livro. Em um almoço em família, minha tia comentou que havia lido a trilogia completa e que estava apaixonada pela história, mas não deixou escapar detalhes que me fizessem querer procurá-lo. Então, a estréia do longa aconteceu no Brasil e como uma “boa” poser, depois de muitos incentivos, arrastei meu namorado para o cinema e fui assistir o filme do livro que eu tanto odiava, meu namorado cochilou boa parte do filme, mas eu me concentrei em afirmar minhas criticas inicias e de cara tomei um tombo em uma queda livre interminável, sim, eu tinha me apaixonado pela história do pior jeito possível, vendo um típico filme que corta todos os detalhes profundos do livro, mas que mesmo assim foi o suficiente para me fazer comprar o livro ao sair da sala de cinema. Fiquei com raiva, porque meu namorado dormiu durante o filme e por isso, não tinha conseguido se apaixonar pela história da mesma forma que eu (risos).
    Ao comprar meu primeiro livro pensei: “Como vou contar ao meus colegas que estou lendo cinquenta tons de cinza?”, eu não conseguia admitir para mim mesma que tinha feito aquilo, mas não me arrependo nem por um minuto da minha compra, foi a melhor. Comecei a ler o livro e consegui terminar a trilogia em um mês, passei quase todo tempo que eu pude lendo, durante a madrugada, no metrô, em plena aula na faculdade, no horário de almoço. Eu não conseguia mais parar. Meu chefe ria e me dizia que já esperava esse tipo de reação da minha parte. E meu preconceito tinha se transformado em obsessão. Até que um dia, em uma reunião de família, comentei que havia lido a trilogia e meu pai me repreendeu de forma severa, só pra esclarecer eu tenho 20 anos, até a minha tia que havia gostado tanto da história fez uma piadinha de mal gosto quando soube da minha leitura e alfinetou meu pai. Meu namorado me repreendeu me alfinetando também, falando que eu devia ler doutrinas para as provas da faculdade de direito e não um livro cheio de detalhes sobre um sexo brutal, que eu devia ler os livros da faculdade com a mesma disposição e rapidez que li cinquenta tons de cinza e suas continuações. COMO ASSIM? Naquele momento, eu sabia que finalmente eu tinha vencido meu próprio preconceito em relação ao livro, eu tinha entendido a verdadeira essência dos personagens e que no fundo, eu tinha me identificado, como praticamente todas as mulheres e homens devem ter assemelhado algo do livro com suas próprias vidas, defendi a história com toda a minha garra para todos os que faziam algum comentário infeliz, fazia questão de sorrir para todos os estranhos que me olhavam com cara de nojo (ao lerem o nome na capa do livro, a qual eu não fiz questão de esconder com um protetor para livros, como muitos que conheço fizeram) quando eu estava lendo o meu livro dentro do metrô, expliquei, expliquei, expliquei e expliquei umas mil vezes pro meu namorado a história dos três livros, ficava torcendo para que as pessoas comentassem sobre ele comigo só pra que eu pudesse falar mais sobre a história, enviei inúmeras mensagens pelo whatsapp para amigas que já tinham lido, explicando meu novo ponto de vista e o quão foi incrível embarcar naquela emocionante história.
    Acho que a minha maior critica por ler o livro não veio de terceiros, veio de mim mesma, veio do rotulo que eu dei pro livro e a forma como eu lidei com isso foi lendo a história por completo e procurando estudar a fundo cada aspecto que eu não conhecia, cada situação que acontecia e percebi que mais do que nunca a história de amor que se inicia se parece muito com alguns casos que vemos no dia a dia, sem tanto glamour, mas acontece. Venci o meu eu ignorante e fechado que se recusava a entender ou pelo menos respeitar o desconhecido, me identifiquei e reconheci muitas partes da história dramática dos personagens na minha vida, foi de longe a melhor leitura que já fiz, porque finalmente achei um livro que vai além daquele clichê do felizes para sempre, do mocinho e da mocinha, ele mostra o amor em sua forma genuína, em sua forma nua e crua, literalmente, né?! Mostra a carne e o osso, mostra o arroz com feijão das relações, mostra o quão é bom se entregar a alguém, conhecer seu corpo, seus desejos, seus limites, suas fraquezas, suas fantasias, seus medos, seu passado, mas principalmente, mostra o receio que temos de sair da nossa zona de conforto, quando não entedemos o que está a nossa espera, mas que no fundo é um anseio da nossa alma e que nos completa e é isso que vem depois dos “finais felizes do Nicholas Sparks”, vem o amor de verdade, exposto da sua forma mais suja, mas sendo ao mesmo tempo a mais límpida e sincera, o amor sem tabus, o amor que preenche lacunas no nosso ser interior.
    A melhor leitura que já fiz em 20 anos.

  88. Crítica é o que eu mais ouço sempre que falo que li ou que gosto muito de 50 tons. Lembro-me de que comecei a ler simplesmente pelo fato de que é um livro muito comentado ou “mal falado”, por assim dizer. Só que eu nunca fui de jugar algo somente porque fulano diz que é assim. Então resolvi me dar a chance de fazer eu mesma tal julgamento. Tantas pessoas falam como se possuíssem domínio sobre o conteúdo ou até mesmo sobre o enredo do livro. Eu li, e posso dizer que foi uma das melhores coisas que eu já fiz, pois é um livro impressionante, lindo à sua maneira, com uma história própria e possuidor de um conteúdo que te prende, que na minha opinião é o essencial para um bom livro. É exatamente por esse motivo que não abro mão, de maneira alguma, de defender algo que eu gosto tanto. Já discuti com amigos, familiares, colegas e até mesmo desconhecidos, pois quem não tem a capacidade de ler para depois julgar, não tem moral de reclamar ou falar mal. Toda vez eu tenho que repetir o mesmo bordão: BDSM não é pratica de violência doméstica!!! E foi em uma dessas vezes em que discuti feio com uma amiga minha. Amiga, ainda te amo viu!? Mas eu tinha que defender!!! Começou como todas as pessoas fazem, um murmurinho sobre 50 tons, que logo virou uma discussão, falou que eu era doida por ler “aquilo”, que eu NUNCA deveria ter ido ao cinema ver o filme, pois assim eu estaria incentivando a continuação da produção da trilogia dando dinheiro para os produtores e etc. E essas são as críticas que eu mais recebo: “Você gosta de algo que incentiva a violência? Como pode gostar de um livro que trata da mulher como um objeto? Como gostar de um personagem que impõem um contrato louco para que a mulher possa ter relação com ele? Como gostar de ler pornografia?”. 50 tons não é pornografia!! É um livro que fala de um homem obscuro e que depois que conhece a mulher de sua vida passa a ir para o lado mais claro da vida, que começa a sentir uma paixão louca e intrigante de certa maneira. E é por esse e outros motivos que digo que li e li várias vez, que indico e que defendo de maneira clara.

  89. Então… Estava sentada na sala Da minha sogra, quando vi o trailer do filme passar na televisão. Fiquei maluca pra ver o filme, mais ainda tinha 17 anos.. E fiquei atordoada e cheia de raiva e vergonha. Quando a moça do cinema me disse, que eu não poderia entrar, após ver a minha identidade. Grrrr! Então logo um mês depois, completei 18.mais já Tonha desistido de ir ao cinema. E foi quando a minha sogra que revendia uma revista de marca famosa de cosméticos, me ofereceu para mim ver e pedir algo. Foi ai que vi o Primeiro livro. ”Cinqüenta tons de cinza”. Justo aquele que estava no cinema e não pude entrar. Então logo marquei e pedi. Então logo depois de uma semana, tinha chegado o meu tão esperado livro. Fiquei anestesiada quando li o primeiro capítulo. E logo me aprofundei a ler ele a todo instante e em todos os lugares em que ia. E me lembro que ficava parada nos cantos , lendo o livro. Enquanto diversas pessoas ficavam espantadas só de ver a capa, do livro, que eu estava lendo. Mais eu nem ligava e não tive vergonha. Mas uma vez. Enquanto estava na casa da minha mãe,insisti tanto, que fiz ela ver o filme. E fiz o mesmo com a minha cunhada. Elas viram e ficaram horrorizadas e um dos comentários que me deixaram besta. Foi o da minha mãe, que logo após a assistir o filme disse; Você gosta desse filme?…Você gosta desse conto pelo fato dele ser rico e saber que pode dominar mulheres com seu dinheiro? E ela burra, se entregar a ele sem questionar? Não estou te reconhecendo. Você é uma submissa igual a ela. Então não liguei para sua opinião be tentei fazê lá entender, que ele tinha motivos para isso. Por conta do.mistério de sua infância. Que no primeiro livro, não revela.e até que consegui a convencer bem. Ela não disse mais nada a respeito. E minha cunhada não gostou nem um pouco.mais não fez nenhum comentário. Já o meu marido, quase me largou quando descobriu que eu tinha assistido e adorado o filme . a ponto de curtir tudo pelo face. E ter lido e comprado toda a trilogia. E ter passado noites em claro para ler. E ter lido também ”cinqüenta tons de Jamie Dornan”. Ficamos mais ou menos um mês separados. Mais não desisti de ler os últimos capítulos de ”cinqüenta tons de liberdade” que foi o que me fez companhia. Durante esse tempo. E então conversamos novamente e o fiz entender. Que por trás de todo aquele sadomasoquismo, havia uma história de amor. Descontroladora. E apaixonante e totalmente viciante. Reagi como se eu dependesse apenas do livro e de mais histórias como essa. Então assisti pela milésima vez o filme, só que dessa vez com o meu marido. E ele compreendeu, e aliás nos ajudou a melhorar a nossa relação em alguns aspectos sexuais e românticos… E ele aprendeu que. Nenhuma mulher precisa ser objeto sexual de ninguém. E o amor absurdamente, muda completamente as pessoas. Até mesmo as que achamos ”impossíveis”… Mais não parou por ai, meus outros cunhados.. Ficaram chocados ao saber que eu estava dominada pela trilogia de livros. Que acharam ”sexo explícito”. Mais os ignorei e também os fiz entender todos os três.. E hoje todos que criticaram. Deveram o filme. Compraram os livros. E sempre me perguntam, e trocam idéias comigo. E é isso. Espero ter deixado a mensagem de que. : a gente precisa perder pra da valor, como o Christian perdeu a Anastasia no final do primeiro filme. Isso o fez entender que nem tudo é do seu jeito. E por isso eles estão presentes juntos. Nos últimos dois livros.

  90. Bom,a pior crítica foi a professora de português pedir pra fazer uma redaçao sobre o ultimo livro que li e quando falei em cinquenta tons de cinza ela falou que não era porque algumas receita vinham em formato de livro que era literatura, que o trabalho era de literatura em tão tinha que ler um livro de verdade ,bem minha resposta pra ela? Não respondir nada. Fui pesquisar em sobre o livro,para provar que era literatura sim um romance e fui direto na diretoria para conseguir fazer o trabalho.

  91. eu fico chateada pois, muitas pessoa tornam BDSM como um ”tabu”,por exemplo, minha professora de português ”julga” pessoas que não leram um livro qualquer e simplesmente falam mal, mas ela nem se quer leu 50 tons e fala um monte de canalhices sobre o livro, não intendo pois, pela minha visão e pela visão de outros fãs, essa historia retrata sobre uma mulher ainda inocente sobre o contato sexual e com sua vida monótona, e que a partir de um determinado momento ela conhece o incrível Christian Grey, um homem com uma vida monótona e gostos peculiares, e ela simplesmente se apaixona, me diga o que tem de errado nisso? no decorrer dos livros nós sentimos o mesmo amor que Anastasia sente por Christian, a mesma dor que Christian sofre na sua infância/ adolescência, então quero dizer aqui, que, antes de julgarem isso como uma ”contraversão do mundo”, leia o livro,e só depois expresse sua opinião respeitando o meu gosto e de outros fãs.

  92. Sou diretora em uma escola pública e, em uma determinada conversa entre colegas de trabalho, surgiu o tema literatura e, recorrente a isso, todos começaram a falar sobre os livros que estavam lendo. Ao me questionarem sobre o que eu estava lendo, relatei que estava fazendo leitura da trilogia Cinquenta Tons de Cinza. E a primeira pergunta foi: Como uma diretora tem a coragem de dizer que tá lendo algo tão empobrecido; uma literatura que remete aos flagelos da promiscuidade? Respondi que a qualidade da literatura não se mede, se sente. E que não existe literatura boa ou ruim, o que existe são pessoas com estado de espírito inadequado para a leitura da mesma.

  93. Bom eles realmente se entregaran um ou outro quando falei que estava lendo os livros me falaram um monte de besteira por que tinha violencia e sexode maneiras agressivas mas na verdade eu acho que o livro soube espressar bem o que queria a respeito de amar como um coração como o de cristiam aceitou e ate mesmo cedeu ao amor de ana eu hostaria dw terminar com a frase de que me lenbro do livro (ele faz alho comun se tornar maravilhoso )isso é amor independente da forma

  94. Críticas por ler cinquenta tons recebemos sempre, mas só quem leu sabe o tão envolvente e apaixonante é a história. Meu próprio namorado me julgou, disse que era um livro que só falava de putaria, que como eu poderia gostar de uma história onde um cara bate em uma mulher, eu respondi: “Amor, não critique sem ao menos conhecer a história, cinquenta tons não é só sacanagem, muitas pessoas o julgam por isso, cinquenta tons é uma história de romance, mostra como uma mulher pode ser linda por somente ser ela, como ela pode sim conquistar um rapaz pelo seu jeito desastrado e atrapalhado de ser. Christian faz Anastásia ficar a vontade com o seu corpo, de não sentir vergonha de si, coisa que muitas meninas sentem, como eu, ele nos ensina a gostar do jeito que somos. Christian conquista Ana com tempo, e não porque ele é rico e dá presentes caros, mais sim que a surpreende cada dia, com aparições e atitudes inesperadas, com segredos doloridos, com a confiança que ele deposita nela, por terem juntos “primeiras vezes”, por ele fazer ela o mundo dele, por ele abrir mão de certas coisas porque quer fazer tudo aquilo dar certo. Christian é tipo um professor de “Como conquistar as mulheres”!”
    Enfim, cinquenta tons é um livro que te envolve dos pés a cabeça, que te faz achar que existe príncipe encantado, mais não tão encantado assim!

  95. Gostaria de dizer que sou muito fã dos livros e do filme que …para ser sincera nem sabia da existência dos livros…mas quando lançou o filme e que assisti fiquei sabendo q havia os tres livros e que ia ter continuação; entao fiquei tão fanatica que no outro dia comprei os três livros dos Cinquenta Tons, comprei o livro do Jamie Dornam q conta da vida dele e sua trajetória…acompanho jamie e dakota nas redes socias e entro todo dia para saber do filme cinquenta tons mais escuros e sobre eles.Estou tão apaixonada pelo filme e pelos livros q meu marido não aguenta mais ouvir desse assunto a maioria diz q tô louca por ter gostado desse filme..mas eu amei e nao quero perder nada sobre os atores e o proximo trabalho deles na continuação do filme…por isso mereço ganhar pq sou louca pelo filme e vou defender o filme até o fim.

  96. Bom a pior crítica foi essa : “Ah não acredito que você ta lendo esse livro pornográfico !!! Vai ler alguma coisa que tenha cultura , alguma coisa que te dê algum aprendizado , ao invés de ler essa sem vergonhice.” Eu disse : “Sem vergonhice ? Você não leu a história para dizer isso , afinal é uma história de amor entre duas pessoas como qualquer outra só que de um jeito diferente do comum , e é por isso que faz com que a história seja fascinante e viciante .” Gente é um livro que foi alem das minhas expectativas , um Homem rico , poderoso, dono de seu mundo ,controlador , Dominador que tinha tudo nas suas mãos foi obrigado a ver as coisas de uma forma diferente e isso por causa do amor , o amor que veio junto com Ana e que convenhamos nada mais na vida dele fez sentido se não tivesse essa mulher !!! #cinquentatonsminhapaixão

  97. Acho que dizer que gosto de Cinquenta Tons de Cinza é pouco , para quem já leu 135 vezes em português a trilogia, está lendo pela primeira vez em inglês, assistiu o filme 4 vezes no Rio de Janeiro, 1 vez em São Paulo, tem a trilogia e aguarda anciosamente a oportunidade de ter o Blue Ray.
    A mim pouco importa as críticas, pois as pessoas que criticam viram o filme ou leram o livro até o final, estranho pois quando não gosto de alguma coisa, como filme ou livro não perco o meu tempo conjecturando sobre.
    Cristian e Ana fazem uma linda história de amor, superação, descoberta, limites ilimitados, barreiras vencidas até chegarem ao famoso ” e foram felizes para sempre.
    Parabéns à E L James pela fantástica obra, ezcolha do elenco.

  98. Bom, tenho um colega de trabalho que foi assistir com a esposa gravida (detalhe, eles nunca leram, então já viram que vai rolar confusão comigo). No dia seguinte, começou o comentário sobre o filme. O pior comentário para mim foi ‘2h de filme, 1h30 só sexo’ eu simplesmente disse ‘oi??’ ele ainda falou que so tinha isso o filme inteiro. Falei logo, em tom de brincadeira ‘meu querido, enquanto ele faz esse tempo todo de sexo, prologando a sensação de ambos para um orgasmo, vc em 10min não consegui nem procurar o buraco do seu c*’ depois da brincadeira argumentei falando serio, que o filme não se trata disso, que para poder vir falar sobre isso, deveria meter a cara no livro para saber a real historia. Simples!! E depois de tantos que passei, sendo rotulada com uma leitora pornográfica, deixei isso ao vento. Eu sei o que leio, ou deixo de ler. Problema das pessoas questionar isso, cada um deve ser livre para ler/fazer o que quiser. Ninguém tem obrigação de agradar ninguém, não mato, nem roubo e nem faço coisa feia. Sou fã sim, desde de quando a Erika publicava no blog dela, sou apaixonada pelo Sr Grey (e agora ainda mais pelo Jamie Dornan, que deu vida ao personagem tão amado pelas fãs) fora as criticas do livro, ainda vem criticar o ator, me poupe! Ele ta ganhando o dele, e ainda fod**do meu emocional. #Obrigadããn

  99. Bom sou apaixonada por cinquenta tons de cinza fui criticada por todas as minha amigas então comprei 3 coleção dos livros e distribui para elas ler expliquei quê cinquenta tons não foi feito para todo mundo a triologia foi feita para pessoas especial de mente aberta e coração acelerado pois dei muita risadas lendo sozinha o livro contagiei muito das minhas amigas pois todas elas quando me encontrava falava sobre o livro apesar te toda critica sobre o livro e o filme eu ainda queria mais no dia 15/03/2015 fiz 33 anos de idade e o tema do meu aniversario foi cinquenta tons de cinza fiz vela personalizada com a mascara no rosto gravata no pescoço e a algema na mão o bolo também foi personalizados os doces tinha algema gravata e mascara enfim a decoração foi nas cores e no tema do filme foi uma festa bem comentada na minha cidade adorei cada detalhe e de certa forma mostrei as pessoas quê tinha preconceito filme e o livro foi feito para nós os fãs de cinquenta tons não para qualquer um …Sou fãs defendoo filme de qualquer um até do meu marido kkkkk….moral da historia contagiei minha amigas da minha cidade com o livros e o filme ainda comprei o livro com a capa do filme agora espera dvd…..

  100. Resumindo, a pior crítica que tive, veio do meu marido, que disse que eu estava ficando louca e precisava de uma psicóloga urgente, pois estava trocando a realidade pela fantasia. Pois para ele, este filme é improprio. Queria mostrar para ele que não é o que pensa, mas sem chance é irredutível. Mas fazer o que né? A gente vai levando.

  101. Comecei a ler o livro por curiosidade, mas muitas pessoas me julgaram, primeiramente tive que ouvir criticas do meu namorado, ele dizia que o cara batia na guria, mas não é nada disso, ele não queria que eu lesse os livros de forma alguma e ficava muito bravo, mas eu bati o pé e disse que ia ler pq eu amei a historia, li os 3 livros em 5 meses, e ainda enrolei um pouco pq eu queria que nao acabasse nunca haha. Outras pessoas falaram pra mim que nao prestava ler esse tipo de coisa, que era livro erótico e bla bla bla, e meu namorado pediu pra nunca postar no Facebook que eu estava lendo o livro pq mulher que le isso nao tem homem em casa, haha. Mas li o livro e comprei o ingresso do filme no mesmo dia que foi lançado, e eu amo essa historia e pretendo ler tudo de novo haha, Vi tbem um vídeo de atrizes porno falando mal do filme… que isso nao é pornografia porcaria nenhuma, mas não é mesmo, é um filme mais erótico com uma historia de amor incrível, e inclusive me ajudou muito com ex, insegurança e ciumes. Espero muito ganhar pois amo de coração essa historia.

  102. Defendi desde o início, pois as criticas foram feitas desde o lançamento do livro. Pessoas totalmente sem noção dizendo coisas desconexas. Enfim, sempre disse e repito:,é uma história para adultos, de duas pessoas que se encontram em momentos diferentes em suas vidas. Um homem bem sucedido, mas que tem muitos fantasmas, e ela uma moça simples,mas firme em suas atitudes, que em nenhum momento se deixa dominar totalmente. Defendo o amor e acredito que entre duas pessoas em quatro paredes tudo é permitido.

  103. eu estava com minha família numa casa de praia, com a família toda reunida (a maioria é evangélica), ai meu cunhado começou a falar do filme cinquenta tons de cinza, dizendo que o filme incitava a violência, que tava denegrindo a imagem das mulheres por elas quererem apanhar de um homem rico e lindo, que podia bater nela e ela achar aquilo tudo ‘prazeroso’, ele disse também que a trilogia deveria ser proibida no Brasil, porque as meninas menores de idade poderia ler o livro e querer casar com um homem que vai querer bater nela por qualquer motivo. MEU ARGUMENTO: meu querido, eu li a trilogia inteira (inclusive a versão grey) aos 14 anos e sei diferenciar um conto ficcional de um verídico. Christian não faz isso porque ele quer, e sim porque ele sofreu traumas passados que o influenciaram a fazer isso. Aos 4 anos, ele era espancado pelo cafetão da mãe, queimado por guimbas de cigarro, viu o cafetão ameaçando e batendo nela, viu a mãe ingerir veneno, deitar ao lado dele e simplesmente morrer, ficou com muita fome, a ponto de beber água da torneira e tentar acordar a mãe que já estava morta, ele foi adotado por uma família “perfeita” e ele tentava fazer de tudo pra se encaixar nela, aos 15 anos ele conheceu uma molestadora de crianças que era amiga de sua mãe adotiva. Ela apresentou ele ao mundo BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo), ele foi submisso a ela durante 7 anos, onde ela ultrapassou seu limite rígido e ele pôs um fim nessa relação. Dai ele se tornou um dos homens mais ricos e desejados de Seattle. Ao conhecer a Ana, ele percebe que ela é uma mulher doce e ingênua, ele tenta apresentar ela ao seu mundo, pra ela ser sua nova submissa, ela tenta entender o lado dele e algum tempo depois fala “me mostre o quão ruim pode ficar”, ele a leva pro quarto vermelho da dor e da 6 cinturãozadas na bunda dela, e ela percebe que não é o que ele precisa. Ela confessa que se apaixonou por ele, mas ele se sente indigno de amor, indigno de ser amado. Ao ver que ela foi embora, ele sente-se destruído e começa a se questionar se aquilo que ele faz é correto, ele joga todos os seus chicotes e cintos na lareira. OBS: ele castiga todas as mulheres morenas que se parece com sua mãe biológica (ella), por ela ter sido negligente com ele na infância, e não tê-lo defendido como uma mãe deveria. Após uma semana de separação de ana e christian, ele a reencontra e pede uma segunda chance para fazer dar certo. Sim, é uma história de amor, e você ainda quiser discutir comigo, leia a trilogia e não vá pela cabeça dos outros. Todo mundo parou pra me olhar, e perceberam que eu estava correta.

  104. Uma vez falaram dessa forma para mim “Não leia esse livro, pois mostra que o sexo é algo de deplorável, sujo e não é dessa maneira que se faz sexo. Você ainda é uma adolescente (sendo que tenho 18 anos) e está começando sua vida sexual agora, não pode achar essas coisas normais.”
    Bom e minha respostas foi: “Para mim o livro não é simplesmente o sexo e sim o amor. Eu amo ver a maneira como ele se transforma por ela, para mim ele é um personagem muito forte, porque superou todos os seus medos e frustrações da infância por amor. Ele achava que não poderia amar, ele achava que não era um cara bom, mas sim, ele é. Também acho lindo o jeito dela. Ela é uma mulher forte, decidida das coisas que quer. Acho que quem lê esse livro e só consegue enxergar o sexo não soube interpreta-lo, porque nesse livro tem muito mais do que sexo e sim amor e a mudança que ele pode fazer sobre as pessoas.”

  105. me falaram se eu era louca ou doente de gostar do livro e que preferiam Crepusculo do que 50 Tons de Cinza. porque fala sobre amor.eu disse que cada pessoa tem seu gosto e quem disse que o livro nao era um romance. logico que era mais com outra roupagem. a pessoa ficou falando de outro assunto.

  106. A maioria dos meus amigos me criticaram muito por ser apaixonada pela maravilhosa história que E.LJames escreveu. Criticavam e falavam que era uma história pornografica e de agressao a mulher. Mas nenhum deles tinham lido os livros ou foram ao cinema para chegarem a essas conclusões idiotas. Simplesmente ouviam de bocas aleias e seguiam o mesmo caminho. Mas sempre defendir Cinquenta tons de cinza. Onde se passa uma linda história de amor entre um jovem pertubado pelo seu passado e a doce Anastácia. Onde ela consegue libertar ele de seus fantasmas atravez do verdadeiro amor. E ate hoje digo a eles que antes de falarem qualquer besteira ou sairem por ai difamando a história eles leiam os livros e assistam ao filme. Tudo bem que ninguem é obrigado a gostar,mas tamb nao tem o direito de sair falando mau de algo que eles nem conhecem. E a dica fica pra todos que fazem da mesma maneira. Eu sou completamente apaixonada por cinquenta tons de cinza e nao escondo de ninguem!!!!!

  107. “As crianças estão deixando de assistir harry potter para assistir 50 tons de cinza”. Foi exatamente esta frase que escutei após dizer que sou fã da trilogia tons. Por ter apenas 16 anos, as pessoas acham que posso ser influênciada por tal coisa, porem, é de fato verídico que cada um sabe qual caminho seguir. É tudo questão de ter sabedoria e a mente madura o suficiente. O livro/filme conta a história de dois jovens que se AMAM de uma forma mais ardente, onde se expressam um para o outro o que sente de verdade. Agora me diz, o que há de errado nisso? Todos apenas sabem que contem sexo “bruto” ou algo do gênero, mas será que sabem que o jovem (christian grey) faz de tudo para deixar sua amada feliz? Dando-lhe amor, proteção e cuidado? Não, não sabem. Com certeza não sabem o resto da história. As pessoas costumam apontar apenas os defeitos das coisas, deixando as qualidades de lado. É como a chuva, todos clamam pela falta dela, mas se escondem de baixo do guarda-chuva. Quantas coisas ruins estão acontecendo no mundo que consegue ser pior do que um filme que aborda sexo? Quanta matança ou a REAL violência contra mulheres ou crianças? São inúmeras, centenas. Mas o incrível é que preferem julgar um filme do que se preocupar com tudo isso. Portanto, não importa quantos anos eu possa ter, 16, 17, 30; não importa o que os outros digam, para mim, 50 tons de cinza sempre será um lindo filme de AMOR.

  108. “As crianças estão deixando de assistir Harry Potter para assistir 50 tons de cinza”. Foi exatamente esta frase que escutei após dizer que sou fã da trilogia tons. Por ter apenas 16 anos, as pessoas achando que posso ser influenciada por tal coisa, porem, é de fato verídico que cada um sabe qual caminhãozinho seguir. É tudo questão de ter sabedoria e a mente madura o suficiente. O livro/filme conta a história de dois jovens que se AMAM de uma forma mais ardente, onde se expressam um para o outro

  109. sempre que eu falava que gostava dos livros cinquenta tons e do filme sempre falaram como gostar de um livro que incentiva a violência doméstica e que esse filme era muito depravado. Eu já li mas de uma vez o livro é já assisti várias vezes o filme e adorei porque é uma história forte, mas também tem muito romance é amor. Porque quando o Christian se apaixonou pela Anastasia e viu que não conseguia ficar sem ela resolveu mudar por amor. Ele só precisava de uma mulher forte, que não fazia tudo o que ele queria e que conseguisse dominar ele também.

  110. Eu disse aos meus amigos que eu assisti o filme inumeras vezes pois não conseguia parar de assistilo era e ainda é muito vicioso pois mexe muito com nossas mentes mesmo que agente entenda o conteúdo do filme. Disseram que eu era doida e louca aí eu disse que louca e doida era quem ainda não tinha assistido ao filme.ai caíram no riso e depois deram a famosa espiadinha no filme.

  111. Eu particularmente não cheguei a ouvir comentários preconceituosos em relação a Trilogia, mas como eu sou fã tanto de Cinquenta Tons quanto Twilight era mais do que óbvio que eu iria sobre preconceito, até porque, para quem não sabia, E L James escreveu a Trilogia baseada na Saga Twilight, porém ambas são totalmente diferentes entre si. Deixando de lado qualquer cunho sexual de lado, Cinquenta Tons de Cinza nada mais é do que um romance onde ambos os personagens trazem dentro de si conflitos que ao longo dos seus três livros vão se desenrolando e vão superando juntos. Grey, apesar de ser podre de rico e ter esse estilo de vida BDSM que fora apresentado a ele quando era apenas um jovem de 15 anos de idade pela Elena Lincoln, possui muitos problemas emocionais desde muito novo, como os abusos do cafetão de sua mãe e a própria se suicidando e ele tendo que viver com o seu corpo durante quatro dias até que chegassem gente para poder retirá-lo de lá juntamente com o corpo. Ana por outro lado não tinha esses problemas emocionais, mas uma baixa auto-estima. Com o passar do tempo, sem perceber, Grey foi deixando Ana curar suas feridas que nem mesmo a terapia obtivera resultado. Christian em, seu amago é um homem bom, só precisava de alguém que o retirasse de seu buraco emocional onde se encontrava. No fim, quem acabou sendo o verdadeiro dominador de toda estória é Ana. O amor supera todas as barreiras.

  112. Quando vi o clip do filme achei que seria mais um romance como todos os outros,me enganei feio rss.Fui ver o filme e me apaixonei pela história e ao chegar em casa,sentei em frente ao computador e li os 3 livros em 1 semana e meia.Meu marido não aguentava mais eu falando do filme,dos personagens etc.Parece que fui totalmente levada nessa viagem romântica que os livros nos passam.Cmomecei a comentar com familiares e alguns repreenderão dizendo que era pornô,satânico.Enfim,disse que tinham que ler os livros como eu li e constatarem que não passa de um romance muito bem escrito.Só lamento que não tenha sido eu a ter a ídeia que a autora teve.

  113. Ao começar ler o livro a primeira crítica é: nossa que pervertida, tá lendo pornografia, os que não leram tem sempre opinião contrário da história que se apresenta no livro, então tiram suas conclusões baseadas no que os outros dizem , principalmente por homens e mulheres que não leram o livro. O mais curioso foi que alguns pessoas depois ouvirem tanto sobre Christan Grey, começaram ler a trilogia,e o melhor se encantaram pela aquele homem que apresentou a Anastácia uma relação sexual totalmente diferente onde haviam coisas que jamais fariam com seus companheiros, sem falar do homem quase perfeito rsrs. Porém no lançamento do filme foi incrível a quantidade de pessoas que foram assistir e os que não leram querem ler para sadiantar o final do filme.Pra mim continuo sendo fã incondicional de Christian Grey, 50 Tons De Cinza.

  114. Disse à minha amiga:”depois de muito tempo enchendo o saco de vocês finalmente vi o filme de Cinquenta Tons de Cinza! Você não vai ver?” ela me olha com aquela cara e fala “eu não, é de gente velha. Se eu quiser ver pornografia tem vários sites na internet.” eu calmamente olho pra ela com um sorriso irônico e digo: “ah é verdade, tem vários sites sim, mas como ninguém falou em pornografia né, desculpa ai mas depois quero ver alguém falar que eu sou safada :)”

  115. Contei para uma amiga minha que eu havia gostado muito dos livros. Ela começou me criticar, falando que eu não tinha vergonha na cara por ler um livro com esse conteúdo, a família dela também é contra, acha o conteúdo inapropriado, e não deixaram a minha amiga ler, e ela acabou criando essa perspectiva errada do livro. Ela também achava errado o fato da “agressão” no livro e entendia de forma errada. Fiquei furiosa com ela, pois ela não sabia da história e estava tirando conclusões precipitadas. Expliquei para ela o que era o BDSM, e a história toda do livro, que não é o que todos acham, e que é uma história de amor diferente de tudo que já vi. Eu acho que pra ler e entender a história precisa ser cabeça aberta, e sem preconceitos. É muito irritante ver o que a mídia esta falando sobre o filme e os livros, mas quanto mais críticas, mais famoso os livros e o filme ficam, então foda-se esses preconceituosos!

  116. As pessoas sempre tendem a julgar o que é diferente do considerado normal, com Cinquenta Tons de Cinza não foi diferente. E assim como a obra, os seus fãs são sempre criticados. Creio que a maior crítica que recebi, foi um dia, quando conversava com as meninas da faculdade a respeito do filme e qual a visão que o livro trás da história. Uma das meninas disse que o livro tem a pior história de todos os tempos e que as pessoas só gostavam do mesmo devido às cenas de sexo. Também fez mais um daqueles comentários preconceituosos que estamos acostumados a ouvir de que se o Grey fosse pobre, as pessoas veriam a história de outra forma. Eu não me importei se ela queria ouvir ou não, mas lhe contei todos os traumas que o Grey trazia de sua infância que de certa forma explicam suas atitudes, relatado pela escritora no decorrer da saga, e que se as pessoas trazem esse pré-conceito do livro, pois comentam somente o que irá gerar polêmica e ibope, ao invés de ler o mesmo. Pois se lessem, saberiam que Cinquenta Tons de Cinza é somente o começo. O começo de uma bela história de amor, diferente das demais, porque nesta, o casal não é perfeito! Não existe uma princesa e um príncipe, mas um homem, que apesar de milionário, é extremamente cheio de defeitos, mas que com amor consegue superar estes. Após ouvir a história e a verdadeira essência desta, a menina disse que tinha outro conceito. Acredito que nós, fãs da trilogia, quando criticados por gostar desta, ao invés de discutir e mandar as pessoas lerem o livro, deveríamos contar pelo menos parte da história, provando assim a nossa teoria de que esta não é a respeito de surras, sexo e dinheiro. Devemos incitar as pessoas a lerem o livro para mudar assim essa mentalidade obsoleta que elas carregam.

  117. Bom , vou tentar ser o mais breve possível . Eu estava na escola com meus amigos e eles perguntaram o que eu tanto lia . A crítica veio de uma amiga . Eu estava contando como era a história e o fato de eu ter me apaixonado pelos protagonistas e de ter me identificado com a personalidade de Ana . Eu contei sobre o que se tratava o romance e de como eles foram levando o relacionamento , até que ela me olhou e disse ” Me desculpe Luciana, mas sinceramente , como uma mulher se presta ao papel de assinar um contrato pra poder levar ‘pancada na cara ‘ ? ‘ Ai , eu vou assinar aqui porque eu gosto de apanhar ‘ . É isso que você quer se tornar ? E sinceramente Luciana , essa história é ridícula e você não tem idade para isso ” , após ela dizer isso eu disse , ( prefiro preservar o nome dela aqui ) ” Olha , em relação a idade acho que não tem nenhum problema uma adolescente madura e ciente do que se acontece no mundo e entre o que acontece e pode acontecer em um quarto entre um casal , ler um romance aonde contém um pouco de erotismo nele . Acho que sou crescida suficiente em minha cabeça para não me influenciar com essa história e me tornar uma pessoa diferente por causa disso , se essa é sua preocupação …” ” Ah vai saber né ?! Se você não virá uma louca dessas ! ” ” E se eu virar ? Qual será o problema ? No livro ela tem opção de escolha e escolheu aquilo e assim como você falou e eu escutei agora você vai me escutar . Eu não gostei do que você disse e não posso mudar sua opinião mas eu apenas lhe garanto que , essa história é um romance e pessoas quando se apaixonam elas fazem sexo ! Algumas de um jeito e outras de outro . Grey e Ana fazem de uma forma que não é muito aceitada e muito menos bem conhecida , porque a maioria das pessoas tem um pensamento defasado desse mundo . É tudo muito complexo sim! E as pessoas são felizes como são e elas estão de acordo em se auto-infligirem dor que resulta no prazer delas! Não são obrigadas à isso . E elas não são pessoas loucas ou com problemas . São pessoas normais que gostam disso e se encontraram feliz nesse mundo. E a história se trata de como uma garota se apaixonou pela primeira vez e de como ela foi tendo suas descobertas , que ela esperava e até as quais ela nunca imaginou . Eu não quero brigar com você , então é melhor encerrarmos esse assunto por aqui . Mas que decepção a minha com você , que mente fraca e fechada . E tudo não se passa de um livro pra você se distrair , abrir seus horizontes e aprender algo com o que você leu. Tudo está no jeito de interpretar as coisas , e eu interpreto de um modo e você de outro. E do modo que eu interpretei eu amei o jeito que eles se apaixonaram e como eles mantiveram o relacionamento deles até que estavam se amando , eu amo essa história ! Ela não é fútil , por favor respeite isso , ao menos me respeite . Me desculpa , mas agora você tem uma amiga Greysessed …” . E após isso , ela ficou quieta e depois começamos a fazer a lição e depois ela veio conversar ainda com o mesmo ponto de vista mas ela me pediu uma desculpa meio que sem jeito , mas pediu .
    Críticas normalmente não aparecem muito na minha vida em relação a isso , porque normalmente esse assunto não vem em pauta . Mas quando vem , as pessoas apenas ficam impressionadas de uma menina de 16 anos ter lido a trilogia e visto o filme que é sempre citado como um pornô BDSM . Mas realmente , nenhuma delas tem uma instrução certa de como é esse mundo , e talvez eu também não . Eu fiz minhas pesquisas , e ” Fifty Shades of Grey ” não é a verdade sobre esse mundo que tanto gera polemica . Ainda mais pelo fato que não deu espaço para isso já que o amor tomou conta deles e como é citado no último livro – se eu não me engano nas palavras – Christian cita que Anastásia está no topo do fundo . Eu interpreto isso como se ela nunca poderá oferecer o que esse mundo já o proporcionou , mas o que ela lhe dá já é o suficiente e já é uma amostra desse mundo do sadomasoquismo . Bom , foi essa a crítica que eu “sofri” . Na verdade , eu não dou muita bola quando acontece, mas senti necessidade nesse dia de dizer algo a favor deles . Normalmente as pessoas não me dizem nada quando digo que gosto de FSOG . Espero que minha pequena história do cotidiano me dê uma boa chance nessa promoção , porque fã empenhada eu sou hahaha !
    Obrigada desde já . Boa noite 😉 .

  118. Meu interesse pelo livro surgiu, há exatamente 2 anos atrás, fiquei muito curiosa com a história de amor, e sobre o sexo em pauta, pedi de presente de amigo secreto no trabalho,e muitos me julgavam devido ao tema do livro.
    Na minha opinião, pessoas que são sexualmente resolvidas, como eu no caso, gostam de um romance, de colocar uma pimenta no seu fantasiar e é claro que ajuda também no relacionamento, a ter um up.
    Não me importo com as críticas, o interessante, é o lado bom que está leitura me acrescentou!

  119. bom dia.a critica mais severa que recebi ao ler o livro e ao assistir o filme, foi que estava vendo um homem que iludiu uma jovem e pra sentir total sensação de prazer, a espanca….que era pornografia pura,que as pessoas perdiam seu tempo assistindo pornografia com violencia da mulher.
    eu respondi que os leitores fieis de E.L.James, compreendiam muito bem o que a historia contada por esta autora quis mostrar;nao era pornografia e sim uma historia de amor de duas pessoas se descobrindo e redescobrindo o mundo magico do amor e da convivencia com o outro. o Christian Grey estava descobrindo o amor de forma diferente do qual conhecia, a convivencia com um relacionamento verdadeiro,ja a Anastasia estava vivendo seu primeiro relacionamento amoroso,intenso e tambem verdadeiro.
    sendo assim, nao me importo com dizem que seja uma pornografia ou uma citação a violencia domestica, porque so quem realmente leu ou assitiu entende e sabe como essa historia encantou milhoes de pessoas que apreciam uma verdadeira historia de AMOR!!!!

  120. Recebi diversas criticas, primeiro sobre o livro por ser muito detalhado nas cenas de sexo, sendo que é um livro para pessoas adultas, é claro que uma criança não vai ler o livro, depois o filme me falaram que preferia mil vezes ficar em casa lendo o livro, claro que um livro com mais d 400 páginas não seria feito do mesmo modo nos cinemas e nem mostraria todas as maneiras concretas, pois viraria filme porno, concorda, mas tanto os livros quanto o filme retrata uma história de amor e não pornografia. Ou vi falar muito que pobre quando bate em mulher é lei maria da penha e rico quando bate em mulher é 50 tons de cinza, mas qual casal não gosta de uma inovação na cama, é bom pra preservar o amor e o prazer, o problema que nada agrada, e com certeza para o próximo ira ter criticas, mas maie todos os livros e amei o filme, ja assisti umas 20 vezes, e gostaria muito de ganhar o kit, poderia também ter a continuação do terceiro livro iraia amar

  121. Sempre ouvi falar que os cinquenta tons de cinza era um livro que incentiva a violência doméstica entre as mulheres, mas isso não é verdade pois é uma história de amor verdadeiro, eu já li várias vezes os livros e não me canso que ler.

  122. O povo veio me criticar dizendo que quem lia cinquenta tons de cinza era pecador porque a igreja católica proibiu esse livro, só que eu briguei com praticamente todos e sai em defesa do livro e do filme dizendo que era uma história de amor e também disse a todos eles que duvidava que eles também não tinham lido e estavam escondendo para dizer que são santos. Me disseram que eu ia para o inferno se começasse a ler o livro mais eu não estou nem aí se me der a trilogia eu vou sim. Defendi e sempre vou defender esse livro maravilhoso pois foi o melhor que já li na vida não me canso de ler já li umas 500 vezes e ainda vou ler mais.

  123. A maior crítica que recebi foi da minha mãe que e evangélica , ela falou que mulher que ler ou assiste esse “tipo de coisa” não merece o amor de Deus e que apanha no futuro por gostar de ver um homem que por ser muito lindo bater em outra mulher pensando que é bonito ser algemada e usada como escrava sexual e lógico que eu falei para ela que o livro ou o filme não tinha nada ver com brutalidade e que é um romance muito bom de ler pedi pra ela dá um chance mas ela disse que a religião dela mão permitia bom eu sou católica eu li por curiosidade eu defendo com unhas e dentes por ser muito bom e um livro incrível eu não entendo qual é o mal de uma mulher querer fazer o que o homem que ela ama gosta. O que o povo tem que ter e mente aberta.

  124. Recebi muitas crítica…
    O pior q as críticas veio de quem não leu o livro ou que leu só o primeiro livro, falando que quem gosta deste livro é só pessoa safada q gosta de apanhar.
    Apenas respondi quem lê é q sabe realmente a história de amor.
    E q o amor consegui mudar uma pessoa completamente.
    E que infelizmente as pessoas julgam as coisas

  125. bom a critica mas dura que recebi por ler 50 tons e assistir o filme foi de umas amigas da minha mãe que falavam que quem assitia esse filme eram pessoas imorais e que iam diretamente para o inferno pelo filme e que ela me precisaria levar ao psicologo por que não era normal gostar de um filme que o homem que se ama bate sua amada enxeram tanto o saco dela (minha mãe)que ele fazia de tudo para eu não ir ao cinema chantagem e tudo mais o que eu fiz fui escondida numa sessão das 7 horas matando facudade ela descobrio e fez um escandalo mas dai o que fiz achei um senhorzinho que estava vendeo um dvd pirata ( eu sei que ilegal mas tinha que fazer isso) e comprei num sabado eu coloquei o dvd falando que era uma comedia romantica ela começou assistir e pra minha supresa ela simplesmente amou ate pedio desculpa depois por ela vio que o filme que falavam que era imoral não passava de apenas de uam historia de amor o dvd ele ate emprestou para as “amigas” que criticavam tanto hoje são mais fans que eu e ja estão loucas para o proximo…. aprenderam que ter um pre conceito antes de ver alguma coisa e errado bom essa foi a maior difilcudade que passei

  126. A maior crítica que tive foi de uma prima que me disse que não devo ter amor próprio andar a ler livros sobre sadomasoquismo que vai levar a violência domestica que o filme não vale nada que e só cenas de nus e violência que devia ser proibido livros e filmes desse tipo que e uma brutalidade.
    A que eu respondi que tanto o livro como o filme não tem nada de violência domestica nem de brutalidade. Que e uma historia de amor muito bonita. Que não existe nada de sadomasoquista que e uma pratica normal em alguns casais que se amam e que não tem nada de mal uma mulher fazer e realizar as fantasias do homem que ama. Nos e que temos de ter a mente aberta a novas experiências.

  127. O filme conta uma história que muitas pessoas não vivenciam, o que faz com que muitas pessoas tenham “pre-conceito” daquilo que não conhecem mas também não querem conhecer. Já ouvi vários comentários negativos sobre o filme, principalmente os homens que acham que o filme se trata de homem batendo em uma mulher. Não sei se e inveja ou se eles acham mesmo que o filme só tem como assunto a agressão a mulher. Primeiro de tudo o que mais eu achei interessante no filme foi a historia, o amor entre os dois e depois vem todo o contexto que esse amor esta envolvido, um contexto que não conhecemos mas que muitas mulheres podem se identificar ou até estar passando por uma historia parecida. Tudo é possível!

  128. Sempre fui considerada a tímidazinha, a doce, inocente, em tudo do qual eu fazia parte, principalmente por que sempre fui muito apaixonada por romances, livros e filmes desse gênero. Até que um dia fui apresentada por uma grande amiga, ao mundo do Sr. Grey e da doce Anastásia Steele, no começo não tinha me dado muito bem com o gênero da história, primeiro que era algo totalmente contrário ao que eu estava acostumada, mas ao começar a ler e me envolver totalmente naquele mundo misterioso de Grey e meigo de Ana, me apaixonei completamente!
    Ai desde então eu e minha amiga, conversávamos sempre na escola sobre nossa paixão por Fifty Shades Of Grey, até que certo dia, ao comentarmos que éramos apaixonadas pela trilogia e que faríamos de tudo para assistir o filme, um grupo de colegas da sala, nos repreendeu por isso e nos chamou de vadias e prostitutas, disseram que aquela “espécie” de livro só pessoas “da vida” é que liam, além de dizerem que a partir daquele momento Deus nos odiaria e condenaria nossas almas eternamente. Aquilo foi um choque pra nós, porque naquela sala ninguém nos defendeu, ficamos sem chão! Passamos a aula toda sem reação, até que bateu o sinal para retornarmos para casa, porém um grupo de garotos nos trancou na sala e disseram que já que éramos fãs de torturas iriamos experimentar um pouco dela, um me segurou enquanto um outro deu um tapa em meu rosto, porém por sorte uma assistente ouviu nosso choro e nos ajudou, já na direção coordenadora da escola ainda com o rosto marcado pelo tapa e com os olhos cheios de lágrimas olhei no rosto do garoto e disse: “ seu tapa marcou meu rosto, porém nenhuma das suas palavras irão fazer com que eu deixe de amar FSOG! Grey é um homem enrijecido pelo mundo sombrio que a vida lhe proporcionou e Ana é radiante, é a luz de Grey, a história mostra que mesmo sendo de mundos totalmente diferentes, o amor não define características para acontecer, ele apenas acontece nada é maior que o amor dos dois, nem o medo, nem a dor, nem o prazer, não é sobre como duas pessoas fazem sexo diferente, são duas pessoas ensinando uma à outra a se amarem incondicionalmente apesar de suas diferenças! O amor é maior que tudo e por ele eu estou disposta a levar quantas tapas vc quiser me dar, por que meu corpo vc pode machucar, mas meu coração e amor por eles vão ficar intactos! “EU AMO 50 TONS DE CINZA”.
    EU TENHO FÉ, POR QUE SEM ELA EU NÃO ESTARIA SEMPRE TENTANDO MAIS UMA VEZ.

  129. Quando você fala que curte 50 tons, as pessoas já te olham como se você fosse tarada, pervertida ou coisa pior. Já ouvi muito: “esse é aquele livro pornô?” e “não quero nem imaginar o tipo de pessoa que assiste um filme desses”. Para falar a verdade, eu nem discuto. Eu tenho é pena. Pena de quem pensa tão pequeno. Pena de quem não consegue perceber que as coisas são muito maiores (e muito melhores!) do que o trivial. Pena de quem não consegue nem sequer imaginar um mundo diferente daquele “ideal” (que só existe na própria cabeça). Quando muito, eu digo: “isso é tão literatura, tão entretenimento, quanto qualquer outro livro/filme”. E digo isso não para convencer, mas para encerrar o assunto. Porque de gente tapada o mundo está cheio e eu não tenho muita paciência para isso. Curto 50 tons, li os livros e assisti o filme mais de uma vez no cinema! Isso não faz de mim melhor ou pior do que ninguém, me faz apenas alguém que não se limita aos pré-conceitos impostos pela sociedade.

  130. Tenho visto mesclado comentários sobre o livro eo filme igual, eu acho que uma história como Cinquenta Tons de Cinza é difícil adaptar-se por várias razões, em primeiro lugar a imaginação do autor foi muito longe e não significa que tenha sido ruim, no entanto, se complicado para uma adaptação cinematográfica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *