A Filha Perdida: Estrelado por Olivia Colman, filme é para fechar o ano com o pé direito

Tivemos a oportunidade de assistir o filme “A Filha Perdida” (The Lost Daughter), em primeira mão, numa sessão privada em Los Angeles. Estrelado por Olivia Colman e Dakota Johnson, o filme marca a estreia da consagrada atriz Maggie Gyllenhaal como diretora.

Em “A Filha Perdida”, Leda (Olivia Colman) é uma mulher de meia-idade divorciada, devotada para sua área acadêmica como uma professora de inglês e para suas filhas. Quando ambas as filhas decidem ir para o Canadá e ficarem com seu pai nas férias, Leda já antecipa sua rotina sozinha. Porém, apesar de se sentir envergonhada pela sensação de solitude, ela começa a se sentir mais leve e solta e decide, portanto, ir para uma cidade costeira na Itália. Porém, ao passar dos dias, Leda encontra uma família que, por sua mera existência, a faz lembrar de períodos difíceis e sacrifícios que teve de tomar como mãe. Uma história comovente de uma mulher que precisa se recuperar e confrontar o seu passado. Fonte: Adoro Cinema

Esse é um daqueles filmes que nos fazem pensar, pois nos identificamos com os personagens e os conflitos que eles estão vivenciando na tela, que por muitas vezes reproduzem a nossa realidade.

No bate-papo depois da exibição do filme, Maggie conta que é fã da escritora Elena Ferrante e há muito tempo pensava em adaptar para a telona um dos seus livros, porém, inicialmente, ela tentou comprar os direitos de um outra obra, mas foi a própria editora que sugeriu a ela que considerasse “A Filha Perdida”. “Eu ainda não tinha lido esse livro da Elena, mas quando comecei não consegui parar, e terminei decidida que seria a base do roteiro que marcaria meu primeiro filme como diretora. Foi uma decisão muito feliz, conta a atriz, que foi recebida por nossa plateia com muitos aplausos que a emocionaram. “A gente faz um filme e nunca sabe como será recebido, essa resposta positiva e carinhosa do público é uma agradável surpresa, compensa nosso trabalho”, disse Maggie.

Estavam presentes também a nossa amada Dakota Johnson (Nina) e os atores Peter Sarsgaard, que é marido de Maggie, e faz uma participação como professor Hardy, e Paul Mescal (Will).

Claro que a gente tinha que compartilhar os mínimos detalhes do nosso encontro com Dakotinha. E, para saber o que rolou e ver as fotos e vídeos exclusivos, dá uma olhada neste post:

https://www.hollywoodeaqui.com/dakota-johnson-atriz-bem-humorada-e-sincerona-brilha-em-sessao-do-seu-novo-filme/

Destacamos também os melhores momentos da conversa com o super divertido Peter que rasgou elogios para a esposa: “eu não tinha dúvidas que ela ia arrasar como diretora, Maggie é a pessoa mais inteligente que eu conheço, eu até tento ser cool, mas ela reina lá em casa”.

Maggie retribui os elogios dizendo como foi prazeroso trabalhar com o marido: “eu sou fã do Peter como ator, essa personagem foi escrito para ele, que deu um show, como vocês viram agora”. E, realmente, Sarsgaard está ótimo, assim como Paul, que disse que contracenar com Olivia e Dakota foi um grande aprendizado para a sua carreira, assim como ser dirigido por Maggie: “imagina, foi uma honra pra mim fazer parte desse elenco e ajudar a contar essa estória através do olhar sensível de Maggie, que criou um clima maravilhoso e familiar no set”.

Dakota ressaltou a importância que Maggie para o sucesso do seu trabalho: “eu ainda não sou mãe e fiquei com medo das pessoas acharam que eu seria uma mãe horrível na vida real, por conta da trajetória da Nina, minha personagem mas, graças a Maggie, eu me senti segura para mergulhar de cabeça. Ela contribuiu para que todos os atores ficassem à vontade o suficiente para esquecerem que estavam interpretando, assim nossas performances foram naturais, sinceras. Foi muito especial trabalhar com ela”.

Maggie agradeceu não só ao público, mas aos atores e sua maravilhosa equipe por terem topado embarcar nessa aventura com ela: “nós rodamos esse filme durante a pandemia, enfrentamos vários desafios, seguimos à risca todos os protocolos de segurança durante o COVID. Mas a nossa equipe foi sensacional, dedicada, todos queriam de verdade estar lá e deram o melhor de si para esse projeto, assim como os atores. Foi o sonho de todo o diretor, e como meu primeiro trabalho posso dizer que foi uma honra estrear com a colaboração desse grupo de pessoas”.

“A Filha Perdida” estreia dia 31 de dezembro na Netflix e nos cinemas e eu encorajo a todos a assistir esse filme que é uma reflexão sobre as verdades da nossa alma. Nada melhor para começar o novo ano com o pé direito.

Vejam trechos da conversa com Maggie, Peter, Dakota e Paul
nos nossos vídeos exclusivos do evento:

 

 

Trailer legendado:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *