Como trabalhar na Disney?: Morando em Orlando

Por: Camila Sá

Essa é a melhor parte de todo o intercâmbio: os finalmentes! Assim que chegamos em Orlando, depois de passar pela imigração, pegar as malas e o trem até o outro lado do aeroporto, que é gigante, é que a ficha cai, mais ou menos. Pouco mais de dois meses sozinha em um país, falando inglês 24/7 e se virando com toda e qualquer situação que vier pela frente. Eu cheguei lá dois dias antes do que deveria para me apresentar no meu condomínio, o Chatham Square.

 

 

Dividi hotel com umas meninas que conheci no grupo do Facebook (ele vai te acompanhar durante todo o processo, pode entrar: Futuros Cast Members 17/18). Nos gostamos tanto que não nos largamos durante o programa, juntamente com outros três amigos que se aproximaram e também conhecemos logo nos primeiros dias. Na segunda de manhã, dia 28 de novembro, dividimos um Uber até o Vista Way, mais famoso, antigo e querido condomínio dos quatro que a Disney nos oferece para este intercâmbio. Todos eles moraram lá, eu fui a única excluída nesse rolê.

Ainda no Brasil, nós “escolhemos” em qual deles queremos morar e é possível linkar pessoas conhecidas para morar na mesma casa que você, que sejam, obrigatoriamente, do mesmo sexo. O que acontece é um tipo de sorteio, pode ser que more com quem que linkou em outro condomínio, ou apenas te concedam o condomínio com outras pessoas. Geralmente ao menos uma das duas coisas acontece. Não dá para ter tudo, né? Há também a escolha aleatória (adventurous) em que você cai em qualquer um dos quatro e com pessoas que você sequer conhece. Foi o que fiz e não me arrependi, dividi o apartamento com mais cinco meninas, três em cada quarto, e pagava US$ 93 dólares por semana. Sim, por semana, por pessoa, descontado logo que o seu salário cai.

Cada apartamento já está minimamente mobiliado com geladeira, fogão, utensílios de cozinha, lixeiras, sofá e camas com colchões. Na front desk – passe lá sempre que der por motivos de cookies de graça – de cada condomínio, eles emprestam ferro de passar roupa, aspirador e algumas outras coisas relacionadas à limpeza. Uma vez por mês, mais ou menos, há inspeção para saber como estamos cuidando da casa, a multa é de US$ 25 dólares por cabeça, se não me engano, caso tudo esteja uma grande zona. Os quatro locais oferecem piscina, quadra de esportes, academia e lan house 24h, que é uma mão na roda para coisas que são chatinhas de resolver pelo celular.

Além dos dois condomínios citados, tem também o Patterson Square e o The Commons. Os que considero melhores são o Vista e o Chatham porque são os que têm ônibus em praticamente todos os horários, o Chatham tem apartamentos grandes e é o mais barato do ICP. Pagar 20 dólares a menos vai fazer uma grande diferença, pode confiar em mim. O Commons ainda passa bastante ônibus, mas menos que esses outros dois, a piscina é linda e a maioria dos eventos e palestras informativas que tivemos foram lá: ponto para quem só vai precisar trocar de roupa e sair, ao invés de pegar ônibus para esses compromissos. Ah, o mais importante é que ele fica na frente do Vineland Premium Outlet, é só atravessar a rua e torrar todo o seu dinheiro. O Patterson não recomendo muito, porque só tem UMA linha de ônibus que vai até lá. A galera tinha que ir andando ou esperar bastante até o transporte chegar.

Patterson e Chatham são, praticamente, um do lado do outro e os dois ficam a uns 10 minutos a pé do The Commons. Já o Vista é o mais longe de todos, cerca de 10 minutos de ônibus, mas é do ladinho de um Walgreens, Wendy’s (saudades do combo 4 for 4), lojas de souvenirs, restaurantes (Applebee’s, Cici’s que é all you can eat por menos de US$ 7 e uns outros aleatórios), Starbucks, Dollar Tree (a maravilhosa loja em que tudo custa apenas 1 dólar) e Dunkin’ Donuts. Dá para ir a todos esses lugares andando, enquanto nos outros não tem nada disso por perto.

No entanto, era só pegar um ônibus para o Vista para poder frequentar todos esses locais. O transporte é gratuito, nos leva para os quatro condomínios, todos os parques, inclusive aquáticos, e hotéis da Disney, ESPN, Wal Mart e Publix (mercados) e a cada mês por dois dias tem horários para o Florida Mall, um shopping enorme que você anda o dia inteiro sem nem perceber.

Quase toda semana tinha uns eventinhos bem legais do housing para nós. Filme com pipoca e refri de graça, karaokê, algumas festinhas de boas vindas para os novos cast members com DJ, pizza, cabine de foto e personagens para tirar fotos. Tudo isso é patrocinado pela taxa que pagamos semanalmente ao condomínio. Mesmo se você morar no que não tem o evento, pode frequentar normalmente. Temos acesso livre a todos.

Alguns passeios (pagos) eram organizados também para entreter a galera nos dias de folga. Quando eu estava lá fizeram um para o Madame Tussaud’s juntamente com a Orlando Eye – uma roda gigante que imita a de Londres – e um aquário super legal. Infelizmente, quando fui me inscrever já tinha lotado, então fui por conta com uma amiga e saiu basicamente o mesmo preço que eles cobraram.

 

 

Infelizmente, fora da rota Disney, se você não tiver como bancar o aluguel de carro terá que gastar bastante com Uber ou Lyft – serviço similar que tem nos EUA -. Em Orlando, os deslocamentos são um pouco caros, dá até para andar de ônibus lá, mas arrisquei poucas vezes. Tem um ônibus verde chamado Trolley, que custa 25 centavos, e passava por pontos bem legais da International Drive. É possível tomá-lo em frente do McDonald’s que tem perto do Vineland Premium Outlet. Outra linha que peguei enquanto morei lá foi o Lynx rosa, que vai basicamente pelos mesmos pontos do Trolley: restaurantes, bares, parques (Sea World, Universal), Orlando Eye, Madame Tussaud’s, aquário e outro Outlet que tem um pouco mais longe de onde moramos (a Victoria’s Secret de lá é maravilhosa).

Orlando não é um cidade para pedestres, alguns trechos nem sequer têm calçada. Para as festas e boates, há uma organização com ônibus de festa semanalmente, que são postadas lá no grupo do Facebook. Eles passam em todos os condomínios, algumas vezes não precisávamos pagar, mas outras sim.

Saiba mais detalhes de como se inscrever no programa para trabalhar na Disney:

Como trabalhar na Disney?

Uma vez aprovada no programa na Disney qual a função que você deve escolher? Confira aqui:

Como trabalhar na Disney?: Profissão Custodial