Como trabalhar na Disney?

Por: Camila Sá

Eu já perdi a conta de quantos posts, vlogs e fotos já vi na vida sobre esse assunto. A minha vontade de ir para a Disney sempre foi muito grande, além da vontade de também fazer um intercâmbio de trabalho por lá. Bom, 2016 finalmente me trouxe essa realização e, apesar de tudo, até hoje não parece que foi real. Há apenas duas semanas de volta ao Brasil, eu ainda olho para as minhas próprias fotos não sabendo muito bem o que pensar. Se você, como eu, quer ter a mesma experiência saiba que o mais difícil é manter a calma durante todo o processo, que dura meses e você não vai conseguir falar, pensar ou fazer qualquer outra coisa que não tenha a ver com o famigerado rato. Mesmo.

Para começar, é simples: inscreva-se no site da STB e aguarde. Eu recomendo também ficar checando o site em meados de abril/maio, porque é quando as inscrições começam e, mesmo inscrito no site, você pode acabar não sendo avisado pelo e-mail. Com essa pré-inscrição, pelo menos em 2016, você demonstrava o interesse de participar do programa e da primeira – e obrigatória – palestra informativa que acontece em cinco cidades. Posteriormente, foram abertas as inscrições para as palestras de cada cidade e aí quem não conseguisse online ficava de fora. Teve uma fila de espera das pessoas que chegaram cedo e se organizaram, aqui em Brasília, eu mesma estava nela porque tinha agendado minha entrevista errada – tudo na minha vida é com emoção mesmo, rs – mas deu certo. Eu só preciso dizer uma coisa: de ano para ano alguns detalhes mudam, então pode ser que não seja assim. Uma coisa que você já precisa entender sobre esse intercâmbio: tudo é relativo, as coisas mudam. É um conselho que dou desde a sua inscrição com a STB até o final da viagem, caso seja aprovado. Tudo é relativo.

 

Após a palestra, são marcadas as primeiras entrevistas – em inglês! – de emprego, claro, afinal você está indo trabalhar. Ao passar pela primeira fase, a segunda é apenas em São Paulo. Lá, os próprios recrutadores da Disney vêm para conhecer e escolher os candidatos que farão parte do time de cast members – como somos chamados – do ano. Algumas posições de trabalho – chamadas de roles – são oferecidas e é importante frisar que você “não escolhe” o quê ou onde vai trabalhar, pode ser nos parques, nos resorts – como euzinha – ou em Disney Springs, que é um lugar com restaurantes e lojas. A Disney te dá um formulário para fazer um ranking das suas preferências, mas tudo pode acontecer. Eu consegui a posição que queria, mas conheci gente que acabou caindo na posição que havia descrito que tinha o menor interesse. É a vida, mas não se decepcione porque o importe é ir, né?
 

 

 

Passou nas duas entrevistas? Surtou bastante? Já está em 356 grupos de Facebook e WhatsApp? Agora está na hora de começar a pagar. Passaporte, visto (especial para esse trabalho, tem que tirar mesmo se já tiver o de turismo), passagens e seguro de viagem (a Disney escolhe um específico) são todos por sua conta. Antes do embarque, também são cobrados U$ 354 dólares para as duas primeiras semanas de aluguel e uma taxa do condomínio, no qual você vai morar pelos próximos dois meses. Tem que levar mais uma grana para sobreviver as duas primeiras semanas, porque o trabalho só começa depois desse período, já que todos precisam ser treinados pela Disney. Acredito que US$ 300 são o suficiente para fazer mercado e dividir as coisas em comum com os seus roommates. De resto, é só para sair, se divertir mesmo ou fazer compras sobressalentes, mas isso depende de cada um. No meu ano, a STB nos informou que ficaria em torno de US$ 2.300 todo o programa, com tudo isso que citei acima – desconsiderando as viagens que precisariam ser feitas paras as entrevistas – estimando um valor bem alto de passagem. Com o dólar nas alturas, o custo vai depender de cada um. Lembra o que eu disse antes? Tudo é relativo, tudo depende.

Pagou tudo? Agora é só aproveitar os últimos dias de família e amigos, comer bastante da nossa comida e sonhar com tudo o que vem pela frente. Essa será a sua oportunidade de entrar quantas vezes nos parques você quiser, em todos no mesmo dia, inclusive. Pode ir ao Animal Kingdom para passear, ao Magic Kingdom de noite só para ver o Wishes – que vai acabar -, ir até o Hollywood Studios somente por causa da Tower of Terror, com o fast pass que você tem direito, e depois passar no Epcot para comer uma especiaria do seu país favorito e encerrar o dia. Lá é assim, sendo dia de folga ou não, é sempre uma boa ideia passar pelos parques. Mas não se iluda: a gente trabalha e trabalha MUITO. MESMO. Só que é uma experiência sem igual que vai ficar para a vida toda, juntamente com as melhores pessoas que você vai conhecer nessas semanas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *