Patricia Arquette rouba a cena na minissérie “Escape at Dannemora”

Sou fã de carteirinha da Patricia Arquette, mas confesso que estava torcendo para que Amy Adams levasse o Golden Globes e o SAG (prêmio do Sindicato dos Atores nos EUA) na categoria melhor atriz de minissérie por “Sharp Objects”, este ano.

Mas foi Arquette que levou as duas estatuetas por sua atuação em “Escape at Dannemora”, minissérie do canal Showtime, e, semana passada, quando finalmente assisti os 7 episódios da seriado, eu realmente concordei que era merecido o seu reconhecimento. A performance de Patricia, e todo o elenco, que inclui Benicio Del Toro, Paul Dano, Bonnie Hunt entre outras feras, é, na verdade, melhor que a série em si. Assim como a caprichada direção de Ben Stiller.

Eu explico, em “Escape at Dannemora” que é baseada em fatos reais, Tilly Mitchell (Patricia Arquette) é uma funcionária de uma prisão do norte de Nova York, que se vê envolvida com Richard Matt (Benicio Del Toro) e David Sweat (Paul Dano), dois detentos do local. É aí que ela decide ajudá-los a fugir do presídio. A minissérie reconta todos os detalhes do planejamento da fuga, mostra o passado dos envolvidos, o que acontece quando os detentos finalmente conseguem alcançar seu objetivo, e o gran finale.

A questão é que o roteiro não traz nada de novo. A sensação que tive é que já tinha assistido algo semelhante desde os tempos do filme “Alcatraz” e tantos outros do gênero. Mas, o que eu nunca tinha visto em nenhum dos anteriores, era um grupo de atores darem o show que o elenco de “Escape at Dannemora” deu, especialmente porque eles interpretaram pessoas que de fato existem, o que torna o trabalho sempre mais desafiador.

Patricia Arquette é uma força sobrenatural diante das câmeras. Eu me lembro que vi um episódio de “The Act” e, em seguida, assisti um outro episódio de “Escape at Dannemora” fiquei boquiaberta com a capacidade da atriz interpretar com tanto brilhantismo duas mulheres extremamente complexas e diferentes entre si. Ela parece captar a alma de suas personagens de uma forma única, deixando a sua própria de lado, e emprestando seu corpo e gestos para suas personagens, que em ambos os casos, também exigiram uma mudança física da atriz.

Na onda de ser 100% honesta, eu gostei muito mais de “Sharp Objects” como minissérie, mas, sem dúvidas, Arquette mereceu as premiações que recebeu. E, de qualquer forma “Escape at Dannemora” é super interessante, prende a nossa atenção e aguça nossa curiosidade, sim é mais uma história de detentos que fugiram de um presídio, supostamente, de segurança máxima nos EUA, mas, neste caso, a grande estrela que adoramos odiar é a antagonista Tilly, que graças à Patricia Arquette, virou o centro das atenções deste roteiro que vale a pena prestigiar, nem que seja só para conferir seu show de interpretação.

Trailer original:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *