Produções nacionais são nossa dica para as maratonas dos foliões viciados em séries

Essa semana a nossa coluna “Só seriados” está tão brasileira como o Carnaval.

O bloco de viciados em séries vai pra rua representando as melhores produções nacionais. Os foliões que trocam o samba pelo sofá podem se deliciar maratonando os melhores seriados produzidos no Brasil nos últimos anos.

Eu, que moro nos EUA há mais de uma década, estou cada dia mais orgulhosa da nossa Hollywood brasileira que tem produzido seriados que não deixam nada a desejar a nenhum enlatado americano.

Tanto que não foi fácil eleger as minhas quatro prediletas, mas me inspirei nas próprias escolas de samba que todos os anos trazem enredos que falam sobre o Brasil ou abordam assuntos relevantes para a nossa sociedade. Por isso, compartilho as séries que conquistaram meu coração com roteiros excelentes, atuações brilhantes, direção caprichada e, mais que tudo, sendo 3 delas um verdadeiro retrato da realidade do país, “Sob Pressão” mostra o sistema público de saúde, “O Mecanismo” foi inspirada na operação Lava-Jato e “1 Contra Todos”, que apresenta o sistema penitenciário e a corrupção em Brasília. E a quarta fala de terapia, de uma forma única, sensível e que toca nosso coração, “Sessão de Terapia”.

vvvvv
vvvvv Sob Pressão
O dia-a-dia dos funcionários de um hospital público no subúrbio do Rio de Janeiro não é nada fácil, especialmente para o Dr. Evandro (Júlio Andrade), o cirurgião-chefe da equipe médica. Cético, ele encontra alívio para os seus problemas na companhia da doutora Carolina (Marjoire Estiano), sua colega de trabalho que, diferente dele, encontra na fé o refúgio para seus problemas. Os dois podem até ser diferentes, mas vão encontrar um no outro uma maneira de sobreviver entre as emergências do hospital e o caos de suas próprias vidas.
vvvvv

 

Carolina&Evandro: Meu maior shippe brasileiro…

Estou COMPLETAMENTE viciada em “Sob Pressão”. Eu sei que estou atrasada, mas, ao mesmo tempo, estou aliviada, porque posso maratonar várias temporadas e não preciso esperar meses por um novo episódio. O único problema é que não consigo fazer outra coisa, dormi super pouco e estou shippando loucamente Carolina e Evandro. Por sinal, sou fã de Marjorie Estiano desde os tempos da Vagabanda. Alguns vão dizer que sou suspeita pra falar bem de uma série produzida por um dos meus melhores amigos, Gustavo Baldoni, mas ele me conhece bem e sabe que sou sincera. Tô “Sob Pressão” mesmo. 😍

vvvvv
vvvvv O Mecanismo
Marco Ruffo (Selton Mello) é um delegado aposentado da Polícia Federal obcecado pelo caso que está investigando. Quando menos espera, ele e sua aprendiz, Verena Cardoni (Carol Abras), já estão mergulhados em uma das maiores investigações de desvio e lavagem de dinheiro da história do Brasil. A proporção é tamanha que o rumo das investigações muda completamente a vida de todos os envolvidos.
vvvvv

 


O Mecanismo: a estrela da nossa coluna HEA Bra:

https://www.hollywoodeaqui.com/hollywood-brasileira-23-as-novidades-mais-legais-sobre-musicas-filmes-e-series/

vvvvv
vvvvv 1 Contra Todos:
Cadu (Julio Andrade) é um advogado dedicado que preza pela verdade e pela justiça acima de tudo. Com uma esposa grávida do seu segundo filho e recentemente desempregado, ele vê sua vida mudar completamente quando é acusado e condenado à prisão após ser confundido com o maior traficante de drogas do Brasil. Na cadeia, Cadu adota uma nova postura para poder sobreviver e decide se comportar como o criminoso que todos já acreditam que ele seja. No entanto, além de colecionar inimigos, sua decisão afeta drasticamente as vidas das pessoas que ele ama.
vvvvv

 

“1 Contra Todos” – O “The Americans” do Brasil

Quem me conhece sabe que sou fã de carteirinha da série “The Americans”, que conta a estória de dois espiões russos, que se passam por estadunidenses, para defender sua terra natal durante a Guerra Fria. O que sempre me chamou atenção foi o roteiro brilhante, mais que isso, a jornada do herói desenvolvida com maestria. Além de uma direção caprichada e atuações de tirar o fôlego. O seriado brasileiro “1 Contra Todos”, além de não deixar nada a desejar para a produção hollywoodiana, foi mais reconhecida pelos membros da Television Academy do que a série produzida nos EUA.

Protagonizada pelo excelente Júlio Andrade, o seriado original da Fox Brasil (por sinal, a mesma emissora que produziu “The Americans”) aborda um tema e nos apresenta um herói que nunca vi antes na TV, nem no Brasil, nem nos EUA. Suas 3 temporadas foram indicadas ao Emmy, o Oscar da TV, na categoria melhor série, enquanto Júlio foi indicado na categoria melhor ator na primeira e segunda temporadas. Alguns vão dizer que sou suspeita para falar sobre “1 Contra Todos”, pois, assim como “Sob Pressão”, foi produzida por um dos meu melhores e mais antigos amigos, Gustavo Baldoni. Mas, enquanto a indústria do entretenimento brasileira conhece ele como Baldoni, pra mim ele é Gustavo Henrique, que sabe muito bem que eu jamais compararia “1 Contra Todos” com “The Americans” se a série não fosse merecedora. Vão por mim viciados em seriados que ainda não assistiram, vale conferir na Globoplay.

vvvvv
vvvvv Sessão de Terapia
A série “Sessão de Terapia” é ambientada num consultório de psicanálise e acompanha o dia a dia profissional e pessoal de um analista, que nesta nova temporada é interpretado por Selton Mello – que também dirige a produção.
vvvvv

Minha sessão de terapia com Caio Barone:

Logo que cheguei em Austin, eu levei um tombo feio e ralei os dois joelhos, que ficaram em carne viva. Foi muito doloroso e me senti um pouco ridícula, como Dona Haidee, a paciente de Caio (Selton Mello) em “Sessão de Terapia”. As palavras do psiquiatra para sua paciente, me transportaram para o seu divã, acalentaram meu coração, e deram um outro sentido às cicatrizes que vejo diariamente nos meus joelhos. Mais que tudo, as palavras de Caio me lembraram da criança, que ainda habita meu corpo quase cinquentão… “Sabe dona Haidee, tem uma linha da psicopedagogia que diz que é bom pra criança ralar o joelho. Diz que assim a criança entende que a vida machuca, mas que o machucado cicatriza e passa. Ela aprende a tomar cuidado, a tentar brincar sem desequilibrar pra não sentir a dor de novo. Mas, mesmo tendo a experiência da dor, do sangue, nenhuma criança, nenhuma, nunca deixou de brincar por causa de um joelho ralado”. E, assim, ganhei ainda mais motivação e estou ainda mais inspirada para continuar brincando. Excepcional esse seriado. Brilhante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *