“Você Manda Especial Chrismukkah”: Sua memória de Natal vale prêmios

Para os fãs de seriados, o Natal é uma época especial, afinal muitos dos nossos vícios celebram com episódios especiais a data. No cinema vários filmes são lançados para festejar a ocasião também. As músicas são a marca registrada da data, tanto no Brasil, e ainda mais nos EUA, onde as canções natalinas passam a fazer parte da programação das rádios mais populares do país.

E para os fãs de “The O.C.”, o Natal se tornou ainda mais divertido, graças a Seth Cohen, o menino judeu que criou o Chrismukkah (uma combinação de Christmas/Natal com o Hanukkah). Segundo ele, sempre acontecia um milagre, que era a marca registrada desta festa especial.

Em homenagem a Seth e as pessoas de todas as crenças e religiões, este ano, para celebrar o Natal no Hollywood é Aqui, vamos contar com a ajuda de vocês, nossos amados leitores e amigos.

Valendo CEM reais em prêmios que você escolhe no site da Amazon.com.br, compartilhe com a gente, nos comentários deste post, qual é a sua memória de Natal favorita ou um milagre que você tenha recebido nesta época do ano, no melhor estilo chrismukkah.

O comentário do vencedor (a) será publicado no nosso site no dia 24 de dezembro para desejar Boas Festas em nome de toda a família Hollywood e Aqui.

Participe do nosso “Você Manda Especial Chrismukkah”, concorra a prêmios e ainda distribua energia positiva! Contamos com vocês.

Boas festas.
Beijão,
Claudinha

Recomendado para você

Compartilhe

2 comentários sobre ““Você Manda Especial Chrismukkah”: Sua memória de Natal vale prêmios

  1. Eu estava em meu trabalho na entrada do parque Magic Kingdom da Disney na véspera de natal, e eu trabalharia até 23h. O dia estava caótico e, embora eu estivesse no melhor lugar do mundo pra se estar nesse dia, eu estava bem exausta. Eu sou muito apaixonada pelo natal, mas estava um pouco desencantada naquela noite pois não estava tendo tempo nem para respirar. Por volta das 22h algumas pessoas começaram a se retirar do parque, e eu estava recolhendo cadeiras de roda alugadas. Recebi uma mãe e uma filha excepcional muito sorridente para devolver a cadeira de rodas, e elas estavam com muitos itens nas mãos e no colo da garota. Ao ver a desorganização da mulher, ofereci uma sacola grande para ela carregar tudo aquilo, e ela desatou a chorar e me abraçou. Fiquei sem reação, porém a abracei de volta e perguntei se ela estava bem. Ela me contou que aquele havia sido o melhor dia de sua vida inteira, e após receber minha gentileza, não aguentou sua emoção. Relatou que sua filha, além de ter paralisia cerebral, era surda e muda, e não sorria facilmente, portanto ela decidiu trazer a filha para a Disney para ver se isso mudava. Durante o dia todo, a menina não demonstrou grande entusiasmo. Porém, no final do dia (na parada das 19h), quando ela já estava desistindo do seu plano, a garota avistou o Woody (seu personagem disney preferido) vindo em um carro alegórico, e ela se encheu de felicidade e começou a fazer em linguagens de sinais “eu te amo” para o Woody. Nesse momento, o Woody apontou para ela e fez em sinais “eu também te amo” e ela ficou com um sorriso largo cravado no rosto desde então. Ainda estava sorridente, mesmo após 3 horas. Nesse momento, meu coração se encheu de alegria e eu senti toda aquela magia que o natal traz! Segui até o final do meu turno muito satisfeita e feliz, tornando esse um natal inesquecível!

  2. Há dois anos minha família estava toda envolvida em um novo projeto, uma pequena loja que seria inaugurada no início de janeiro. Na correria para que desse tempo de deixar tudo pronto, ninguém tinha cabeça – nem disposição – para cozinhar, por isso decidimos fazer diferente e encomendar de um conhecido alguns pratos da ceia. No dia 24, quando o relógio bateu 20h e nada de ceia, começamos a nos preocupar. Recebemos uma ligação da pessoa dizendo que ele iria se atrasar um pouco, até aí tudo bem, pensávamos que até umas 22h a comida teria chegado. Quando deu 22:30, depois de ligarmos para a pessoa e não sermos atendidas, decidimos correr e preparar qualquer coisa para que pelo menos a ceia não passasse em branco. Não tínhamos muito tempo, mas fizemos o que tinha na geladeira, e nos sentamos todos para comer próximo da meia-noite. Contando ninguém acredita, mas quando deu 23:55 o interfone tocou e era a ceia chegando. O rapaz disse que teve problemas com ajudantes que não apareceram, e que ficaram apenas ele e a esposa preparando as encomendas e por isso chegaram tão tarde. Pediram mil desculpas, e aceitamos, claro, o que mais poderíamos fazer? Todos têm problemas. Acabamos ficando com comida demais, que durou o almoço e o jantar do dia seguinte (e as filhas ainda levaram marmita). Foi um episódio que nos rendeu boas risadas, e que ajudou a descontrair de toda a tensão que o trabalho estava nos causando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *