Dulce María: cantora mexicana mostra turnê inédita aos brasileiros e fala sobre novo disco

Por: Camila Sá e Matheus Fabbris

Dulce María entrava na sala de coletiva que a esperava na cobertura de um dos hotéis do bairro Pinheiros, em São Paulo. O céu limpo e ensolarado que gritava pelas janelas combinavam com o já conhecido sorriso e simpatia da moça, que cumprimentava a todos que timidamente retribuíam ao olá e ao bom dia do português afiado de quem retornava, mais uma vez, ao Brasil para uma série de shows e extensa agenda de entrevistas.

O jejum de três anos sem disco, desde o lançamento do “Sin Fronteras“, em 2014, foi quebrado pelo novo sucesso homônimo, “DM” – as iniciais de seu próprio nome – que entrega uma mulher mais madura, mostra seu lado pessoal e contundente, sendo seu trabalho favorito, até agora, segundo a própria revelou.

“Trabalhei com produtores que captaram a essência de como eu queria moldar minha música. Ele tem outros sons, instrumentos, é algo diferente do que já havia feito. As letras falam de seguir adiante, que as cicatrizes são marcas de que sobrevivemos. É um disco com mais força, determinação, mensagens de fé e esperança”, definiu.

(Foto: Matheus Fabbris / HEA)

Com quatro músicas de própria autoria, a jovem cantora não esconde o carinho, em especial, por “Cicatrices“. A canção é forte e fala sobre a luta para continuar seguindo, dia após dia, apesar dos obstáculos iminentes. “Ela (Cicatrices) é muito importante para mim, porque foi a primeira canção que compus para este álbum. A ideia que eu tinha era de fazer uma canção que nos desse força, a todos nós, e para muitos dos meus fãs. Quando a escrevi estava saindo de um processo de ruptura, então estava cicatrizando minhas feridas quando percebi que já não me doíam mais. Só existiam marcas e quis compartilhar que, mais cedo ou mais tarde, tudo cicatriza, são sinais de que somos mais fortes“.

Aos 30 anos, em meio às metáforas e sucesso que não a deixa para trás, Dulce ainda realiza sonhos profissionais. Poucos dias antes, ela havia riscado mais uma meta na vida: se apresentar no tradicional Teatro Metropólitan, no México, sua cidade natal, com produção e carinho necessários de quem quer devolver ao seu povo tudo aquilo que lhe foi proporcionado desde os tempos de RBD. A apresentação reuniu mais de 3 mil pessoas e ainda contou com o ex-parceiro de palco, Christian Chavéz. Muito do que foi usado naquela noite está presente nas apresentações que ela fará no país.

Foi por isso que esperei alguns anos por este momento, e também adiei a turnê que faria no Brasil em novembro do ano passado. Eu pensei: ‘preciso levar um show mais bonito e do novo disco’. Nos meses seguintes, esse disco (DM) foi lançado… tenho bailarinos, material visual exclusivo para cada música e alguns arranjos mais antigos foram trocados“, explicou a cantora entusiasmada com as novidades que o público já conferiu no primeiro show, que aconteceu no Rio de Janeiro, no último domingo, (2) e quarta-feira (5) em Curitiba.

(Foto: Matheus Fabbris / HEA)

O novo single, “Rompecorazones“, também reflete essa nova fase de Dulce María. “Gostei muito de compor algo mais maduro e menos teen, como as canções passadas eram, porque os compositores com quem me reunia me enxergavam desta forma. Agora, os produtores e escritores captaram realmente o que eu queria dizer”, disse satisfeita.

Com ingressos ainda disponíveis para as duas apresentações remanescentes da “DM World Tour 2017“, os preços variam entre R$ 100 (pista comum) a R$ 1.200 (convivência). A artista mexicana ainda passa por Porto Alegre e São Paulo.

AGENDA NO BRASIL

Porto Alegre

Local: Bar Opinião (Rua José do Patrocínio, 834 – Cidade Baixa – Porto Alegre – RS)
Data: 07/04/2017
Horário: 20h00
Ingressos: Clube do Ingresso

São Paulo

Local: Audio Club (Av Francisco Matarazzo, 694 – Água Branca, São Paulo – SP)
Data: 09/04/2017
Horário: 20h30
Ingressos: Clube do Ingresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *