LollaParty: Troye Sivan põe público para cantar e dançar em seu show no CineJoia em SP

Por: Iago Braga

O melhor lugar para conhecer novas pessoas que compartilham interesses semelhantes com você é em um show, porque a música é uma coisa que pode unir as pessoas. Você pode ouvir seu artista favorito ao vivo, mas, também, pode se divertir com as pessoas ao seu redor. O sentimento é tão positivo e contagiante, já que todos estão extremamente felizes por estarem lá, que é uma ocasião rara. Não há nada melhor do que sentir vibrações positivas por todo lado e foi exatamente isso que aconteceu no LollaParty do Troye Sivan, realizado pela Times4Fun, que aconteceu no CineJoia em São Paulo, no dia 03 de abril de 2019.

Os primeiros fãs a chegarem na fila estavam lá desde às duas da tarde do dia anterior, 32 horas antes do show começar, para conseguir uma boa visão de seu ídolo, que passa pelo Brasil, pela primeira vez, com sua turnê “Bloom”, nome também de seu novo álbum.

O CineJoia em SP tem uma capacidade para 1400 pessoas, o que faz do ambiente acolhedor e intimista. Até os fãs que chegassem no horário do show garantiriam uma boa visão do palco e, consequentemente, de Troye. A ansiedade dos fãs, que estavam ali lotando a casa, que estava esgotada para a noite de The Bloom Tour, aumentou quando as pessoas entraram no local do show, às 20 horas.

Assim que as luzes se apagaram, a multidão foi à loucura. Troye entrou exatamente às 22h, como planejado. Usando um terno e uma blusa azul de manga longa por baixo, ele começou com uma serenata suave para “Seventeen”, também primeira música de seu álbum Bloom.

 

 

Troye não economizou na simpatia com seus fãs durante o show no Brasil, sempre parando entre uma música e outra para conversar com a platéia e criar uma conexão com seu público que não vemos em shows de todos artistas hoje em dia, infelizmente.

“Este é literalmente o lugar mais quente que toquei em toda a minha vida!”, comentou Troye depois das duas primeiras músicas. “Eu acho que nunca suei tanto num palco”. Ele falou para o público como se fossem velhos amigos, talvez por causa de suas raízes no YouTube e indicando sua estreita relação com seus fãs. Sivan até apontou grupos de pessoas usando falando que “acreditem ou não, eu consigo ver cada um de vocês aqui de cima”, cumprimentando várias pessoas do palco.

 

 

Troye cantou todas as músicas de seu álbum novo, não deixando nenhuma de fora, e arrasou nos passos de dança únicos, parte da identidade do cantor. A primeira parte do show contou com “Seventeen”, “Bloom”, “Plum”e “Heaven”, música da qual o cantor fez um discurso lindo segurando uma bandeira gay sobre sua sexualidade e o quão especial é essa música para ele. Logo depois de “Heaven” foi a vez de “Fools”, seguida de “Lucky Strike”, e “Wild”. A primeira parte do show teve fim com “ I’m so tired…”, seu novo single.

“Eu não estaria aqui hoje sem vocês”, confessou o cantor. Ele ainda explicou que estava ansioso para fazer shows no Brasil, já que desde que começou a carreira é o país que mais apoiou e incentivou ele em todas as escolhas e decisões nesta nova fase, e está sempre presente em todos os trabalhos dele.

 

 

Durante a segunda parte do show, Troye entrou com uma camiseta regata branca e foi colocado um sofá no palco. Contrastando performances recentemente otimistas e animadas da primeira parte, o cantor fez interpretações íntimas sinceras de “Postcard”, “The Good Side” e “What a Heavenly Way to Die”, as músicas mais lentas de Bloom.

A terceira parte do show começou com Troye cantando “Bite”, de seu albúm anterior, “Blue Neighborhood”, seguido pela parceria recente com Charlie XCX, “1999”, e Ariana Grande com “Dance To This”. “Animal”, música preferida de Sivan do albúm, encerrou este momento.

 

 

Ao longo de todas essas músicas, o público cantava e dançava junto. Eu, provavelmente, parecia um idiota dançando e cantando, mas tenho certeza que todos naquela sala pareciam tão estranhos quanto eu. Não houve reclamações sobre a setlist e, ao final do show, não era possível escutar nada além de elogios à simpatia do cantor e à escolha de músicas da apresentação. Foi um ambiente positivo e, provavelmente, a melhor sensação durante um show que já tive.

A apresentação durou um bom tempo e depois chegou a hora do fim. O público não parou de gritar para que Troye Sivan voltasse após “Animal” que, segundo ele, seria a última música. Quando ele voltou, cantou “Youth” e então encerrou seu show com seu primeiro single do álbum, “My My My”. Não havia uma única pessoa que não cantasse, dançasse, pulasse e se divertia naquela sala com todo aquele confete colorido voando.

Esta foi realmente uma noite para nunca esquecer. Este foi definitivamente meu show favorito. Seremos sempre gratos ao festival Lollapalooza que trouxe Troye com sua turnê, permitindo que seja uma inspiração para muitos jovens que possam se identificar com os pensamentos e impressões do artista e suas verdadeiras cores, que acredito ter muito a dizer.

 

Iago nasceu em 93, é aquariano e é formado em Publicidade e Propaganda. Atualmente mora em BH. Ama filmes, músicas, livros e series. Quer mil coisas ao mesmo tempo; e, talvez por isso, não sabe o que quer. Gasta muitas horas do seu tempo revendo seus filmes favoritos. Grande fã de Taylor Swift, Demi Lovato, Shawn Mendes e Troye Sivan. Acredita em destino e depois não. E depois acredita de novo. Faz parte da pouca parcela de pessoas que gostou do fim de “How I Met Your Mother”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *