“Parasita” faz história na premiação do Sag Awards

O celebrado filme “Parasita”, da Coreia do Sul, fez história em Hollywood, no último domingo, ganhando o prêmio de melhor elenco, dado pelos membros do Sindicato dos Atores nos EUA. Foi a primeira vez que o Sag Awards foi para um grupo de atores de um filmes estrangeiro, ou seja, que não é falado em inglês.

Assistindo a cerimônia meu coração já ficou esperançoso quando o elenco de “Parasita” subiu ao palco para apresentar seu filme e foi aplaudido de pé por vários minutos. E, confesso que gritei quando o mesmo recebeu o maior prêmio da noite.

O Sag Awards celebra o trabalho dos atores em filmes e seriados. Alguns vencedores já eram favoritos da corrida do Oscar, como Laura Dern (atriz coadjuvante em “História de um Casamento”), Brad Pitt (melhor ator coadjuvante, em “Era Uma Vez… em Hollywood”), Renee Zellweger (melhor atriz, em “Judy”), Joaquin Phoenix (melhor ator, em “Coringa”) e ao levarem a estatueta pra casa, assumiram definitivamente a liderança, pois uma grande parcela dos atores que votam no Sag Awards também votam na Oscar.

Já minha diva Michelle Williams continua colecionando estatuetas graças a sua atuação como Gwen, na minissérie “Fosse/Verdon”, assim como Phoebe Waller Bridge, a estrela da série de comédia “Fleabag”, ambas levaram o Golden Globes, Critic’s Awards e o Sag, em suas respectivas categorias.

Robert De Niro foi o grande homenageado da noite e fez um discurso poderoso, ao defender o seu direito de cidadão de falar o que bem entende, um recado direto ao presidente Donald Trump, que criticou os comentários do ator sobre seu governo (alguma novidade aí? Ele fez o mesmo com Meryl Streep há alguns anos).

Para os fãs de “Barrados no Baile”, a cerimônia do Sag Awards tem sempre um gostinho especial, na hora do discurso da presidente do sindicato dos atores, que é ninguém mais, ninguém menos que Gabrielle Carteris, a intérprete de Andrea Zuckerman, uma das personagens centrais do meu amado Beverly Hills 90210.

Uma das grande surpresas da noite foi o prêmio de melhor ator de minissérie que foi merecidamente para Sam Rockwell, pela sua atuação em Fosse/Vernon. Ele brilhou ao lado de Michelle Williams. Aplaudi de pé o momento. Inesperado também foi o elenco de “The Marvelous Mrs. Maisel” levar melhor elenco de série comédia, já que estavam todos torcendo por “Fleabag”, mas eu como fã da série fiquei bem satisfeita.

Já não curti tanto a vitória de Jennifer Aniston, por sua atuação em “The Morning Show” e me senti no final dos anos 90 e começo de 2000, quando a foto do encontro dela com Brad Pitt nos bastidores do Sag dominaram as redes sociais. Nunca shippei os dois e achei meio cansativo o excesso de atenção dado ao ex-casal, enquanto “Parasita” fazia história no cinema.

Mas, a imprensa em Hollywood sempre vai fazer questão de privilegiar os seus pupilos, por isso, nós, representantes da imprensa internacional nos EUA, celebramos mais que nunca os nossos compatriotas estrangeiros.

 

 

Agora rumo ao Oscar, com a esperança que “Parasita”  leva na categoria melhor filme. Porque milagres acontecem até na terra do Tio Sam.

Já assistiu “Parasita”? Confira nossa resenha e conte pra gente o que achou. Não vou ainda? Aqui está porque é imperdível:

 

https://www.hollywoodeaqui.com/o-premiado-parasita-e-um-convite-a-reflexao-sobre-desigualdade-social/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *