Spirit Awards: Fechando a temporada de premiação com glamour

Eu estava dentro de um avião quando recebi a resposta da mensagem de texto que tinha passado para a Mariana perguntando a ela onde ela iria ver o Spirit Awards, o prêmio que celebra os filmes independentes. O torpedo dela dizia: eu ganhei um convite num sorteio, com direito a acompanhante, e você vai assistir o Spirit Awards NO Spirit Awards!

Eu juro que quase desmaiei e sentei na minha poltrona no avião sem acreditar no que eu estava lendo. Primeiro que todo mundo que acompanha o Hollywood é Aqui sabe que eu sou fã de carteirinha do cinema independente, segunda que meus filmes, cineastas e minha atriz e ator favoritos estavam indicados à premiação este ano, a diretora e roteirista Greta Gerwig, a protagonista Saiorse Ronan, por “Lady Bird”, o diretor Sean Baker, por “The Florida Project” e o ator Timothée Chalamet, por “Me Chame pelo Seu Nome”. E terceiro, se é que precisa de mais uma razão, quem não curte uma festa badalada na véspera do Oscar com as mais famosas estrelas de Hollywood no momento?

Sem dúvidas, a mensagem da Mari tornou meu longo voo de NY para LA muito mais agradável. Não gritei mas contagiei a todos ao meu redor com a minha euforia silenciosa.

Eu e Mari somos membros da Film Independent, a organização que promove a premiação. Nós votamos neste prêmio e entre todos os muitos membros que votam, apenas um sortudo ganha o convite para prestigiar a festa. Mari teve a sorte de ganhar o sorteio, mas eu acredito que eu fui ainda mais sortuda, porque ela me convidou para acompanhá-la.

Os dias se arrastaram, mas finalmente o sábado chegou. A chuva que caia de manhã tinha partido na hora que chegamos na gigantesca tenda montada no estacionamento ao lado do píer em Santa Monica. Como um presente do divino, o sol saiu e o coquetel foi servido ao ar livre, regado de aperitivos e deliciosos drinks, indicados, convidados e a membros da imprensa, todos festejavam juntos o cinema indie.

 

 

Pouco antes da premiação, que é transmitida ao vivo, nós entramos na tenda e nos deparamos com Saiorse, gente como a gente, ela entrou mais cedo para comer antes de começar o blá blá blá. Para nossa sorte o Spirit Awards serve um brunch saboroso, regado a vinho, antes, durante e depois do show. E como se não bastasse dar de cara com nossa atriz predileta logo na chegada, quando volto do banheiro, a encontro novamente, num cantinho da tenda falando no Facetime com alguma amiga e sem nenhuma pose de estrela, Saoirse mostrava pra ela animada seu vestido.

O problema de uma fã deslumbrada como eu estar num ambiente desses é que pra onde olhava, me deparava com um dos meus favoritos e, como gente grande, tive que me comportar, como na hora que ficamos frente a frente com o super gato Robert Pattinson, que era um dos indicados na categoria melhor ator pela sua excelente performance em “Good Time”.

Isso, sem contar, que depois de quase tropeçar no Sean Baker (meu diretor favorito desde “Tangerine”) a gente deu de cara com Greta Gerwig, Saiorse Ronan e Beanie Feldstein posando pra fotógrafa do evento. Obviamente não perdemos um segunda e garantimos algumas fotinhos de nossas “Ladies” prediletas também.

E pensar que isso tudo aconteceu antes da premiação de fato começar. Aliás, o monologo dos apresentadores Nick Kroll and John Mulaney foi excelente, sincero, irônico, e divertido. E vale a pena conferir:

Agora bom mesmo foi estar presente e ver ao vivo e a cores, Greta Gerwig ganhar o prêmio de melhor roteiro por “Lady Bird”, meu filme predileto do ano.

Aplaudi de pé também Timothée Chalamet, quando ele levou o prêmio de melhor ator e mencionou em seu discurso de agradecimento, Greta e Saoirse, sua co-star em “Lady Bird”.

E, me emocionei quando os produtores e o elenco de “Mudbound” subiu ao palco pra receber uma menção honrosa pelo seu belíssimo filme (que na minha opinião foi desvalorizado nesta temporada de premiações, pois na verdade, eu acho melhor que “Get Out” (“Corra”) que foi o vencedor da noite, na categoria melhor filme.

A minha temporada de premiações começou com glamour cobrindo pela primeira vez o festival de cinema em Toronto em setembro, e terminou de forma triunfal no Spirit Awards. Tem dias que a realidade é mais mágica do que o sonho mas, para ser sincera, eu não tinha nem sonhado este dia, de tão distante que parecia, até porque um ingresso pra este prêmio custa US$ 3.000, e parecia ser tão irreal, como este por do sol é belo. Mas, graças à Mari, a realidade nunca sonhada aconteceu mesmo assim. E foi um dia de risadas, brindes, e de compartilhar momentos com os talentos que tanto admiramos. Se eu tivesse sonhado em ir ao Spirit Awards uma vez na vida, este dia teria sido sábado e sim eu estava lá!

Para Mari Benevello, que a sorte continue ao seu lado e que a gente continue compartilhando momentos divertidos da jornada com Gretinha, Saiorse, Sean, Will & Grace! 🙂 Obrigada! Foi inesquecível. Xo C

 

 

Saiba mais sobre o que rolou no Spirit Awards:

THIS JUST IN: The 2018 Spirit Awards to Stream Live on Facebook Watch!