Melhores de 2017 “Só Seriados” HEA

Por: Luan Menezes

Olha a gente aqui outra vez!!!

Última matéria do ano e com aquele gostinho de dever cumprido durante todo esse ano de 2017. Foram muitas conquistas, muitos seriados, alguns cancelamentos e grandes séries estreando com louvor, não é mesmo?

Em parceria com meus amigos do Viciados em Séries Anônimos, indicamos seriados e personagens e atores para incríveis categorias e o resultado foi escolhido por vocês, essa família linda que temos no HEA. Sem mais delongas vamos aos vencedores:

Melhor Estreia do Ano?
DARK – NETFLIX

Talvez a frase mais dita por quem assiste “Dark” foi “eu não entendi nada”. Vocês entenderam alguma coisa? O que eu entendi foi a genialidade dessa série. “Dark” chegou toda misteriosa nos mostrando a história de uma cidade que era assolada por alguns desaparecimentos ao longo dos anos. A série logo de cara mostra um suicídio, um desaparecimento e… reféns, sim! Essa foi a fórmula do sucesso de “Dark”. A cada episódio a série mostrava só um pouquinho de todo mistério que rondava os personagens, a cada episódio ficava mais impossível de não ficar preso em todo drama da história. Sem spoilers, mas se você ainda não viu “Dark”, então corre pra ver essa série alemã maravilhosa e não entenda nada com gente também!

 

 

Melhor Retorno e Melhor Série da NETFLIX?
Stranger Things

Demorei muito pra ver “Stranger Things” então não fiquei tão ansiosa pra ST 2, mas eu absolutamente concordo sobre ser o melhor retorno do ano! Nessa temporada vemos os mesmos personagens tentando seguir a vida depois de terem descoberto o mundo invertido. O que fazer com a série depois de Will ter voltado do mundo invertido? Isso mesmo, fazer com que o mundo invertido tenha alguém no mundo real, e foi justamente isso que aconteceu no desenrolar da história. Importante falar que a mãe do Will e o xerife Hopper tem um papel fundamental para que o mistério do devorador de mentes seja decifrado.

Importante ressaltar que nessa temporada descobrimos a origem da Eleven, e também descobrimos que existem outros iguais a ela.
Mad Max também foi uma surpresa muito boa, e trouxe pro desenvolvimento seu irmão bad boy Billy. Ela desperta uma paixonite no Dustin e no Lucas, causando um triângulo amoroso que ajuda muito na dinâmica dos personagens.

Não posso deixar de citar que a Nancy e o Jonathan fizeram justiça pela morte de Barb e acabaram se aproximando cada vez mais, o que nos faz lembrar do Steve, que de valentão se tornou babá dos garotos.

Dustin nessa temporada pode ter sido um pouco odiado por todos por conta do Demodog (que de início era fofinho), que faz parte da trama central da temporada, mas no fim não consegui odiá-lo com toda certeza.

E pra finalizar e não dar mais spoilers, existem 3 momentos que foram na minha opinião os melhores da temporada: 1) o final de Bob, 2) a batalha contra o mundo invertido e 3) o baile de inverno. Que venha ST 3!

 

 

Melhor Drama de 2017?
This is Us

Simples: “This Is Us” é uma série que te abraça, uma série que te faz rir, chorar, se emocionar e se identificar com todos os personagens e histórias que são introduzidas.

É uma série sobre pessoas para pessoas, eu ainda não encontrei alguém que tenha visto pelo menos dois episódios e não tenha derramado uma lágrima se quer. Essa é uma série pra vida, uma série que dá aquele calorzinho no coração. Sem vilões, sem super heróis, sem sobrenatural, apenas uma série sobre pessoas para pessoas que precisam continuar acreditando em… Pessoas.

 


A Comédia que mais te fez rir em 2017?
The Big Bang Theory

Alguém poderia me dizer qual a fórmula do sucesso de “The Big Bang Theory”?

Desde 2007 a série sempre se destacou em todas as premiações e aqui no HEA não seria diferente, o cuidado que a série tem em fazer piadas cientificas corretas e até mesmo falar sobre física de uma forma engraçada porém real sem duvida nenhuma encanta a maioria dos geeks e nerds desse mundo. O show mudou a forma de enxergar a ciência e ver tudo isso com uma parte divertida e interessante. O seriado dispensa apresentações e neste mundo atual de seriadores é quase impossível encontrar alguém que não tenha assistido um episódio dessa explosão de sucesso.

 



O Melhor Vilão de 2017?
Negan, o (pior) melhor vilão

“Little pig, little pig, let me in”. É com essa frase épica de Negan, que dá sua primeira aparição em Alexandria, que eu começo falando desse vilão que considero pacas e não consigo odiar.

Negan é o tipo de vilão que nós queremos odiar por tudo de ruim que ele faz (R.I.P. Glenn), mas não conseguimos. Eu não consigo odiá-lo por duas razões, a primeira é que ele é o pai do Sam e do Dean, e a segunda é que ele é o Negan. O prêmio foi mais do que merecido, e por isso não dá pra deixar de lembrar dos 4 melhores momentos na minha opinião do vilão que amamos. Lembram quando ele tirou sarro do Father Gabriel? Pois é, finalmente alguém disse o que todos queríamos falar há muito tempo: “Você é estranho para caramba, chegando de mansinho usando essa roupa com esse sorriso de maluco.”

Lembram quando ele riu do ataque do Carl e “admitiu” ter “mijado nas calças” de tanto medo? Ê menino Carl, cê não dá uma dentro, né?

A aparição dele em Alexandria citando o conto dos três porquinhos que eu falei lá no início também deu um “Q” a mais em uma das melhores sequências do vilão.

Mas nem só de maldades vive o nosso vilão favorito, não podemos deixar de lembrar das cenas fofas que ele teve com a Judith, até a chamou de anjinho.

Como alguém consegue odiar esse vilão mesmo, hein?

 

 

Shipp do ano?
Mike e Eleven – Stranger Things

As definições de primeiro amor foram atualizadas com sucesso. Mike e Eleven são a definição do amor puro e verdadeiro. Quando acontece vocês sabem o que com a Eleven, Mike não a esquece por um dia sequer, da mesma forma que a El também não. A menina conta os dias pra poder reencontrar o seu amor.

A narrativa e o desenvolvimento do casal são leves, até porque são crianças, mas natural, não uma coisa forçada. Você consegue perceber a preocupação que existe de ambos, consegue ver o clima pintando sem dar muito na cara, e pra mim, o mais importante: o primeiro beijo acontece exatamente como tem que acontecer, sem cobranças, sem imposições, só um casal recém-formado no baile da escola, sem segundas intenções, apenas curtindo o momento e a faísca do primeiro amor. Como não amá-los???

 

 

 

Feminista de 2017?
O Seriado Supergirl

Se teve uma série que enalteceu o feminismo em 2017 sem dúvida nenhuma foi o seriado “Supergirl”. Toda trama do show desde sua segunda temporada segue em um tom muito mais adulto do que estamos acostamados com os seriados de super heróis, não é mesmo? Logo quando iniciada a série teve bastante opiniões negativas e ao longo das suas temporadas conseguiu se destacar em meio a essa porção de seriados sobre super heróis. Kara com 24 anos tem que esconder seus poderes e viver uma vida normal e ao mesmo tempo salvar o mundo dos perigos que possam aparecer. O relacionamento de Kara com seus amigos, seus inimigos e sua família deixa bem claro sobre o poder feminino sobre tudo. De como as mulheres são fortes, inteligentes e, com certeza muito, muito inteligentes. Já entrevistamos o elenco de “Supergirl” aqui no HEA, confira um pouco mais sobre o show:

Bate-papo com o elenco de Supergirl na Comic Con 2017

Entrevista com Chris Wood na Comic Con 2017

A Mulher mais bela de 2017?
Katheryn Winnick

Sem dúvidas uma das melhores com o personagem mais importante no mundo das séries. Winnick começou sua carreira cedo e já esteve em diversos shows como “House M.D”, “Law & Order”, “CSI”, “Bones” e, claro, “Vikings”. Diz a lenda que Largetha (a atual personagem de Katheryn) foi uma guerreira Valquiria, uma donzela do escudo. Aquela que mesmo sendo frágil lutou e luta por seus objetivos. Na série LAgertha aceitou a vida de mãe e fazendeira por um tempo logo se tornou guerreira e não aceitou as traições do seu marido. Sem duvida Katheryn conseguiu ganhar esse posto de mais bela com influencia de uma personagem tão incrível quanto ela não é mesmo?

 



O Galã de 2017
Jensen Ackles

Não é difícil falar sobre Jensen Ackles, ator, diretor, músico, pai, marido, resumindo… ele é a versão americana (ou vice-versa) de Rodrigo Hilbert (Homão da P##).

Conhecido por interpretar Dean Winchester em “Supernatural”, o ator já foi modelo e atuou em shows como: “Dark Angel”, “Dawnsons Creek” e desde então continua no seriado “Supernatural”. Pai de três filhos, é impossível não se encantar por essa família que ele criou, o carinho que ele tem por ela é quase o mesmo que ele tem com os fãs e isso com certeza deu o lugar para ele nessa nossa coluna especial. E nem precisamos comentar sobre a beleza dele, não é mesmo?

 

 

Personalidade ou Personagem que mais te inspirou em 2017?

Muito foi discutido sobre essa categoria sobre inspiração. Tivemos grandes inspirações esses anos, personagens incríveis, séries incríveis, atores surpreendentes e se eu pudesse indicar alguém para essa coluna sem dúvida seriam Cláudia Ciuffo e cada um de vocês que lutaram pelas suas conquistas nesse ano maravilhoso.

Sobre inspiração, o vencedor, na verdade, as vencedoras dessa matéria foram:

A união entre o elenco de “OTH” e “The Royals” para denunciarem os abusos que sofreram do criador da séries que as tornaram famosas.

Sem dúvidas esse ano foi o ano de falar aquilo que se escondeu por um tempo, ter coragem para se expor e não ter medo do que irão pensar ou questionar.

 

 

Após a suspensão de Mark Schwahn da produção de “The Royals” e após as acusações de Audrey Wauchope, a equipe feminina e as atrizes escreveram uma carta aberta denunciando os assédios sexuais constantes sobre boa parte do elenco e equipe de “OTH” e “The Royals”. O relato foi assinado por 25 mulheres que sofreram abusos do criador do show. Confira um trecho divulgado pelo Variety.

“Onde devíamos ficar animadas para conhecer novas mulheres do elenco ou equipe, sentíamos uma preocupação nauseante de que ele [Schwahn] também caçasse seus números de telefone. Onde devíamos oferecer auxílio ou dicas com as cenas para nossas amigas que faziam testes para “The Royals”, oferecíamos avisos sobre o homem que elas encontrariam na sala de audições. Mais do que tudo, onde devíamos sentir, coletivamente, orgulho de nossos trabalhos conquistados duramente e de nossas personagens que tanto amamos, nos sentimos menosprezadas como artistas e mentes criativas. E, em muitos casos, nos sentíamos não mais do que uma soma de atributos corporais.”

 

 

Durante o ano acompanhamos diversas pessoas tomando coragem de divulgar histórias horríveis como essa. E sem dúvida nenhuma foi algo que inspirou muitas pessoas, que tiveram coragem de ir a público e assim ajudar a previnir casos como esses.

Gostaria de deixar um super agradecimento a uma grande amiga e super parceira da coluna que junto comigo criou essa matéria incrível para vocês, a linda da Bruna Deplanck (@falamacedo_q).

E que nesse 2018 todos os nossos sonhos se realizem, que todos nossos objetivos se transformem em conquistas e que nossas séries continuem em seus grandes momentos assim como nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *