Oscar 2020: Frente a frente com os diretores indicados Quentin Tarantino e Todd Phillips

Desde o início da corrida do Oscar, ano passado, os filmes “Era uma vez…em Hollywood”, escrito e dirigido por Quentin Tarantino, e “Coringa”, obra de Todd Phillips, eram favoritos para concorrer à estatueta em várias categorias. Por isso, não foi surpresa quando ouvi que ambos foram indicados a melhor diretor e a melhor filme, no anúncio das indicações na última segunda-feira, dia 13.

Estivemos com Tarantino e Todd no evento promovido pelo Deadline, em Nova York, e ambos compartillharam os desafios e curiosidades dos bastidores de seus projetos.

Eu confesso que não sou muito fã de Tarantino, mas admito também que esse foi um dos seus filmes que mais gostei. Os atores Leonardo DiCaprio, Brad Pitt e Margot Robbie deram um show de atuação e também foram indicados nas categorias melhor ator, ator coadjuvante e atriz coadjuvante.

Tarantino também garantiu uma indicação na categoria roteiro original, aliás merecida, pois o roteiro do filme é incrível mesmo. Especialmente para quem conhece bem a história de Charles Mason. Eu tinha assistido ao documentário pouco antes de ver o filme e fiquei muito bem impressionada como Quentin usou os terríveis assassinatos cometidos por Mason e seus seguidores como um excepcional pano de fundo para os seus personagens. Isso sem contar com Sharon Tate, assassinada tragicamente; a atriz, que na época estava grávida, ganha um destino especial na pele de Margot Robbie, que protagoniza o que achei as melhores cenas do filme. Tarantino reafirmou que queria dar ao público um final mais feliz que a vida real e foi bem-sucedido.

vvvvv
vvvvv Era uma vez….em Hollywood
Los Angeles, 1969. Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) é um ator de TV que, juntamente com seu dublê, está decidido a fazer o nome em Hollywood. Para tanto, ele conhece muitas pessoas influentes na indústria cinematográfica, o que os acaba levando aos assassinatos realizados por Charles Manson na época, entre eles o da atriz Sharon Tate (Margot Robbie), que estava grávida do diretor Roman Polanski (Rafal Zawierucha). Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-257482/Trailer legendado:
vvvvv

 

“Coringa” é outro gênero que não é muito a minha praia, mas, depois de nosso encontro com Todd Phillips, que foi só elogios à performance de Joaquin Phoenix (que já levou o Globo de ouro e o Critic’s Choice Awards na categoria melhor ator), fiquei curiosa e me rendi.

 

Apesar de não ser fã do tema, Todd tinha razão, Joaquin da um show à parte. Visualmente o filme é bonito, sem dúvidas uma grande produção, com o roteiro focado em doenças mentais, abuso infantil e suas cruéis consequências, mas o que me conquistou mesmo foi ver a entrega total do ator ao personagem. Merecida a indicação de Phoenix ao Oscar, por sinal ele é o grande favorito.

 

vvvvv
vvvvv Coringa
Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) trabalha como palhaço para uma agência de talentos e, toda semana, precisa comparecer a uma agente social, devido aos seus conhecidos problemas mentais. Após ser demitido, Fleck reage mal à gozação de três homens em pleno metrô e os mata. Os assassinatos iniciam um movimento popular contra a elite de Gotham City, da qual Thomas Wayne (Brett Cullen) é seu maior representante. Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-258374/Trailer legendado:
vvvvv

 

 

Apesar dos protagonistas Christian Bale e Matt Damon terem ficado de fora da corrida do Oscar, o filme “Ford vs Ferrari”, que assistimos na première no Austin Film Society, foi indicado na categoria melhor filme. Aqui contamos melhor o que achamos desse projeto baseado numa emocionante história real:

https://www.hollywoodeaqui.com/prepara-a-pipoca-dicas-de-filmes-para-divertir-apresentados-no-austin-film-festival/

E a nossa cobertura do Oscar 2020 está só começando, fiquem ligados porque vem mais novidades por aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *